quinta-feira, outubro 25, 2007

Putin - Live in Lisboa

Putin em Lisboa

Hoje e amanhã lá vamos ter de aturar o Putin cá por Lisboa. Mais um dia de transito condicionado, de policias e seguranças por todo o lado. Nunca mais acaba esta presidência portuguesa da União Europeia, para ver se temos paz cá pela terrinha. Mais um dia com muitos sorrisos, muitas palmadinhas nas costas, muitos discursos bonitos. Eu tinha cuidado, que nunca se sabe se a palmadinha não tem polónio radioactivo, é que eu neste Putin não confio nada, sobretudo se resolverem falar de liberdades e direitos humanos. Mas, claro que não vão falar disso para não aborrecer o senhor. Se fosse no tempo da União Soviética, seria o tema principal do debate, mas como ele controla a maioria da energia vinda de leste e de que a Europa tanto necessita, mais vale não o aborrecer. Eu não apertava a mão a esse filho de um Putin.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

5 comentários:

  1. Eles lá se entendem... afinal o que hoje é verdade, amanhã é mentira, e vice-versa.

    ResponderEliminar
  2. A Mim Me Parece25/10/07 19:53

    Caro Kaos:

    A qual dos filhos de putin é que não apertava a mão?

    ResponderEliminar
  3. "Estão fazendo de mim palhaço?" - acho que a frase era mais ou menos assim!


    http://fliscorno.blogspot.com/2007/10/subvencoes-vitalicias-dos-titulares-de.html

    ResponderEliminar
  4. Cadeira do poder:
    Por mais que se tente uma mentira nunca o deixará de ser...já a verdade

    a mim me parece:
    Nem aos que nos visitam nem aos que por cá se governam

    Maria Lisboa:
    Não é a ti, é a todos nós

    ResponderEliminar
  5. Pois é, mas a nível internacional ele tem criado condições de 'contra-poder' relativamente ao 'dito' ocidente. Hoje vislumbra-se (ainda vagamente) que se está criando um outro pólo de intervenção que contrabalance o mundo unipolar. E isto é obra de Putin.
    A nível interno, ele restabeleceu um nível de dignidade nacional a que os russos são muito sensíveis. Ainda ontem vi na TV um 'inquérito' de rua, em Moscovo, em que as pessoas respondiam que tinham as liberdades suficientes. Além de que, ao que parece, sob o ponto de vista económico e social, os avanços dos últimos anos são significativos. E quando o estômago se conforta, quem pensa em mais um nico de liberdade ou de direitos humanos? Porque encher a barriga é um dos mais importantes, ou não?
    Nuno

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo