sábado, julho 30, 2011

Os sacrifícios dos mais ricos


A fortuna dos 25 mais ricos de Portugal cresceu quase 18%, somando agora 17,4 mil milhões de euros (10% do PIB português).
Américo Amorim mantém-se no primeiro lugar da lista, pelo quarto ano consecutivo, com uma fortuna avaliada em 2,6 mil milhões de euros. Alexandre Soares dos Santos, presidente do conselho de administração da Jerónimo Martins, subiu do quarto para o segundo lugar, com uma fortuna estimada em 1,9 mil milhões (património aumentou 88,9 por cento). Já Belmiro de Azevedo, o patrão da Sonae, que caiu para terceiro lugar da lista, apresenta um património calculado em 1,3 mil milhões.


Crise? Qual crise? Para alguns tem sido um fartar vilanagem e a cada corte que os mais pobres sofrem mais esta gente ganha. A mesma gente que afirma que um aumento de 25 euros no ordenado mínimo é incomportavel e que todos os dias se vem queixar das leis laborais exigindo menos direitos para quem trabalha. São também a mesma gente que fica de fora das medidas de auteridade e os sacrificios exigidos aos outros, como aconteceu recentemente com o corte de 50% no subsidio de Natal. Pelo silêncio do Cavaco isto deve estar de acordo com a distribuição de sacrificios que defende.
Tudo isto mete nojo e custa compreender como a indignação que se ouve na rua não se transforma em revolta.

2 comentários:

  1. Os mecanismos mais pesados demoram sempre mais tempo a iniciar a marcha.
    A revolta tem muitos ventos contra e grandes atritos,mas começa a descolar.

    Um abraço,
    mário

    ResponderEliminar
  2. Isto é colar-nos um atestado de idiotas na testa. Nós que assistimos a cortes por causa da crise. Só descolaremos esse atestado da testa quando nos unirmos todos, sairmos à rua e só pararmos quando a justiça for feita. Já chega!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo