quarta-feira, junho 27, 2007

Um livro, Branco para uns, Negro para outros

O relatório preliminar da Comissão que está a elaborar o Livro Branco das Relações Laborais, com vista à revisão do Código do Trabalho, recomenda, entre outras medidas, a redução dos dias e do valor do subsídio de férias, prevê o aumento na duração dos horários de trabalho, da redução nos tempos de descanso, a possibilidade de reduzir salários e despedimentos mais fáceis.

Já algumas vezes fui aqui acusado de só dizer mal. Aceito a critica, mas a verdade é que nada de bom parece acontecer. Sobretudo se olharmos para as propostas destas comissões encomendadas pelo governo, não encontramos uma única medida que possa ser considerada como um benefício para quem trabalha. Da saúde, ao ensino, passando pela segurança social, e trabalho, todas elas têm em comum a degradação do nível e das condições de vida dos cidadãos.
Se estas eram as ideias que este governo de Socretinos tinha para o nosso país, deveria ter tido a coragem de o dizer durante a campanha eleitoral na qual foi eleito. Isto de se esconder por detrás de comissões e livros brancos, não lhes fica nada bem. Sobretudo porque quem faz parte destas comissões não foi eleito, mas sim escolhido pelo próprio governo para atingir determinados resultados. Isto é, quem as compões só olha para um dos lados da barricada, sendo sempre o Zé-povinho quem acaba lixado. Havia alguém a representar o lado de quem trabalha na comissão que redigiu este Livro Branco?
Claro que o governo já veio dizer que nada disto está decidido e aprovado. É verdade que isto são só as conclusões que agora o governo ainda as vai estudar e discutir. Mas, também é verdade que, como aconteceu com as Maternidades ou com as Urgências, estes estudos são depois utilizando como muletas para nos embalar coma velha cantiga da crise. Mas, também é verdade, que quando vierem colocar ao assunto em negociação com as forças sociais, quem trabalha só pode tentar minimizar danos, já que em nada pode melhorar em relação à actual situação. Mas, também é verdade quem é patrão só tem de ver até onde consegue ir nos seus ganhos, que no final lá estará a UGT para possibilitar ao governo dizer que as alterações foram aprovadas pelos sindicatos.
Será que este povo não compreende que só poderá acabar com estes ataques indo para a rua e mostrando que as assinaturas da UGT nada valem, que não aceita que lhes lixem ainda mais a vida e que está farto deste governo e desta bandalheira em que transformaram este país?
Que mais terão estes aldrabões, os que nos têm governam que fazer para que os corramos a pontapé?
Porque terá um livro que para uns é Branco, ter de ser para os outros, tão Negro.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

46 comentários:

  1. Mais uma vez o Kaos está inspirado, este polvo de Bruxelas é mesmo real, e mesmo com muito tempêro não dá um arroz de jeito. As couves de Bruxelas têm um sabor amargo, é preciso aprender e a gostar deste tipo de couve, são vários rebentos que dependem do mesmo pé. Mesmo com bacalhau e alho é difícil comê-las.

    ResponderEliminar
  2. Henry Pote27/6/07 18:00

    Depois de tudo isto, não é possivel entender como é que toda esta gente ainda se arroga de socialista.
    Eles são o que há de mais anti-social. São fascistas por natureza e definição. Usam o poder, de uma forma absolutamente discricionária e totalitária para favorecerem os sanguessugas com aquilo que sacam aos mais desfavorecidos.
    Enganaram o povo com falsas promessas eleitorais. Numa palavra, este governo é uma gigantesca fraude!
    Que é feito dos socialistas que lutaram contra o fascismo? Tenham vergonha do vosso líder!
    Soltem as amarras que vos prendem ao ditador. Tirem as mordaças que vos mantêm silenciados! FALEM! ACUSEM!

    ResponderEliminar
  3. Podemos espernear, gritar, dizer que assim não pode ser, mas a realidade é que estes senhores estão de "pedra e cal" no governo e não me parece nada fácil tirá-los de lá :(

    ResponderEliminar
  4. Ricardo Zenner27/6/07 18:33

    Há coisas que se podem fazer:
    1º - sabotar TUDO o que vier de Bruxelas.
    2º - Sabotar TUDO o que vier deste e de outros desgovernos sistémicos.
    3º - Tentar desobedecer a TUDO o que ponha em risco a nossa sobrevivência, como Povo, como Nação, como Cidadãos. Está plasmado na Constituição o DIREITO À RESISTÊNCIA.

    Abertamente, e enquanto não fôr legalmente punível, denegrir ao máximo a CE e tudo o que dela vem, incluindo as Socretinas e Cia.

    O que é preciso é pôr os neurónios a trabalhar para constituirmos esta Resistência ao novo invasor. E o melhor é a sabotagem.

    ResponderEliminar
  5. zé povinho27/6/07 18:33

    Amigo Kaos, quando o Sol nasce também é para todos, mas há quem esteja à sombra. Se indagar sobre a identidade e rendimentos dos autores do tal livro, decerto compreenderá que esses estavam ao Sol e asseguraram por mais tempo o Sol que brilha lá em paragens tropicais, não se ralando minimamente (ignorando mesmo) aqueles que à sombra vão produzindo aquilo que eles comem, esbanjam e desperdiçam sem preocupações.
    Socialismo? O que é isso? O Sócrates não é socialista está à vista.
    tchau

    ResponderEliminar
  6. venham mais cinco27/6/07 18:38

    Este é um governo terrorista e portanto são lícitas todas as maneiras de o combater. Que cada um encontre a melhor maneira de resistir, porque, como já se viu, esta corja come protestos e blogues ao pequeno-almoço....

    ResponderEliminar
  7. Kaos
    é preciso organizar grandes manifestações contra o polvo que nos governa. Manifestações que congreguem todos aqueles, sindicatos ou outras organizações sociais e todos os portugueses que querem dizer um basta a esta gente que nos está enterrando cada dia.

    ResponderEliminar
  8. sarcástico27/6/07 18:59

    Parece-me que as nossas vozes são cada vez mais silenciadas, os gestos mais tolhidos... sempre me pareceram as atitudes interventivas um sinónimo de cidadania, nunca deixei de colocar o meu boletim de voto nas urnas, pensando que o sentido de pertença a uma comunidade com identidade própria passa por aí.As maiorias silenciosas e os elevados níveis de abstenção sempre me deixaram chateado (é claro que fico chateado)!!! Os amigos da minha geração que tanto reclamaram na juventude, ultimamente olhavam-me um pouco como ET por repudiar a abstenção, recusando-me a ser uma «nêspera deitada» à espera «de ser comida»... começo a ficar com problemas de identidade. Hoje senti-me particularmente lixado ao ouvir, na rádio, algumas intervenções no parlamento sobre «políticas comunitárias» caracterizadas pelo neo-liberalismo e pela criação de novas oportunidades (de desemprego), por uma sociedade mais estratificada em classes distintas.
    «E como se pode exterminá-los???»
    abraço

    ResponderEliminar
  9. henri pote27/6/07 20:05

    Enquanto este fascistas estiverem no poder, caminharemos a passos largos para o modo de produção esclavagista.
    É preciso pôr travão a esta ditadura eleita por um povo literalmente ludibriado com falsas promessas.

    ResponderEliminar
  10. Voltamos ao início da revolução industrial a nível de direitos... Se calhar já falta pouco...

    Filhos de uma granda p*ta...

    ResponderEliminar
  11. Ouvi dizer que alguns militantes do partido «socialista» propuseram a militantes do PSD uma fusão mas estes recusaram por acharem que o P«S» está muito à direita.
    Bem, não é verdade, mas se a proposta fosse feita, certamente que seria recusada pelo mesmo motivo, suponho.

    ResponderEliminar
  12. Sobre este falso argumento eu provo através dum acontecimento a nível laboral passado com o meu filho qual é afinal a verdadeira causa das falências das empresas. Aqui
    http://insinuacoes.blogspot.com/ está tudo quanto se passou efectivamente e não foi ficção mas sim realidade.

    ResponderEliminar
  13. A coisa está cinzenta!
    Como é que um simples anónimo pode pôr um pauzinho na engrenagem global? A questão não é apenas do
    nosso pequeno mundo de Viriato. Todo o mundo pensa em dinheiro, que dizem inventado pelos Fenícios.
    Derrubar a Socratina não serve de nada, nem ajuda, a família socialista silenciosa Portuguesa está na retaguarda, nem sei como encontraram alguém para "dar a cara", as famílias socialistas da Europa estão com o mesmo problema, o Comunismo acabou, o Cristianismo também, e hoje em dia o mundo é dos polvos e das lesmas.
    Se eu for ali ao Ministério das Finanças mijar na porta, só tenho duas hipóteses: ser preso ou ficar com a pila esturricada pela mais alta tecnologia.
    Se como disse venham mais cinco cada um escolhesse a sua maneira, eu acabava com a televisão, mantinha o resto, os blogs, a rádio, os jornais, as cassetes e os dvds, as conversas nos transportes públicos (já não há
    disto), os e-mail, etc... e, para acabar com a televisão basta um alicate. Se fosse um alicate global...

    ResponderEliminar
  14. e aquilo que vai sair desse livro vai ser bem pior do que agora foi publicitado....
    se os cidadãos não forem à luta e puserem na ordem os novos negreiros!
    aabraço

    ResponderEliminar
  15. Qualquer dia isto parece a China! Foi no que deu a visita do cretino...

    ResponderEliminar
  16. Kaos,
    acho que devias fazer a pergunta ao contrário.

    Como é possível um governo que tem um povo com um livro tão negro, já com páginas escritas a vermelho, ser capaz de escrever um livro branco?

    Não estará na altura de trocarmos de livro?
    Como diz o Henrique Santos é preciso começar a cortar-lhe os tentáculos... sem eles um polvo não serve para nada.

    ResponderEliminar
  17. A pessoa que assinou ricardo Zenner disse tudo.
    Sistematicamente desobedecer.

    Conto aqui um caso que soube há muitos anos atrás no sul dos EUA.
    Um supermercado tinha um dono que não contratava pretos.
    A comunidade local contratou um especialista em lidar com coisas deste tipo ligadas a área da discriminação, fosse de que tipo fosse.

    Este foi directo ao assunto.
    Contratou 200 pretos e deu- lhes como trabalho o seguinte: entrar no supermercado como cliente, andar lá dentro 10 minutos, ver tudo, comprar uma pastilha elástica ou algo do estilo e sair.
    A seguir entrava outro e assim sucessivamente.

    A existência de "pretos" a pairar no supermercado, começou a afastar os clientes regulares e a atacar as vendas da empresa.

    Ou seja, uma pressão sistemática.
    Regular, contínua. Sem contemplações; sem concessões

    Cá a mesma coisa.
    Apresentar reclamações sistematicamente junto, quer de serviços públicos quer de serviços privados.
    Apresentar reclamações por escrito para todos os lados que existem.

    Atacar sistematicamente o novo tratado europeu e exigir que exista referendo.
    Depois de existir data marcada, ir votar não.

    Boicotar eleições selectivamente.
    Criar blogs e sites em "rede" que façam pressão todos ao mesmo tempo.

    Atacar blogs ligados ao PS. Não os linkando, por exemplo.

    Fazer protestos escritos através de cartas dos leitores a jornais. Atacar junto de amigos, conhecidos, vizinhos tudo o que se está a passar e denunciar tudo o que se está a passar.
    Sistematicamente, organizando um esquema em que atrás de uns que protestam outros se seguirão.

    Por exemplo, enviar sistematicamente dia após dia com um horário protestos para sites ligados ao governo e PS.
    E presidente da república incluído.

    E tudo isto e mais uma série de outras coisas sistematicamente.
    Não parar com a pressão.

    Só assim funciona, porque esta gente só entende uma coisa: pressão e força.

    Mas pressão e força bem feitas.

    Ou seja,não permitir que existam tentativas de instrumentalização feitas por partidos políticos.

    ResponderEliminar
  18. indignado27/6/07 23:55

    Alves dos Reis era um menino de coro comparado com esta quadrilha.
    Agora até vão roubar o pouco que Marcelo Caetano deu aos trabalhadores:
    diuternidades
    dias e subsídios de férios.

    ResponderEliminar
  19. anónimo:
    Eu gosto muito de bacalhau, mas este da UE é peixe podre. Para nós, porque para eles, é só caviar.
    abraço

    ResponderEliminar
  20. Henry Potte:
    Será que ainda há socialistas no PS? Duvido que isso seja possivel. Qualquer socialista, mesmo o mais moderado ou Social-democrata já bateu com a porta.
    abraço

    ResponderEliminar
  21. Pat:
    Pode ser muito dificil, mas não há impossiveis. Se pararmos é que nada conseguimos.

    ResponderEliminar
  22. ...exactamente.
    Essencialmente por carta dos correios, e-mails podem ser eliminados massivamente.
    Cartas com papel de 120 gr/m2 ou mais, no mínimo quem recebe tem de pôr o carimbo.
    Os endereços, graças à globalização não são difíceis de obter.
    HUGH!!!!!

    ResponderEliminar
  23. Ricardo:
    Eu há muito que tenho algumas práticas anti Europeias. Não compro fruta estrangeira, recuso produtos europeus, mas isso não é suficiente. Só a rua e em força pode alterar a sutuação
    abraço

    ResponderEliminar
  24. Zé povinho:
    Aquela coisa é do mais liberal e capitalista que por aí anda. Um vómito com pernas.
    abraço

    ResponderEliminar
  25. venham mais cinco:
    Eles podem pensar que comem, mas a rua essa, quando arranca, ninguém a segura
    abraço

    ResponderEliminar
  26. Henrique Santos:
    Tem de ser os portugueses a fazer a revolta e evitar que alguns partidos,já conhecidos, tentem controla-las. Normalmente isso acaba por matar a revolta
    abraço

    ResponderEliminar
  27. Sarcastico:
    Também nunca deixei de ir votar. É um direito que tenho e não vou deixar de o utilizar. Muitas vezes o voto foi em branco, mas sempre lá fui. pena é que haja portugueses que olham para os partidos como clubes de futebol
    abraço

    ResponderEliminar
  28. henry pote:
    Esta democracia em que vivemo é falsa, por isso a luta contra ela é legitima.
    abraço

    ResponderEliminar
  29. Ricardo Ramalho:
    Não sei se vão parar por aí. É que a escravatura sai-lhes mais barato e cria negócio.
    abraço

    ResponderEliminar
  30. nuno:
    Entre esses que venha o diabo e escolha.
    abraço

    ResponderEliminar
  31. Contradições:
    Já lá vou ver mal acabe de responder aos comentários.
    abraço

    ResponderEliminar
  32. anonimo:
    O capitalismo acaba sempre por ultrapassar o aceitavel pelos povos e com isso por criar revoluções. Eu por mim, estou pronto.
    abraço

    ResponderEliminar
  33. luikki:
    Já vimos acontecer que estas "novidades" nunca aparecem sempre de uma só vez. Será que é desta que o povo entende da necessidade de fazer ouvir a sua voz?
    abraço

    ResponderEliminar
  34. watchdog:
    Qualquer dia? Vamos passar por eles não tarda nada.
    abraço

    ResponderEliminar
  35. Maria Lisboa:
    Gostei da tua ideia de trocar de livro. Eu por mim estou pronto e desejoso de lhes cortar os tentáculos, mas cuidado não vão eles ser uma medusa.
    bjs

    ResponderEliminar
  36. Pedro Silva:
    Dás boas ideias e mostras um rumo a seguir. Eu por mim já tenho como habito algumas das coisas que dizes, mas só juntos e em força podemos obter resultados.
    Estou nessa
    abraço

    ResponderEliminar
  37. Indignado:
    Estamos a voltar ao século XIX. Mas, ainda podemo impedir isso se sairmos para a rua em luta contra esta gente.
    abraço

    ResponderEliminar
  38. anonimo:
    Vamos então a isso. Eu estou pronto,
    abraço

    ResponderEliminar
  39. cartas...
    para mim o dia zero é 15 de JULHO, e em SETEMBRO não haverá carimbos suficientes...
    HUGH

    ResponderEliminar
  40. anonimo:
    Por mim comprometo-me já com 10 cartas por dia e muitos mails.
    abraço

    ResponderEliminar
  41. Kaos, há algum inconveniente em eu usar esta imagem para um post meu?

    ResponderEliminar
  42. quando começarem a comer merda talvez acordem!

    ResponderEliminar
  43. recusem-se a pagar impostos!!!!!!

    ResponderEliminar
  44. Recusar é muito complicado.
    O mais evidente é simplesmente não pagar!
    Até deixava de fumar, com o pó que lhes tenho!

    ResponderEliminar
  45. watchdog:
    Não há problema nenhum. Reafirmo que a politica deste blog é de espaço livre e publico. Tudo se pode fazer.
    abraço

    ResponderEliminar
  46. anonimo:
    Eles sabem que o povo tem o poder se o utilizar. Basta, como dizes não pagar impostos para tudo ruir. O pior é conseguir que todo o povo acerte o passo no mesmo momento.
    abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo