sexta-feira, julho 29, 2011

A política do apertar para caber


O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, anunciou hoje que o número de vagas em creches poderá aumentar em 20 mil lugares com a desburocratização das regras dos equipamentos sociais, medida a alargar a lares ou centros de dia.

Se bem entendi este ministro resolve os problemas das creches, lares e centros de dias, não construindo novos porque dá muito trabalho, mas destruindo as regras e aumentando o número de crianças ou idosos nas salas. Se haver um número estudado e considerado ideal de crianças numa sala é burocracia, então não entendo porque não prometeu 40 mil lugares, ou 100 mil, ou um milhão. Basta mandar a miudagem apertarem-se mais um bocadinho. Já os idosos basta que uns durmam de dia e outros à noite para podermos duplicar a capacidade dos lares e, se colocarem beliches então as possibilidades são infinitas. Já sei que muitos vão contestar que os mais idosos poderão ter dificuldade em subir para um beliche, mas isso não passa de burocracia.

5 comentários:

  1. O texto é revelador da sua ignorância sobre o assunto. Faça um favor a si mesmo: informe-se e depois teorize.
    AT

    ResponderEliminar
  2. Não vai ser necessario,porque antes que o sr. LAMBRETTA,tome qualquer medida já o pessoal morreu à fome.

    ResponderEliminar
  3. Oh, sim sr anónimo 13.36, o que aqui há mais neste post é ignorancia.

    ResponderEliminar
  4. Acabaram-se os problemas de vagas de utentes em qualquer serviço! Inteligências superiores!!!...
    Estes gajos é que nos faziam cá falta! Uma cela com 4 metros quadrados - 4 presos; uma enfermaria com 40 metros quadrados - 40 enfermos; um país com uns milhões de gente séria - um enxame de filhas da puta!
    Um abraço - porco mas não burro

    ResponderEliminar
  5. O que me parece estar em causa são as condições que certos lares e/ou creches (eu chamo-lhes armazéns de velhos e/ou de putos) apresentam, os mais "baratos" então, mais parecem casernas militares dos anos 60.

    Claro que este ministro e afins tem os seus filhos e/ou pais em bons lares onde os preços mais baratos rondam os 1500 euros/mês, podendo chegar aos 3000 euros/mês.

    Já estou a ver, juntam-se 10 reformados dos 246 Euros e alugam um espaço burguês idealizado para uma pessoa. É fácil.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo