sábado, julho 26, 2008

Aventuras de um Kadafi na Suiça

 O ditador

«A Líbia suspendeu todas as suas entregas de petróleo à Suíça e proibiu navios de bandeira suíça de atracarem nos seus portos, em protesto contra a prisão do filho do líder líbio Muamar Kadafi em Genebra, que foi detido pela polícia suíça por agredir duas empregadas domésticas nesta terça-feira em Genebra, tendo sido libertado logo depois do pagamento de uma fiança de meio milhão de francos suíços (312.500 euros).
A Líbia chamou de volta alguns dos seus diplomatas na Suíça, suspendeu a expedição de vistos para cidadãos suíços, reduziu o número de vôos para a Suíça e deteve dois cidadãos suíços sob várias acusações, informou ontem o chanceler da Suíça. A Líbia exige um pedido de desculpas do governo suíço pelo sucedido.»

Quando visitei a Suíça a ideia que me ficou é que até as vaquinhas que enfeitam a paisagem deviam estar pregadas ao chão para tudo estar equilibrado e perfeito. Nunca fui grande apreciador desse país nem do seu regime que considero demasiado rígido e até xenófobo em muitos casos. Neste caso tenho, no entanto de lhe dar razão e não me posso deixar de questionar como é possível existirem ditadores mundiais que se sentem no direito de impor a sua vontade e a sua lei a outros países. Exigem a impunidade dos seus familiares, a quem parece que devemos aceitar que cometam os crimes que desejarem, que violem as leis dos países onde estão e nada lhes aconteça. São filhos do Sr. Kadafi e por isso tudo lhes deve ser permitido.
A minha solução passava por todos os países protestassem violentamente contra a prepotência deste ditador, (ex-terrorista que agora se transformou num grande amigo dos governos ocidentais) e, olho por olho, tomassem medidas idênticas para a Líbia aquelas que esta está a tomar contra a Suíça. Estou farto desta gente que se considera dono do mundo e que pensa poder fazer o que deseja. Mandem-se todos à merda.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

7 comentários:

  1. Hoje em dia tudo é relativo. Quem não se sente defraudado, ou defreudado, depois de pagar um balúrdio por uma viagem de comboio entre duas cidades, tendo como paisagem fábricas de medicamentos, de chocolates, de componentes e coisas semelhantes?

    ResponderEliminar
  2. Olá

    Conheço o Muamar e conheço a Suiça. Que se desunhem uns com os outros. E, se o crianço vier a Portugal já sabe que pode dar porrada em quem lhe apetecer, desde que o papá nos faça 0,0093 % de desconto na litrada. Visto isso e os factos - arquive-se.

    Só passei por aqui para saber como vão as coisas. Oxalá tudo corra sobre esferas.
    Mas… já agora, aqui vai:

    1)SANGUE & SEXO
    Não te esqueças de comprar o
    me(a)u livro e de passar esta mensagem à tua seita. Dele disseram há poucos dias que era «sangue & sexo, mas muito bem escrito»… Disseram…;

    2)PONTO DE ENCONTRO
    Acompanha o Travessa pois vou acelerar os trabalhos. Já há interessados em Angola, Moçambique e Cabo Verde. E, vê lá, no Senegal;

    3)IMEILE
    Sou chatérrimo! Repito o pedido: manda-me o teu. O meu é (outra vez?) ferreihenrique@gmail.com
    travessadoferreira.blogspot.com

    Abração

    ResponderEliminar
  3. Empregos domésticos na terra dos relógios, dos canivetes, dos medicamentos, dos chocolates, não faltam, assim como clínicas de desintoxicação na neve. E Bancos. Os empregados domésticos tiveram uma grande desilusão com a selecção, a mudança de equipa para o jogo com a Suiça foi dramática.

    ResponderEliminar
  4. As autoridades suiças agiram, estou certo, conforme e Lei. Mas, sinais dos tempos, não ficarei surpreendido se cederem às exigências do terrorista Muamar Kadaf e enviarem um qualquer ministro lamber os pés ao ditador. Ao que chegámos!!!

    ResponderEliminar
  5. Isto processa-se da seguinte forma: na grande maioria do mundo árabe/islâmico mima-se os filhos o máximo possível isto porque, depois os mesmos sentem-se moralmente obrigados a ajudar os pais na velhice. Daí ter acontecido o que aconteceu, não passou de um investimento a longo prazo.

    ResponderEliminar
  6. Este Kadafi não passa dum sacana que tem no petróleo a sua arma de arremesso e que lhe sustenta a ditadura. Pena é que países!!!! ocidentais!!! lhe dêm atenção e o tratem como se ele fosse o bichinho de estimação lá de casa.

    Das únicas coisas que o dito tinha/tem menos más é/era o seu total desprezo aos USA's e suas políticas de neo-colonização mundial, de resto não passa dum salafrário cheio de dinheiro.

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Esste texto, representa bem a Suíça que eu conheço. Aqui temos muitas contradições, coisas boas e ruins. Por isso nosso Blog. Estamos fazendo várias matérias críticas e curiosas no novo Blog "Coisas da Suíça" para informar a todos os falantes da língua Portuguesa sobre os acontecimentos na Suíça. Temas atuais e bem humorados do cotidiano Suíço, curiosidades sobre este país e muito mais.
    Por exemplo: Berna lembra noite dos cristais, onde judeus foram massacrados em http://coisasdasuica.swissinfo.ch/?p=354
    Confiram!
    http://coisasdasuica.swissinfo.ch
    Alexandre Maestrini
    Colaborador Swissinfo

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo