terça-feira, setembro 25, 2007

Loucos e teimosos

O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, que foi recebido ontem em Nova Iorque por um coro de protestos, afirmou que o Irão não precisa de armas nucleares nem se encaminha para uma guerra com os Estados Unidos. Devem compreender que não precisamos de uma bomba atómica. Que necessidade temos de uma bomba? É falso achar que o Irão e os Estados Unidos se encaminham para uma guerra. Porque dizem isso? Porque devíamos envolver-nos numa guerra?”. In “PJ

Se eu não tenho muitas razões para não acreditar no Bush, já provou que quando quer mente aos americanos e ao mundo, sem qualquer dificuldade, também não vejo porque hei-de acreditar no outro “santinho” vindo lá dos confins da Pérsia. Se haver por aí um louco à solta é perigoso, quando eles se multiplicam como cogumelos atómicos, com autorização americana, como são os casos de Israel, Índia e Paquistão, ou sem ela como no Irão e Coreia, bem podemos temer pelo futuro deste planeta.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

9 comentários:

  1. O planeta terra está cada vez mais perigoso, há muitos «loucos» com poderes!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Existe alguém rendido, no chão, a essas duas armas e que a imagem não mostra. Adivinhem quem é?

    ResponderEliminar
  4. Falta aqui o "cherne"!
    É evidente.


    Ugh

    ResponderEliminar
  5. Meu caro anónimo,

    é esse mesmo o cherne da questão!

    ResponderEliminar
  6. Caro Kaos, se na esmagadora maioria das suas opiniões reconheço um fundo de verdade, e mesmo uma acutilante visão das mais diversas peças de xadrez que compoem este nosso mundo, não posso, desta vez, deixar de lhe dizer que me parece que a sua opinião não revela a verdadeira face das coisas. Parece-me, (e vai desculpar) que está muito influenciado pela propaganda televisiva, que faz questão de denegrir povos soberanos, como o são o Irão, a Índia ou a Coreia. Faz parte do plano norte-americano classificar de "terroristas" e aparentados alguns destes povos (aqueles sobre os quais não tem influencia), junto da opinião pública mundial. Parece-me que não devemos generalizar, e classificar todos como "loucos atómicos". Não querendo defender o presidente iraniano (quem sou eu para tal...), acho que há um fundo de verdade nas suas palavras. Acho que, por princípio, ele não está interessado na guerra. Já o Bush...

    ResponderEliminar
  7. um está bom para o outro.
    juntos fariam um bom casal.

    ops! afinal o bush já é casado e o outro diz que não há gays no seu país...

    ai estas modernisses...


    abr...prof...

    ResponderEliminar
  8. Chamar louco ao homem só porque é feiote, tem barba e fala uma língua que já não se aprende por cá, é de facto cair no facilitismo das imagens "made by" CNN, Fox, Sky ou fábricas de enlatados cinematográficos. Independentemente do défice de liberdades individuais que pode existir num país governado, assumidamente, por uma lei religiosa levada à letra naquilo que tem de mais retrógrado, não podemos cair naquele facilitismo. A questão pode estar em se a energia nuclear deverá ou não ser uma opção - uma questão na ordem do dia para qualquer país, incluindo o nosso. De resto, não me parece que o Irão (que tem uma cultura interessantíssima e gente relativamente culta - veja os filmes do Kiarostami), apesar dos Ayatollah, pretenda atacar quem quer que seja. Parece-me, antes, que os EUA gostam de utilizar o Irão como pretexto para atacar o que lhes apetecer, de acordo com os interesses geoestratégicos das multinacionais que os governam.
    Habituei-me a ver aqui posts mais esclarecidos da sua parte, mas, enfim, toda a gente tem direito a momentos menos felizes!
    Continue.

    ResponderEliminar
  9. E os governos americano e britanicos ajudaram o Irão a tyransformar-se no que é. E a responsabilidade de la terem chegado os ayatollahs é deles.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo