quarta-feira, junho 12, 2013

Crato, a Bruxa Má


Nuno Crato revelou que o Ministério vai recorrer de decisão do colégio arbitral nomeado para decidir sobre a determinação de serviços mínimos na greve dos professores do dia 17 de Junho. O colégio, formado por três pessoas, considerou que a greve de professores, pese embora coincidente com o 1º dia de exames finais nacionais do ensino secundário, “não afecta de modo grave e irremediável o direito ao ensino na sua vertente de realização dos exames finais nacionais, não se estando por isso perante a violação de uma necessidade social impreterível”.

A esta hora o Ministro já deve estar a clamar por vingança e o "espelho" já lhe deve ter dado as suas ordens. Da última vez, quando a bruxa era a Sinistra Ministra Maria de Lurdes Rodrigues, o Mário Nogueira acabou por trincar a maça envenenada que lhe ofereceram. Esperemos que tenha aprendido a lição e que não vacile. Como pai de alunos que têm exame este ano aqui dou todo o meu apoio à luta dos professores, não só em nome da Escola Pública mas de todo o estado social que esta cambada quer destruir. 

1 comentário:

  1. Apesar de existirem dois acórdãos de tribunais superiores (STA e TC) a favor dos serviços mínimos em caso de greve aos exames, desta vez não vão ser aplicados. Esses acordãos são do tempo da ex-ministra
    Onde é que isto nos leva? ao vale tudo incluindo foder os alunos, os pais e os contribuintes na guerra da política pela política, um suma num regime da caça ao tacho que é aquilo em a gente vive há muito tempo.
    Os sindicatos estão-se a cagar em tudo e todos, menos - claro está - nos sindicalistas.
    Por mim os profs que fizessem greve iam de cona, gozar com os filhos deles, porque o que não falta são professores desempregados dispostos a fazerem o que eles não fazem.
    Quanto à não alteração da data dos exames acho muito bem: é preciso não esquecer que o direito à greve é igual ao direito de não aderir à greve. No fim se os alunos não forem tratados em pé de igualdade é pedir satisfações às luminárias que deram este parecer.
    Isto é um país do caralho e do faz de conta, não há nada onde a puta da política não meta o bedelho para foder a maralha.
    Rui

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo