terça-feira, abril 17, 2012

Impostos e a curva de não sei quem


Há uns tempos ouvi um daqueles economistas que as televisões gostam de por a debater para no fim todos chegarem à mesma conclusão, o inevitável sacrifício dos nossos direitos, falou da Curva de um outro economista qualquer que nem tenho paciência para ir procurar o nome, que demonstrava que existe um ponto a partir do qual o aumento de imposto não produz mais receita, pelo contrário a reduz. Com muitos impostos a economia estagna, cresce o desemprego, as famílias têm menos rendimento disponível para gastar, reduz-se o consumo e baixam as receitas dos impostos. Isto é, há um ponto a partir do qual não se pode espremer mais a vida das pessoas porque já não deita sumo. Não me parece que seja necessário ser economista, ou esperar que venha um inventar uma curva num gráfico para nos dizer isso pois é uma evidência. Só para este Gaspar e este governo parecem acreditar que não existe lógica no pensamento económico e que a mesma causa nas mesmas situações podem dar resultados diferentes. Pagamos nós hoje e ainda vamos ter de pagar muito mais quando esta politica criminosa estourar.

1 comentário:

  1. A curva de que fala é a de Laffer cujo autor foi Arthur Laffer. Basicamente significa que a carga fiscal a partir de certo ponto deixa de ser eficaz, ou seja, é como "matar o doente com a cura".

    Supostamente um Estado deve fazer o papel de Robin Hood justamente através dos Impostos. Infelizmente em Portugal são sempre os mesmos a pagar, isto é a classe média trabalhadora. 57% das famílias (a maior parte por serem efectivamente pobres) não paga IRS. Portugal tem 25% de Economia Paralela. Por isso atacam-se sempre os mesmos. Para o fisco trabalhar parece ser pecado pois paga-se mais IRS a trabalhar do que a "investir". E mesmo a "investir" há quem entenda não pagar nada... é o tal 7º escalão. É aí que as "off-shores" dão tanto jeito...

    Um país que passa a vida a "sugar" a sua classe média e a empobreça só pode empobrecer como um todo. Quem é que a partir daí vai garantir a procura interna de bens e serviços? Quem é que vai garantir o Estado Social se não houver classe média?

    Muito se poderia dizer sobre este assunto. Recomendo a leitura do livro do Prof Elísio Estanque sobre “A Classe Média: Ascensão e Declínio”

    P. S. - As suas gravuras são excelentes e sobretudo pertinentes. Parabéns.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo