terça-feira, outubro 09, 2012

Um governo que é um filme de horrores


O Governo uma vez mais escolhe a Função Pública como inimigo e culpado de todos os males do país. São os médicos e os enfermeiros porque trabalham no Serviço Nacional de Saúde, os Professores porque ensinam nas escolas públicas, os polícias porque não trabalham para empresas privadas e por aí fora. Para este governo, tudo o que seja público é mau pois podia pertencer a um privado menos os seus tachos como políticos, trabalhadores do banco de Portugal ou assessores. Esses fazem falta à democracia, os outros são despesa.  Assim uma vez mais são eles a sofrer a maior talhada ao que o governo se viu obrigado a somar alguma coisas dos trabalhadores do privado por imposição do Tribunal Constitucional. Claramente este orçamento não cumpre com essa imposição, mas já se está a tornar natural ver a constituição metida na mesma gaveta em que o Mário Soares meteu o socialismo. A Justificação para a disparidade entre privado e público é porque estes têm regalias. Quais serão? Ganham mais? Já foi provado que não é verdade. Não podem ser despedidos? Pelos vistos já podem e o governo vai tratar disso. Reformam-se mais cedo? A partir de agora já não. Quais são as vantagens então?
Este governo é composto por gatunos, por vampiros que comem tudo e não nos deixam nada. Dráculas FP.

15 comentários:

  1. Orçamento da Assembleia pagou torneio de golfe a deputados.

    A Associação dos ex-deputados do parlamento e o Grupo Desportivo receberam nos últimos cinco anos do orçamento da Assembleia da República cerca de 286 mil euros.

    Pois é ... e depois os malandros, só querem é fazer greves e manifs...

    ResponderEliminar

  2. Esses senhores funcionarios publicos, que nem impostos pagavam, com carreiras automáticas sem ser necessário mostrar bom serviço, salvo as devidas excepções, têm o que merecem.

    Para o caso de não estar devidamente informado, as despesas com pessoal no sector publico, absorvem cerca de 25% do total da despesa publica, é demais.


    ResponderEliminar
  3. Lone Wolf9/10/12 17:04

    Excelente imagem KAOS! Parabéns!

    Mas estes não são uns Vampiros quais queres.
    Não! Esta é uma nova espécie!

    Estes são os novos Vampiros Vírus!

    Vampiros - na forma brutal e letal como atacam. De formas obscuras e pela calada da longa noite em que mergulharam as suas vítimas.

    Vírus – na rapidez com que se reproduzem e mutam criando novas formas de ataque. Espalham-se por todo o lado, atacam de uma forma hoje, amanhã de outra, com o objectivo de desorientarem, paralisarem e apanharem de surpresa as suas presas. Ataques sempre em mutação, sub-reptícios e dissimulados.

    Urge exterminar estes novos Vampiros Vírus! Até porque a taxa de sobrevivência aos seus ataques é extremamente baixa!

    Mas ATENÇÃO!!! Depois de exterminados, convém manter as suas tumbas sob apertada vigilância! Nunca baixar a guarda perante tão perigosa ameaça! Esta espécie é infamemente reconhecida pela sua capacidade de renascer das cinzas de forma totalmente imprevisível e descontrolada!

    ResponderEliminar

  4. Lone Wolf quem devia ser exterminado és tu. Que vergonha de comentário!

    ResponderEliminar
  5. 25% da despesa pública vai para salários?! Ah, que exagero, diz o anónimo das 15:43. É um exagero, pensa ele, um grande exagero para um país do 3º mundo.

    Esses malandros comunas da OCDE, num relatório para a educação, arrasaram a consolidação dos gastos públicos em Portugal, e logo na educação! Que é aquilo que andamos a destroçar, desde que lá pusemos a Lurdinhas em 2005. Estes comunas são o diabo!!!!!! Até já se infiltraram na OCDE!!! Nós QUEREMOS que os professores portugueses sejam os mais miseráveis da Europa, que ultrapassem em miséria o que já foi o Brasil, pois, COMO QUERIA O NOSSO SAUDOSO SALAZAR, Portugal deve se transformar num país do 3º mundo. No ano de 2013 Portugal vai gastar menos de 4% do PIB em educação, aproximando-se assim inexoravelmente do 3º mundo. Depois (quando falirmos isto tudo, está para breve) não haverá volta a dar, eh, eh, eh...

    É que nós, os Relvas, os Coelhos, os Macedos, os Borges, os Gaspares, como é que nos vamos conseguir manter no poleiro com um povo letrado, capaz por isso de nos descobrir as falsidades e as mentiras?

    Assim não dá para governarmos! Portugal no 3º mundo, já!

    (Confissões de um anónimo ressabiado da "abrilada")

    ResponderEliminar
  6. Em 2000, Portugal ocupava um respeitável 34º lugar nos gastos com a educação, a par de países como os Estados Unidos, Austria e Reino Unido.

    Em 2012 esse valor caiu para 4,2% e, com os cortes orçamentais anunciados para 2013, desceremos para 3,8% (para o 90º lugar). Já fomos ultrapassados por países como a Argentina e o Equador.

    Nota: antes de se recusar a pagar a dívida (que na altura absorvia 50% do orçamento do país) o Equador ocupava o penúltimo lugar da lista, com 1% do PIB de gastos com a educação...

    ResponderEliminar
  7. Lone Wolf9/10/12 18:21

    Anónimo das 15:43,

    Parece-lhe bem tentar fazer dos outros parvos!

    Não brinque com coisas sérias! E sobretudo não fale do que não sabe!!!

    Logicamente existem maus funcionários públicos, como existem maus profissionais em todas as áreas. Mas ao contrário do que tenta sugerir, os maus são a excepção que confirma a regra. E a regra é que a maioria dos funcionários que trabalham para o estado (ou seja para todos nós, logo também para si) fazem um trabalho a todos os títulos exemplar, tendo em conta todas as adversidades (organizacionais, infraestruturais, etc.) com que se debatem todos os dias.

    Dito isto e não tendo qualquer relação directa com o funcionalismo público, conheço n casos de dedicação e abnegação à causa pública. Desde professores (do primário ao universitário), passando pelo sector da saúde (médicos, enfermeiros, auxiliares administrativos) até à área judicial.

    As despesas com pessoal no sector público não são tão excessivas como quer fazer crer. Estão dentro da média europeia e ao contrário do que acontece com a maioria dos países da União Europeia têm vindo a decrescer em relação à % do PIB que consomem!

    Não acredita! Muito bem! Se quiser consulte: http://www.dgaep.gov.pt/upload//OBSEP/BOEP_03/DGAEP-OBSEP_BOEP_03.pdf

    Desde já lhe digo que a fonte do documento é a Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público.

    Portanto, pela sua “teoria da conspiração dos Funcionários Públicos” o que queria era que não se lhes pagasse, logo que não existissem professores, médicos, enfermeiros, auxiliares, polícias, juízes e por aí fora no sector público.

    E depois? Depois viveríamos todos num admirável Mundo Novo, não era?

    Não tente fazer dos outros ingénuos! Puxe pelos neurónios e preocupe-se em saber qual o destino dado aos dinheiros públicos envolvidos, entre outros, no “caso” BPN, BPP, negócios com as PPPs, escritórios de advogados, assessorias, etc..

    Procure perceber o que se passa no Centro de Negócios em que se transformou a Assembleia da República!

    E então sim, depois faça um cálculo do que representam as despesas supracitadas na % do PIB. Verá que vai ter uma “agradável surpresa”.

    No more fucking comments!!!

    ResponderEliminar
  8. Lone Wolf9/10/12 18:37

    Caro joaopft,

    Não tinha lido os seus comentários antes de publicar o meu.

    O timing foi perfeito. Obrigado por adicionar informação e opinião de forma exemplar à minha resposta ao anónimo das 15:43.

    ResponderEliminar
  9. Lone Wolf9/10/12 18:48

    Anónimo das 17:39,

    Lamento imenso!

    A sério que lamento!

    Mas as suas mordidelas e as toxinas que libertam não me afectam!

    Lone Wolf – got it???

    ResponderEliminar
  10. Ó das 15.43, fecha essa bocarra cheia de trampa que não sabe o que diz nem do que fala!
    A IGNORÂNCIA É MUITO ATREVIDA!

    Vai vender banha de cobra para a feira da ladra, ó car....!

    ResponderEliminar
  11. Privatize-se Machu Picchu, privatize-se Chan Chan, privatize-se a Capela Sistina, privatize-se o Pártenon, privatize-se o Nuno Gonçalves, privatize-se a Catedral de Chartres, privatize-se o Descimento da Cruz, de Antonio da Crestalcore, privatize-se o Pórtico da Glória de Santiago de Compostela, privatize-se a Cordilheira dos Andes, privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo… E, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.”
    José Saramago

    DESCULPEM LÁ QUALQUER COISINHA OH REAÇAS

    ResponderEliminar
  12. REFORMA DESCE EM FRANÇA PARA COMPENSAR A BALANÇA EUROPEIA SOBE EM PORTUGAL

    A SEGUIR O GOVERNO VAI BAIXAR MAIS O ORDENADO MÍNIMO SÓ NÃO SE SABE EM QUE PAIS EUROPEU AUMENTA

    ResponderEliminar
  13. E PRO ANO OS NOSSOS FERIADOS VÃO PARA QUE PAÍS?

    PARA A ALEMANHA PARA OS BOCHES DEPOIS TEREM MAIS TEMPO PARA VIR JOGAR GOLFE NO GUETO CHAMADO PORTUGAL

    SERVIÇO PUBLICO É A MARCIA RODRIGUES IR MAMAR AJUDAS DE CUSTO PARA A AMÉRICA E SABE-SE LÁ MAIS O QUÊ PARA IR VER ONDE ENTERRAM OS AMERICANOS PARVOS QUE VÃO MORRER NAS GUERRAS POR ELES FOMENTADAS CONTRA OS OUTROS PAÍSES POR CAUSA DOS PAPÕES COM ARMAS DE DESTRUIÇÃO MACIÇA (CHAMADO PETRÓLEO)

    OH RELVAS VAI ESTUDAR O PEDRO ALVARES CABRAL E O COLOMBO E PRIVATIZA OS AMERICANOS DO NORTE E DO SUL

    ResponderEliminar
  14. oh joaopft 'Equador ocupava o penúltimo lugar da lista, com 1% do PIB de gastos com a educação' cá em tugal só ainda existe o ensino porque a UE manda cascalho por cada aluno se não mandasse acho que já tinham fechado tudo o que era escola pelo menos as publicas!

    ResponderEliminar
  15. Já só falta a seguir eliminarem a constituição e virem dizer que basta existir um tribunal constitucional (da cor). Aliás parece já não existir soberania parecemos ou fazem querer parecer que somos uma espécie de província ou uma colónia de ferias do "vierte Reich deutscher merkel"

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo