sexta-feira, julho 29, 2011

Ele há sacrifícios e sacrifícios


João Bosco Mota Amaral foi substituído por Manuela Ferreira Leite no cargo de chanceler das Ordens Nacionais, três meses depois de ter tomado posse do cargo, em conflito com o Presidente da República. "Saio por razões pessoais e políticas."
Talvez por isso a AR resolveu dar-le uma mãozinha e Assunção Esteves mandou publicar o seguinte despacho:
"Despacho n.º 1/XII — Relativo à atribuição ao ex-Presidente da Assembleia da República Mota Amaral de um gabinete próprio, com a afectação de uma secretária e de um motorista do quadro de pessoal da Assembleia da República.
Ao abrigo do disposto no artigo 13.º da Lei de Organização e Funcionamento dos Serviços da Assembleia da República (LOFAR), publicada em anexo à Lei n.º 28/2003, de 30 de Julho, e do n.º 8, alínea a), do artigo 1.º da Resolução da Assembleia da República n.º 57/2004, de 6 de Agosto, alterada pela Resolução da Assembleia da República n.º 12/2007, de 20 de Março, determino o seguinte:
a) Atribuir ao Sr. Deputado João Bosco Mota Amaral, que foi Presidente da Assembleia da República na IX Legislatura, gabinete próprio no andar nobre do Palácio de São Bento;
b) Afectar a tal gabinete as salas n.º 5001, para o ex-Presidente da Assembleia da República, e n.º 5003, para a sua secretária;
c) Destacar para o desempenho desta função a funcionária do quadro da Assembleia da República, com a categoria de assessora parlamentar, Dr.a Anabela Fernandes Simão;
d) Atribuir a viatura BMW, modelo 320, com a matrícula 86-GU-77, para uso pessoal do ex-Presidente da Assembleia da República;
e) Encarregar da mesma viatura o funcionário do quadro de pessoal da Assembleia da República, com a qualificação de motorista, Sr. João Jorge Lopes Gueidão;
Palácio de São Bento, 21 de Junho de 2011
A Presidente da Assembleia da República, Maria da Assunção Esteves.
Publicado
DAR II Série-E — Número 1

Austeridade e sacrifícios é o que nos pedem e dizem ser inevitável, mas para eles, para os poderosos e políticos as regalias e a boa vida são intocáveis. Não há impostos ou restrições que lhes toque e o Sr. Silva, com os seus 17 milhões para a Presidência da Republica, que o diga.

7 comentários:

  1. só os tachos não são de ocupação livre...vão sempre para os mesmos.
    agora vem ai a venda livre de electricidade e gás natural vai ser bonito vai

    ResponderEliminar
  2. Excelente. Oportuno como sempre, independentemente de ideologias e preferências.
    De Luanda durante algum tempo, com os meus cumprimentos e felicitações..

    ResponderEliminar
  3. O mal desta merda é que fazem estas e outras na nossa cara sem qualquer tipo de reacção(*) da nossa parte, o que é mau.

    (*) - leia-se mandar esta gente à merda na cara deles, entre outras.

    ResponderEliminar
  4. "Todos os animais (Políticos) são iguais...mas alguns são mais iguais que os outros".
    George Orwell (1903-1950) In "O Triunfo dos Porcos".

    ResponderEliminar
  5. Por que motivo não me pedem destes sacrficios?.Será que só tenho direito aos outros?.

    ResponderEliminar
  6. O m ais asquerosos de tudo isto, é uqe neste assunto estes meninos já dizem que a constitução tem de ser mudade, ou revista, como querem fazer no caso dos despedimentos dos trabalhores sem qualquer razão ou justa causa.Que povo mais pan,,,POrra!!

    ResponderEliminar
  7. Com a merda da mudança de "Serviços
    Municipalizados" para "ADRA" ou seja Águas da Região de Aveiro, mais vulgarmente chamada "LADRA" pela população de Aveiro, passou a ser o bom e o bonito!
    Contas maiores, facturas que ninguém entende, dinheiro sacado (através de conta bancária) antes das facturas chegarem a casa dos utentes, duas facturas no mesmo mês com a desculpa que é para acerto de facturação!
    É só reclamações, as pessoas estão revoltadas com as mudanças que lesam os consumidores!
    É uma vergonha, e assim vai este País, NA MAIOR!
    Pulhas do c......!...

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo