quinta-feira, julho 28, 2011

Um Álvaro às escuras



Se o exemplo tem de vir de cima, o simplesmente Alvaro dá-o. «Nos primeiros dias passava o tempo todo a apagar luzes. Não havia nenhuma consciência do dinheiro que se gasta desnecessariamente, em ar condicionado, luzes... Comecei a instaurar um espírito e um sentimento de rigor. Temos de comportar-nos como se fosse a nossa casa, sem desperdiçar», afirma numa entrevista ao espanhol «El País».
Ser o Alvaro, as bandeirinhas de Portugal, apagar luzes do ministério e pouco mais. Compreende-se, afinal passou muito tempo a correr de sala em sala para apagar as luzes e, talvez por isso, o Passos Coelho ficou-lhe o AICEP e é o Paulo Portas que anda a tratar do comércio externo.

8 comentários:

  1. Kaos

    É verdade que um conselheiro de estado, ganha 5ooo£ por cada reunião?

    ResponderEliminar
  2. Karocha
    Confesso que não sei, mas é muito provavel. Vou tentar descobrir
    bjs

    ResponderEliminar
  3. Isso é mau, Kaos? Estás a criticar alguém que respeita o teu dinheiro depois de anos de esquerda a estoira-lo?

    ResponderEliminar
  4. Olha páh para tonibler já me chegou o ingles, e ficas a saber uma coisa, esuerda foi coisa que nunca esteve no poder, os xuxas não são de sesquerda, aproximam-se mais dos teus compadres naranjitas.Não me parece justo utilizar a termologia "esquerda" com qualquer saco de gatos que aparece a vender banha da cobra.

    ResponderEliminar
  5. Comparar esquerda,com P.S.,P.S.D.e C.D.S,que têm sido os donos do poder,desde que existem governos eleitos,é comparar merda com manteiga de cheiro.Pois é seu Tonibler,se você não é ignorante,anda lá proximo,mas pelo menos não tente meter os dedos nos olhos do pessoal,porque ninguem desta gente que está ou estive,nos governos alguma vez respeitou o dinheiro dos meus inpostos.Será que só mexeram no meu bolso.?!.

    ResponderEliminar
  6. Tonibler, há tanto tempo que não aparecias por aqui com as teu liberalismo sem sentido. Se este Alvaro está a defender o meu dinheiro então prefiro que não o faça porque não tenho o suficiente para o aguentar. Já chega de governos mentirosos e ladrões.

    ResponderEliminar
  7. Quando o Álvaro fizer um disparate devemos dizer que fez um disparate.

    Quando fizer uma coisa bem feita, devemos dizer que fez uma coisa bem feita.

    Mesmo que faça um milhão de coisas mal feitas, se fizer uma bem feita, ela não deixará de ser isso mesmo: bem feita! e o outro milhão não deixará de ser um conjunto de coisas mal feitas.

    Poupar o dinheiro dos contribuintes, evitando o consumo desnecessário de electricidade, é uma coisa bem feita, e quem não o percebe ou não o quer reconhecer - esses sim! - estão a fazer uma coisa mal feita; para além de se revelarem uns reaccionários porque estão a desculpar o esfolanço do dinheiro da classe trabalhadora!

    ResponderEliminar
  8. Esta é igual oa que diz o Povinho,poupar no farelo e estragar na farinha

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo