quinta-feira, setembro 28, 2006

Os Envelopes 9, 10, 11, 12, 13, etc...

Sou Europeu, Português, Cidadão de Pleno Direito do séc. XXI.
Hoje, 28 de Setembro de 2006, acordei com a obsessão de querer saber o que contém o "Envelope 9". Mais: acordei com a sensação de querer saber tudo o que está dentro de todos os envelopes, e quero saber o conteúdo de todas as escutas que foram feitas neste país, ou, pelo menos, de uma síntese dos seus temas, intervenientes e implicações.
Não me sinto representado por um bando de cavalheiros, que, sentados numa coisa chamada Assembleia da República, apenas perpetuam o sistema de conluios e mentiras que transformou o meu país numa espécie de Colômbia Lusitana.
Assumo, à Luz da Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Princípio da Separação de Poderes, que os Tribunais do meu país funcionam de acordo com a Lei-do-tem-dias, e não asseguram a igualdade do cidadão perante a Lei. Consoante as luas, forjam culpados, e inocentam criminosos.
Quero ter órgãos de informação social que me digam, quando eles não sabiam que estavam a ser escutados, todos os enredos, tramóias e compadrios que se teceram nas minhas costas. Quero saber quem é de confiança, ou um puro criminoso, daquelas caras que nos governam, e que, diariamente, sou obrigado a suportar.
Quero saber para onde vai o dinheiro dos meus impostos. Exijo que, um a um, todos os indivíduos que não cumprem as leis do meu país e se acham no direito de oprimir os meus concidadãos com o cumprimento das mesmas, sejam arredados de todos os cargos políticos, representativos e de direcção que ocupam.
Quero saber que, com quem, e sobre o quê se falava nas escutas dos Envelopes 9, 10, 11, 12, 13, e por aí adiante.
Quero que haja um grupo de cidadãos que peça o mesmo, e que, se descobrir que o Poder Judicial, em Portugal, está total, ou parcialmente, minado pela Corrupção, tenha o direito e o dever de apelar para a intervenção de Tribunais Europeus, ou Mundiais, isentos.
Quero saber onde vivo, quem me governa, e para onde estou a ser levado.
Porque, parafraseando Almada, eu sei que todas as escutas que haveriam de limpar o "Sistema" já foram feitas, já só falta, agora... limpá-lo.
Muito Bom Dia.
Texto de "Arrebenta" e retirado do blog Braganzzzzza-Mothers
.
Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

16 comentários:

  1. Embora, vou nessa!
    Jinhos

    ResponderEliminar
  2. Quero saber quem é de confiança, ou um puro criminoso, daquelas caras que nos governam, e que, diariamente, sou obrigado a suportar....


    Eu também queria saber isso tudo.
    Mas já me dava por satisfeita se apesar de toda a M"#SQ eu visse resultados no país!

    ResponderEliminar
  3. repito o quejá escrevi algures:
    temos a obrigação de iniciar um movimento (ou chamem-lhe outra coisa qualquer...) que, pela sua acção, ponha fim a esta e a outras palhaçadasqe contaminam o rectângulo!

    ResponderEliminar
  4. posso dar uma ajuda... descobri hoje, que existe uma pós graduação em inteligência e contra inteligência em Portugal.

    Queres ser o próximo Jack Bauer? Podes, basta querer!

    ResponderEliminar
  5. tb:
    Todos juntos podiamos tentar fazer algo. A dificuldade está na organização.
    bjs

    ResponderEliminar
  6. anonimo:
    Eu não concordo muito com a ideia do "rouba, mas faz obra" tão do agrado português. Quem rouba tem de pagar por isso. Por fim à corrupção é urgente.

    ResponderEliminar
  7. Alien:
    Já tinha visto que eras tu e agora que vim responder esquecime e ...o comentário anterior é para ti.
    bjs

    ResponderEliminar
  8. luikki:
    O problema é que tinha de ser um movimento com algumas valias em pontos essenciais. Um apoio juridico e algum poder de comunicação mediatico era essencial. Mas, estou disposto a entrar nessa.
    abraço

    ResponderEliminar
  9. carminda:
    bem vinda ao clube
    bjos

    ResponderEliminar
  10. Desinformador:
    Não, basta-me ser aquilo que sou e não outro qualquer. Sempre foi assim e assim sempre será.

    ResponderEliminar
  11. Concordo plenamente. Vamos em frente acabar com esta corja que se governa às nossas custas.
    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  12. outsider:
    O dificil é fazê-lo. Como disse o luikki devia haver uma organização aglutinadora de toda esta revolta que tantos de nós sente.
    abraço e bfs

    ResponderEliminar
  13. Contem comigo. A tarefa não deve ser nada fácil. Já uma vez tentei sensibilizar pessoas para ir até ao Largo Camões protestar contra a Guerra do Iraque e não vi por lá mais do que os mesmo do costume. Talvez lançar um concurso de ideias sob o tema "Como pôr o pauzinho na engrenagem? Aceitam-se sugestões".
    Mais um brilhante texto do Arrebenta, com a força de verbalizar o que nos vai a todos no espírito!

    ResponderEliminar
  14. Ah, já me esquecia de elogiar a parceria Arrebenta/Kaos. Gooooosto!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo