quinta-feira, maio 28, 2009

Outdoors cá do Jardim - Ilda Figueiredo

Outdoors

O que disse ontem para o BE posso dizer para o PCP. Acreditam que podem mudar por dentro as políticas de Portugal e da Europa. Sabem que o sistema está viciado, sabem que nunca os deixarão ser poder, mas continuam lá sentados a dizer que lá querem estar sentados e que é bom que haja lá cadeiras para se sentarem. Podem trabalhar mais, podem contestar muito daquilo que o Neoliberalismo deseja fazer, mas sempre sem a força para impedir que o façam. Ao fazerem-no acabam por legitimar essas instituições e a falsa democracia em que vivemos, ao aceitarem fazer parte da elite que nos diz o que devemos pensar e como devemos pensar. Revolução ou involução na companhia dos senhores do poder?

40 comentários:

  1. poço? ou posso? ;)

    ResponderEliminar
  2. Ó Kaos, então temos razão. Na completa inutilidade que são os votos brancos e/ou nulos, por não se expressarem em cadeiras vazias na casa das parlamentações, o melhor é usar o não voto, isto é, aquilo que verdadeiramente os assusta, a abstenção. Sempre gostava de ver o que aconteceria se 70% de abstenções não pusessem lá os pés...

    ResponderEliminar
  3. Se acontecesse 70% de abstenção o que é que acontecia?

    ehehehehehehehehe

    Que pergunta mais ingénua.

    Partindo do pressuposto que a maioria dos 30% votantes o fazia nos partidos da situação, no poder continuariam os que lá estão?

    Tem alguma dúvida?

    Ehehehehehehehehehehe

    Para aqueles que julgam que 70% de abstenção faria qualquer coisa, haveria uns comentadores a falar mal da forma como se faz a política, uns Prós e Contra sobre a forma de atrair os eleitores para a votação, mais umas balelas já muito conhecidas e no poder continuariam cantando e rindo o que lá estão.

    Ainda não percebeu?

    Ehehehehehehehehe.


    Os que dominam o poder não temem a abstenção, meta isso na cabeça, isso não os tira de lá!

    O que temem é a luta organizada. Luta levada até ao voto também!

    Percebeu?

    ResponderEliminar
  4. zé do boné28/5/09 18:52

    -É impressionante!-ao ponto à que chega o delírio e a estupidez de certa gente...eu muito sinceramente penso que quem a sim se porta e diz o qu8e diz não pode ser de maneira nenhuma gente de esquerda.
    -Que estupidez.

    ResponderEliminar
  5. Um admirador28/5/09 21:30

    Muito mal se trata a língua portuguesa neste sítio. Não são só os comentaristas. Mas esses não têm culpa de não terem completado o ensino obrigatório. O Kaos é que admira. É um indivíduo genial a fazer bonecos, e com uma invejável cultura. Poucos têm uma criatividade tão apurada. Mas é teimoso como uma besta.

    Algumas vezes dá erros crassos, nem sempre, e mesmo depois de lhe chamarem atenção para o facto, não tem a humildade de corrigir o erro. E isto acontece sempre. Será que não sabe corrigir os erros no blogue. Será pura teimosia? Então o que é? Imaginem este homem no poder, quem é que o conseguia vergar. E ainda ele critica os nossos políticos com tiques ditatoriais.

    ResponderEliminar
  6. Há bocado recebi o texto abaixo. Será verdade?

    "NUnca fiz campanha mas este ano não posso resistir...

    "ATÃO" VAMOS À MINHA CAMPANHA

    PENSA SE QUERES CONTINUAR A SER COMANDADO/A POR ESTES POLÍTICOS

    Se não sabes em quem votar nas próximas eleições, vale a pena saber algo sobre o
    voto em BRANCO
    O voto em branco é um protesto válido. Quer dizer que o eleitor não está satisfeito com a proposta de nenhum candidato e se recusa a escolher qualquer dos candidatos que se apresentam às eleições. Este tipo de voto é importante, pois permite que o eleitor manifeste a sua insatisfação. Ao contrário do que parece, é um voto válido. Ninguém fala dele, nem mesmo nas instruções para a votação. Ao contrário da abstenção, o VOTO em BRANCO retira percentagem (%) aos resultados finais apurados.
    Nenhum politico fala disto porquê?
    Porque se a maioria da votação (50 %) for de votos em branco eles são obrigados a anular as eleições e fazer novas, mas com outras pessoas diferentes nas listas.Imaginem só a bronca :::::))))

    A legislação eleitoral tem esta opção para correr com quem não nos agrada, mas ninguém fala disso.
    Não votes no MAL MENOR. Se não te revês nas propostas/candidatos/Partidos que se apresentam às eleições, cumpre o teu dever cívico e vai votar, mas

    VOTA EM BRANCO ...!!!
    A maioria de votos em BRANCO anula as eleições...!!!"

    ResponderEliminar
  7. Por acaso acho que percebi. Há muito tempo. Que é com luta. Onde quer que seja mas com luta. Organizada, pois claro. Mas, já agora, uma vez que a luta também passa pelo voto, será que me podia ajudar e dizer em quem votar? Ou é segredo?

    ResponderEliminar
  8. Anonino 1:
    Tens toda a razão. É o mal de fazer tudo a correr

    Anónimo 2:
    Já votei várias vezes em branco e acabam sempre por juntar esses voitos com os votos nulos desvalorizando o seu sentido. Uma abstenção grande vai acabar por deixar tudo na mesma mas pelo menos a sua representatividade poderá sempre ser colocada em causa.

    Anonimo 3:
    Percebi muito bem e se queres saber naõ acredito que estar menos um deputado do PS ou menos um do PSD ou mais um do PC ou do BE venha a alterar nada. O parlamento continuará a servir para caucionar as politicas neo liberais da Europa e para nos fazer crer que vivemos numa verdadeira democracia. A abstenção não vai alterar nada, a não ser mostrar que aquela gente não tem legitimidade para falar em nosso nome, mas o votar num ou noutro também não os tira de lá. Só a ruptura comn a UR o pode fazer.

    Zé do Boné:
    Concordo plenamente contigo, "É impressionante!-ao ponto à que chega o delírio e a estupidez de certa gente". Mas que posso fazer, há quem continue a acreditar que vai mudar o mundo sentado mais um ou menos um deputado no parlamento eutopeu. "Que estupidez"

    Um admirador:
    Tens toda a razão quando dizes que se trata mal o portugues por aqui. Escrever nunca foi o meu forte e também nunca me pareceu que seja o escrever bem o mais importante. Acredito que é mais importante o que se diz de que como se diz.
    Quanto ao não corrigir os erros que me apontam não é uma verdade. O que se passa é que não poSSo vir ao blog a toda a hora e muitas vezes, só ao fim do dia o posso fazer. É verdade que sou teimoso, mas procuro fazer o melhor que me é possivel o que nem sempre é fácil. As minhas desculpas pelos erros, mas fazem parte daquilo que sou.

    Elaloica:
    O voto em Branco é um voto de protesto, mas esta canalha que nos governa e os seus criados que nos vendem a informação acabam sempre por escondê-los por detrás dos nulos. Já foi esse o meui sentido de voto muitas vezes, mas nesta eleição será a primeira em que me vou abster de votar como forma de protesto.

    Anonimo:
    já o disse anteriormente que nestas eleições apoio o POUS por defender a proibição dos despedimentos e a ruptura com a União Europeia. Mesmo assim coloco a hipotese de não votar para não dar legitimidade a um Parlamento Europeu que só serve para tapar o facto que esta Europa não é democrática. Este parlamento não tem qualquer poder de fazer leis e quem realmente manda, O Banco, a Comissão, o Tribual, europeus e os senhores do grande capital não são eleitos. Recuso votar na mentira

    ResponderEliminar
  9. Zé Leitão28/5/09 23:49

    legitimidade meus caros. Uma grande abstenção ou um número significativo de votos em branco somados à abstenção vai fazer a diferença. Essa diferença poderá não ser devidamente posta em evidência na comunicação social, mas os políticos sentir-se-ão muito desconfortáveis, disso eu tenho a certeza.Nada será como antes. Apesar de que, de acordo com a lei o conta são os votos expressos, existe uma coisa que se chama legitimidade de execício. E essa, os políticos não a terão se a abstenção for elevada. Ou os votos em branco forem em número significativo.

    ResponderEliminar
  10. De facto, é impressionante até onde chega o delírio e a estupidez do zé do boné!

    Que ignorância. Ao menos podia interrogar-se sobre a legitimidade do poder real.

    Mas a estupidez não lhe permite ver mais que o poder formal.

    Kaos:

    É isso mesmo, no caso concreto o seu delírio e estupidez, que só teria como resultado o reforço do poder dos que lá estão e, de forma alguma, querem que se vote naqueles em quem o Kaos também diz que é inútil votar.

    As palavras podem ser diferentes, mas a coincidência de posições é real.

    ResponderEliminar
  11. Que admirador tão burro

    ResponderEliminar
  12. O que é que querem os que defendem uma abstenção de 70%?

    Nada, querem que fique tudo na mesma.

    Porque se houvesse força para "provocar" uma tal abstenção, porque razão se deveria ficar por aí?

    Porque é que não se correria com as forças que dominam o poder e se dava a volta completa à situação?

    Porque não é isso o que querem. Têm medo. Lá continuar o bloco central é que lhes dá sossego.

    ResponderEliminar
  13. Quero aqui deixar claro que não critico ninguém por votar onde desejar e que ficarei satisfeito se a esquerda aumentar a sua votação e eleger mais deputados. Não que acredite que isso vá alterar grande coisa, mas podermos ter mais alguma esperança. Quem sabe eu esteja errado e tudo mude para melhor. Isso em nada altera que eu também possa ter a minha opinião e que aqui a expresse. Como disse ou vou votar POUS ou então abster-me pelas razões que já expliquei. É um direito que tenho e que vou utilizar como desejar.
    O ultimo anónimo disse algo de importante. Não que deseje que tudo fique na mesma, mas a pergunta que fez sobre porque haveríamos de ficar satisfeitos só porque a abstenção é grande. Porque não continuamos a partir dai e vamos até ao fim, correndo com aquela gente. Realmente não vejo porque não se pode ir por aí se para isso houver vontade. Há?

    ResponderEliminar
  14. zé do boné29/5/09 18:39

    "Mas que posso fazer, há quem continue a acreditar que vai mudar o mundo sentado mais um ou menos um deputado no parlamento eutopeu."
    -eheheh- Kaos, desculpa lá, mas tu és mesmo casmurro, pá..ninguém aqui pensa que por meter mais um ou mesmo dois dep. no parl. vai mudar o mundo vai é sim meter um pauzinho na engrenagem...Ou tu compreendes isto ou então, não entendes nada de luta politica revolucionaria...

    ResponderEliminar
  15. Zé do Boné:
    O que se passa é que esta parlamento e esta europa até necessita dos pauzinhos para poder justificar a sua existência. Comigo não contam

    ResponderEliminar
  16. zé do boné29/5/09 19:38

    -Tu és um pandego ó Kaos.
    -Então tu pensas que se os comunistas e outro democratas que não concordam com esta UE neoliberal e militarista chauvinista e cada vez mais pró-fascista não concorressem às eleições europeias e a concorrerem, não ocupassem os seus lugares para ai lutarem e fazerem chegar a voz daqueles que não aceitam esta UE para ai poderem travar como muitas das vezes tem acontecido as investidas dos partidos representantes das burguesias europeias...etc & tal Esta Europa ou esta UE já não existia?Explica lá a tua visão das coisas? -Eu vou ter de me ausentar mas voltarei a "vaca fria"

    ResponderEliminar
  17. ó zé leitão !!! liberdade de exercício é ??? ahahahahahahah é pá mete isso no cu que isso não assusta ninguém !

    O analfa do Kaos é contra revolucionário além de pateta e o resto é conversa !!

    ResponderEliminar
  18. Chiça!, no meio de tanto anonimato até eu próprio já tenho dificuldade em encontrar o meu. Mas se calhar já há razões para procedermos assim. Eu tenho-as.
    Bem, e não é verdade que por praticar o não voto, isto é, por me abster, isso signifique que o que eu queira seja a continuação do BC - Bloco Central que verdadeiramente é quem tem governado desde há 80 anos - 50 anos do pai manholas e o resto dos filhos e dos netos. Sou duma região onde no último acto, ao ti Jaquim e à ti Maria, já próximo do fecho da urna, foi dito, pelo capitão da mesa "podem ir descansados, antes que se esquecessem já votámos por vocemecês...". Acha o anónimo que quero isto? Não. Não quero. Mas faço-lhe um desafio: quando souber o dia de os ir afogar no Tejo avise-me, estarei ao seu lado no Cais das Colunas.

    ResponderEliminar
  19. zé do boné29/5/09 23:54

    -Desculpa lá Zé leitão, mas em democracia mesmo burguesa o que conta são os votos válidos o resto é treta...
    -O abstencionista na sua imensa maioria - é por natureza um individuo, a quem um dia alguém chamou o (idiota "feliz")- que pensa - se é que pensa??? que não vale a pena são todos iguais & tal & coisa... são do tipo de pessoas que estão à espera que os outros façam qualquer coisinha por eles julgam estes "idiotas" que nada tem de fazer que não têm de participar na vida social e politica do país - Por tanto os políticos burgueses adoram esta gente...e fabricam-nos às resmas...
    -Os votos em branco...bem, esses eu considero que, ou são gente que está em vésperas de formar um novo partido ou movimento ou navegam numa de "prefundis valsa lenta"
    As transformações fazem-se com participação, com luta, não se justifica nem a abstenção nem o voto em branco vivemos numa democracia, imperfeita, é verdade! burguesa também! mas numa democracia.
    -Para mudar as coisas à que ir às urnas, e votar bem que cada um o faça por si. Eu vou, e vou votar CDU.
    -Bom fim de semana a todos.

    ResponderEliminar
  20. Viva a democracia, seja ela burguesa, seja ela a forma de opressão encontrada pelo grande capital para calar o povo, seja ela a maior mentira do momento. Os revolucionários de ontem aburguesam-se e aceitam participar no jogo em troca de algumas mordomias e o povo que se lixe. A democracia tem de ser o poder do povo, tem de ser a sua vontade em cada acto da administração e não ser transformado em gado a quem dão a escolher entre vários iguais de 4 em 4 anos. Já basta de hipocrisia e mentira. Gostam do regime? É isto que querem para democracia? Se é digam-no que eu saio do jogo e vou viver para um escondido recanto fora desta merda toda. Eu acredito no homem e na sua capacidade de determinar o seu futuro. Que o grande capital nos queira conduzir como se de gado se tratasse eu compreendo, mas que quem se diz revolucionário pactuar com isso já não. Ruptura com o sistema burguês já! Ruptura com a mentira já! Ruptura com a UE Já! Não querem, preferem viver numa democracia com dias marcados e festas anuais? Fiquem com elas que eu não participo mais nessa merda

    ResponderEliminar
  21. Zé Leitão30/5/09 00:58

    Não Zé do Boné. Os votos contam para legitimar quem ascende ao poder. De acordo com a lei.
    Mas os pilares do Estado, da sua governação, assentam em dois tipos de legitimidade, a de Poder e a de Exercício. A legitimidade de poder é conseguida, de acordo com a nossa lei( e de acordo com a maioria dos estados onde há eleições), através de eleições. Neste caso não interessa se a abstenção é elevada ou não ou se há muitos votos brancos ou não. Mas depois vem a legitimidade de exercício. E essa pia mais fino.A legitimidade de exercício significa que quem tem o poder NÃO pode fazer aquilo que lhe apetece ou lhe dá na real gana. Está nos livros e quase TODOS os políticos sabem disso. E aqueles que não sabem têm um qualquer boy que rapidamente lhes lembrará isso mesmo. Assim, se um político é eleito contando apenas os votos expressos e esses votos forem um minúscula percentagem de TODOS os eleitores inscritos ou eleitores com capacidade para votar,terá a legitimidade de poder mas NÃO terá a legitimidade de exercício.
    Um exemplo muito concreto de uma situação de perda da legitimidade de execício foi o caso da ascensão ao poder de Hitler. Hitler GANHOU as eleições na Alemanha e por isso assumiu as responsabilidades da governação, mas.....rapidamente perdeu a legitimidade de execício por ter provocado uma guerra Mundial. No nosso tempo para ter legitimidade de exercício, quem ganha tem que ter as "costas bem quentes" com uma afluência às urnas clara e enequívoca da grande maioria da população. A pouca afluência às urnas é uma das causas decisivas do afastamaento entre políticos e eleitores. Pudera, os eleitos são escolhidos afinal por meia dúzia. Isto é meio caminho andado para a perda TOTAL da legitimidade de exercício do poder.
    Sobretudo um político NUNCA poderá dizer(como eu já ouvi ao socretino), que tem "um mandato claro dos portugueses". NÃO TEM. E como não tem há decisões que ele não pode tomar.
    A consequência da perda da legitimidade de exercício do poder é a REVOLUÇÃO.

    ResponderEliminar
  22. o zé leitão está maluco da cuca coitado...o sócas está-se cagando para ti e para o tal exercício de poder...vai lá explicar-lhe isso que ele dá-te um peido na cara.

    ResponderEliminar
  23. Zé Leitão30/5/09 14:10

    Quando ele me der um peido na cara, eu faço como o Bocage. "Minhas senhoras e meus senhores, o peido que o Sócas deu, não foi ele fui eu"

    ResponderEliminar
  24. Vivemos em sociedade;
    Devemos exercer os nossos direitos, pois quando não os exercemos é meio caminho para os perder;
    Existe muita diferença em votar em branco, ou abstenção... abstenção será invocada como comodismo, e falta de cidadania... votar em branco, será sinonimo de descrença no sistema que vigora.
    Eu pessoalmente vou exercer o meu voto, pois sei quem me representa... e o que fazem para me representar

    ResponderEliminar
  25. E sabes porquê Kaos? Porque há pessoas com Ilda Figueiredo que não se cansam de lutar, mesmo quando as condições são as mais adversas.

    E essas pessoas são as que realmente merecem a confiança dos portugueses.

    Comparar Ilda a Miguel Portas é ridículo. Miguel Portas vive para o seu blogue e tem uma das piores prestações no Parlamento Europeu (quase que se contam pelos dedos as suas intervenções).

    Ilda tem mais de 700 intervenções e 300 perguntas. Ela concerteza que não brinca em serviço, e a prová-lo está não só esse trabalho como as manhãs frias em que a vi à prota das empresas em solidariedade com trabalhadores, por exemplo.

    Estão no mesmo grupo parlamentar europeu, mas a anos luz de distância.

    ResponderEliminar
  26. David:
    E conseguiu a Ilda evitar a politica neo-liberal e capitalista da Europa? Vai cabar com ela? Não, acaba simplesmente por a legitimar com a sua presença. Vamos dizer não a esta Europa recusando participar nas suas mentiras. De tanto trabalhar no Parlamento ainda acaba por receber uma medalha do Durão barrosos

    ResponderEliminar
  27. zé do boné1/6/09 19:05

    -Kaos, se tu não existisses tinhas que ser inventado...és uma anedota. Então a Ilda não acabou com a politica neoliberal da UE-É verdade não acabou. E sabes porquê?
    -Fez a sua obrigação como deputada ela e o Pedro Guerreiro denunciaram e combateram essa politica...Fizeram o que estava ao seu alcance para evitar que as politicas da comissão e dos restantes federalista e afins tornassem ainda mais nefasta as medidas politicas e económicas que desejavam implementar...mas tu és inconsequente e contraditório então a Ilda não acabou mas a Carmelinda do POUS que tu dizes apoiar caso seja eleita, chega lá e pom,pom.catraPom... acaba com aquela merda, em menos tempo que o diabo esfrega um olho. eheheheheh é pá tu é que um destes dias recebes uma medalha do teu camarada durão burroso ele quando militava no mrpom.pom também votava discurso igualzinho ao teu...Estás atrasado uns trinta anitos pelo menos... eheheheheh
    Olha o grande enducador das ma$$a$... o novo arnaldo dos patos:) KAOS, de seu nome. Obreiro da grande revolução da treta e da peta..o gajo, que vai a frente no assalto ao palácio de verão do cavacão e seus aliados. Saiam da frente e deixem passar o Kaos mais a Carmelinda, que eles é que são os verdadeiro "artistasrevolucionarios" da rádio tvs e disco e da net pirata.

    ResponderEliminar
  28. Oh Zé do Boné! Nem eu nem a Carmelinda aceutamos fazer parte da mistificação que é esta União Europeia e os eu Parlamento. Acredito que a Ilda tenha reclamado, feito propostas, refilado, mas tudo isso tem como resultado um enorme zero. Eles só a deixam lá estar para legitimarem as suas politicas capitalistas e porque sabem que ela nada pode fazer para o evitar. Aceitar fazer parte da mistificação é colaborar com eles. Recuso-me a fazer parte dessa mentira.

    ResponderEliminar
  29. zé do boné1/6/09 23:34

    -Agora é que tu me quilhastes.- a Drª Carmelinda, não aceita fazer parte daquela coisa, mas é candidata a coisa.... Brilhante
    faz lembrar o outro que se chamava António Merda, e queria mudar de nome...quando isso lhe foi possível esconheu chamar-se Joaquim Merda.

    ResponderEliminar
  30. Zezinho do boné:
    O que te quilha não sou eu, és mesmo tu porque não ouves nes vês para além do que queres ouvir e ver. A Carmelinda em nenhum momento desta campanha pediu o voto de ninguém porque a sua intensão nunca foi o de ser eleita. O trabalho que faz é politico e em defesa do que considera justo. Outros há que procuram lugares

    ResponderEliminar
  31. O penetra2/6/09 11:05

    Considerações do poder sobre a abstenção: -Ainda bem que temos um povo descolhoado, assim não corremos o risco de que nos expulsem.
    Ruptura com a europa?? Quem a vai fazer, os absentistas?? Com base em??
    Um ajuntamento de charoleses, ditadorzecos da treta, que o unico que conseguem é segmentar a união de 4 ou 5 cidadãos que poderiam decidir ganhar coragem para reclamar com o voto o roubo do qual são victimas.
    O resto é polémica da treta para satisfação do ego magulhado de um neurótico sem diagnosticar.

    ResponderEliminar
  32. zé do boné2/6/09 11:11

    -Kaos o que afirmas sobre a dona Carmelinda e o seu Pous de estimação, mais se parece com a fábula da raposa...são verdes não prestam...ora,ora Kaos, deixa-te de tangas que para esse peditório o pessoal já deu. Além disso essa dos lugares foi chão que deu uvas, para o PC/CDU os lugares são de luta e resistência já te expliquei que na luta politica pela transformação da sociedade nos devemos servir de todas as oportunidades para desenvolvermos a luta e a consciência politica das pessoas...os lugares são como -Testas de Ponte- tal com um exercito em combate.

    ResponderEliminar
  33. penetra e Zé do Bone:
    Espero sinceramente que usem bem o vosso voto e que consigam os vossos objectivos com ele. Eu, para esse peditório já dei e já me arrependi

    ResponderEliminar
  34. zé do boné2/6/09 17:30

    -Para não dizeres que falei de flores-
    -tu kaos és assim como "revolucionário de bancada" mandas muitos bitaites mas de acção politica népia ...ficas sempre à espera que aconteça.
    "Bem vamos embora que esperar não é fazer, quem sabe faz a hora não espera acontecer "
    Esta inclui a resposta à outra da marcha. Vê se encaixas

    ResponderEliminar
  35. O ditador da buraca2/6/09 20:04

    tenho cabedal para aguentar o que vier, por isso não voto, os meus filhos também aguentam o que sair das eleições, e a minha mulher também (o que não sei é se voltar o direito de pernada), eu é que não dou mais para esse peditório.

    ResponderEliminar
  36. Como diz a Ilda, lá se fazem cá se pagam e ela faz muito. Posso ser revolucionario de bancada, mas não aplaudo os que metem autogolos

    ResponderEliminar
  37. zé do boné2/6/09 22:07

    Em especial quando o autor és tu!

    ResponderEliminar
  38. zé do boné2/6/09 22:53

    Para o ditador da buraca: Não tens problema pá, outros escolherão por ti.
    -E comerás o que te deitarem no prato.

    ResponderEliminar
  39. [url=http://kaufencialisgenerikade.com/]cialis[/url] preise cialis
    [url=http://acquistocialisgenericoit.com/]cialis[/url] cialis senza ricetta
    [url=http://comprarcialisgenericoes.com/]precio cialis[/url] comprar cialis por internet
    [url=http://achatcialisgeneriquefr.com/]cialis generique[/url] acheter cialis generique

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo