quinta-feira, janeiro 26, 2006

Grande "Gand'a nóia"


Nunca fui um grande fã do “Gand’a nóia” do Marques Mendes. Foi e será sempre um número 2. Se hoje ocupa o lugar que ocupa isso só se deve ao descalabro provocado por Santana Lopes. A falta de alternativas existentes na altura e a recusa dos “galifões” em aceitar 3 anos de travessia do deserto na oposição, possibilitaram-lhe a vitória no congresso. Desde logo considerado um líder a prazo, sabe que as suas hipóteses de chegar até uma eleições legislativas são mínimas. Com a eleição do Sr. Silva para a presidência, o reinado do “pequeno PSD” parecia ter o fim anunciado. Os “galifões” do António Borges e da Manuela Ferreira Leite já deviam estar a delinear a tomada de poder. Não para já, que não era conveniente a queda deste governo antes de ele ter de tomar mais umas quantas “medidas impopulares. Dar algum tempo ao Sr. Silva para encontrar justificações para o derrube deste governo e convocação de eleições. O timing é importante para não se chegar ao poder nem cedo nem tarde de mais.
Prevendo isso o Mendes deu um golpe de asa. Eleições no PSD já. Pode assim aproveitar o crédito da vitória em duas eleições, autárquicas e presidenciais, e dificultar aos seus adversários a possibilidade de gerirem o tempo certo para desferir o golpe. É bem jogado.
Quem acaba por se ficar a rir com tudo isto acaba por ser o “cínico” do Sócrates que assim vê garantida a sua manutenção como PM por mais algum tempo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo