terça-feira, fevereiro 16, 2010

Cnde anda este Senhor? Não tem nada a dizer?

 escondido

5 comentários:

  1. Esse senhor está na sua casa de praia no Algarve a passar o Carnaval.
    Julgava o quê? ;-)

    ResponderEliminar
  2. Gaita! Ainda bem que não somos uma monarquia! Imaginem só o que era, termos como Chefe de Estado uma figura decorativa! Uf!

    ResponderEliminar
  3. Aposto com quem quiser que o cavaco vai dizer algo como:
    "...não é oportuno, neste momento comentar...blá blá blá..."
    Já mete nojo! Como é que este gajo chegou a PR?!! Não se admirem daqui a uns anos, quando os burros dos portugueses já estiverem esquecidos, que o Socras chegue a PR...podem escrever isto...esperem para ver!

    ResponderEliminar
  4. Este senhor procede como sempre procedeu e nem tem responsabilidade de o terem escolhido para Presidente. Aliás, o mesmo se passa com Alberto João Jardim e Sócrates...e, já agora, com os católicos( a outro nível, claro)que continuam a seguir uma instituição sexista e repressora.

    Para isso , existe o livre arbítrio, não é?


    Pena é que as consequências sobrem para toda a gente, mas assim é a DEmocracia.Que apesar dos seus defeitos grandes é preferível a uma qualquer ditadura.

    Saudações

    ResponderEliminar
  5. Caro
    Kaos,
    Cavaco Silva anda naturalmente a tratar da sua vidinha, o que é que ele tem feito senão isso???
    Deu há poucos minutos na RTP 1, uma reportagem sobre jovens licenciados que não encontram trabalho após o termo das licenciaturas, inclusive, havia uma jovem até com um mestrado que a sua "profissão" actual era dar de comer às galinhas e aos coelhos na quinta dos pais.
    Bom, não há duvidas que Portugal é um país rico, riquíssimo direi eu, outra jovem dizia que lhe tinham oferecido 500 euros por mês para andar aí pelo país fora com a condição de ter viatura própria e ainda dominar o inglês e o espanhol.
    Outros foram estagiar para uma televisão da Estremadura espanhola mas não só não ganhavam nada como ainda ao fim de um tempo eram postos a andar, tendo uma funcionária dessa estação dito, que em menos de três anos tinham por lá passado pelo menos 15 pessoas nessas condições.
    Não há duvida que somos mesmo bons e ainda por cima trabalhamos barato.
    Aliás, a nova "galinha dos ovos de ouro" para certas empresas é o disporem de mão-de-obra de borla, colocam estagiários a fazer o papel de funcionários e pagam-lhes zero, ou seja, esta é mais uma das novas formas de exploração, isto só podia acontecer numa "democracia respeitável" como a nossa, está bem de ver.
    Claro, que os nossos queridos governantes não tem nada a ver com isso, claro que são pessoas de uma respeitabilidade acima de todas as dúvidas, claro que até se "preocupam" imenso com os portugueses, claro que a sua "desmesurada" preocupação connosco levou-nos ao quase estado de inanição em que nos encontramos, claro que o que não foram capazes de fazer até agora, ou seja, a recuperação da Economia do país, agora vão conseguir esse milagre, claro que se o povo português não fosse parvo não votava em nenhumas dessas majestades de polichinelo e não ia atrás de cantigas falsas.
    É por isso e muito mais, que é cada vez mais díficil a um jovem licenciado ou não arranjar emprego.
    Agora vou-vos fazer inveja, eu como costumo dizer, tenho pouco mais que a antiga 4ª classe, apenas um simples curso industrial (um daqueles que o Salazar criou para os filhos dos operários, segundo os bem pensantes cá da paróquia), quando acabei o curso com pouco mais de dezassete anos, o meu pai deu-me a escolher ou continuava a estudar ou arranjava emprego, como queria ganhar dinheiro decidi ir trabalhar, pois bem, o meu progenitor deu-me três meses par arranjar emprego isto no princípio de Outubro de 1968, procurei fui de porta em porta, sabem quantas ofertas de emprego tive ao fim de 2 meses???
    Nada mais nada menos do que 8, a 11 de Dezembro desse ano iniciava a minha vida profissional com um ordenadito que dava para comer, vestir e calçar, em fins de Março do ano seguinte, ou seja 6 meses após o ínicio da procura de trabalho, já contabilizava 14 ofertas, caro que optei pela que me pareceu mais interessante, nessas proposta tive 2 que até os jovens engenheiros de hoje ficariam todos roídinhos de inveja.
    Moral da "estória", porque que é que era fácil arranjar emprego nessa época? Porque a Economia estava a crescer ao contrário de hoje, havia uma diversidade de cursos a sério - e não como agora, que são mais para passar o tempo - que habilitavam uma preparação profissional que permitia a quem quisesse trabalhar, arranjar emprego facilmente, e não era preciso ser-se doutor ou engenheiro para se vencer na vida.
    Agora, como é que há-de haver emprego para jovens licenciados se apenas se constroem hipermercados e centros comerciais que consomem quase exclusivamente produtos estrangeiros?
    Aonde estão a industria, a agricultura as pescas e outros sectores produtivos, esses sim, criadores de trabalho para licenciados e outros graus de instrução???
    Em lado nenhum, agora como diz o outro "compra-se tudo feito" é tudo importado, e é assim que querem arranjar empregos???
    Cumprimentos.

    LUSITANO

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo