terça-feira, maio 22, 2012

Vem aí o FMI...de novo

Está aí a chegar de novo a Troika e com eles o famigerado FMI que já tantas mortes provocou por todo o mundo. (Sim, porque o FMI mata com as suas politicas de austeridade e de cortes sociais sobretudo na saúde e no apoio aos mais pobres). Foram outros tempos, tempos de esperança e em que o futuro parecia estar já ali ao virar da esquina.  Ainda me lembro quando se gritava nas ruas que "o povo está com o MFA". Hoje a esperança é pouca, o futuro é assustador e grita-se "fora, fora, fora daqui, a fome e a miséria e o FMI".

10 comentários:

  1. A.Ribeiro22/5/12 14:51

    Mais uma atoarda do nosso amigo Kaos.

    Pelo que li a Troika vem aqui certificar-se que estamos a cumprir com os nossos compromissos podendo assim transferir de imediato mais 4 mil milhões para Portugal.... sim para Portugal poder pagar as suas dividas despesistas, pagar salários aos funcionários publicos e a muitos malandros que insistem em viver à custa do RSI.

    ResponderEliminar
  2. O RSI continua a ser atribuído porque os governos dão!
    Tolo é quem não aproveita exactamente como aproveitam todos os "políticos" e "amigos" desta democracia de trampa!
    Enquanto os "tolos dão" (grande parte deste Povo a quem sacam tudo) os ajuizados aproveitam!
    Andam assim uns tantos a viver à custa de muitos!...

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar
  3. A.Ribeiro
    Há já alguns posts que tens vindo a comentar o meu blog, o que te agradeço mesmo estando em divergência profunda quanto às razões da crise e aos caminhos para a solucionar. Não tenho respondido a nenhum comentário porque por estes comentários anda alguma gente mais interessada e criar confusão e ofender que em realmente dizer alguma coisa. Mas penso que neste caso devo dizer alguma coisa. A primeira é que sou dos sortudos que ainda têm trabalho, família e uma casa. Em toda a minha vida nunca pedi dinheiro emprestado a nenhum banco e tudo o que tenho foi comprado com dinheiro que fui juntando e só depois gasto. Não devo por isso nada a ninguém e também não acredito que quem ganhe 500 ou 600 euros por mês seja culpado dos muitos milhares de milhões da divida portuguesa. Os culpados são outros os que me durante anos não pararam de me enviar "cheques" que bastava descontar no balcão do banco, os que ofereciam todas as facilidades para nos fazer gastar o que não tínhamos, os que enriqueceram à custa do dinheiro do estado. Ninguém faz nenhum favor a um desempregado ou a um reformado quando lhe paga um subsidio pois isso é pago com o dinheiro que descontou nos seus anos de trabalho, nem quando fornece (ia) saúde e educação gratuita pois tudo isso é dinheiro recebido em impostos. É para isso que os pagamos e não para sustentar a banca e as grandes empresas que vivem à mama do dinheiro do Estado. A UE e o FMI quando nos emprestam dinheiro não estão a fazer-nos nenhum favor pois cobram-se bem em juros como fazia a banca. Neste caso ainda nos obrigam a destruir o sistema produtivo, a vendermos ao desbarato os nossos recursos e empresas públicas aos senhores do grande capital garantindo que para sempre estaremos em divida e que a riqueza que possamos produzir lhes vaio parar aos bolsos. Caro Ribeiro, não se deixe empenhar pelos ouvidos com as mentiras que ouve nas televisões e jornais que servem os mesmos senhores. Não é aqui um bom local para fazer este debate mas estou sempre disponível para o fazer.
    Kaos

    ResponderEliminar
  4. A.Ribeiro22/5/12 19:03

    Veja o comentário anterior ao seu. É a este tipo de gente que me refiro. "os ajuizados aproveitam" mamar na teta dos burros como eu e pelos vistos como você, que se fartam de trabalhar e que têm os seus impostos em dia. Não faço a apologia dos governantes criminosos, mas também não meço tudo pela mesma medida. Eu bem sei que a UE e o FMI não nos estão a dar nada, mas conhece outra solução para a falta de dinheiro para pagar salários aos funcionários públicos e para amortizar a dívida do estado. Será que também é defensor do não cumprimento dos compromissos com os nossos credores?

    Lamento mas não concordo consigo, apenas gosto dos seus bonecos!

    ResponderEliminar
  5. Não sou contra a ajuda a quem precisa, antes pelo contrário, desde que sejam justa e bem distribuida!
    Já trabalhei muito e ainda trabalho e pouco tenho! Ainda não me faltou comida e casa, mas pelo que estão a tirar desde a dra Manuela Ferreira Leite, ex-ministra das finanças não garanto o mesmo "nível" de vida que até ali tinha, isto se durar mais alguns anos e se continuarem a "sacar" como até aqui!
    Não admito que me roubem mais, fui muito lesado no tempo da outra senhora, tenho sido lesado desde a senhora que mencionei e não acredito nos políticos actuais nem admito que enriqueçam à custa do meu esforço e do de muitos outros Portugueses!
    Já agora, meu amigo A. Ribeiro, os funcionários públicos são tão dignos como quaisquer outros trabalhadores e se o são é porque o País precisa deles e além disso muitos (a maior parte e muitos com formação superior) não ganham assim tanto como fazem crer, há o interesse de dividir para reinar!
    Venho AQUI porque aprecio os "bonecos" e as verdades que AQUI são ditas!...

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar
  6. ALEGREM-SE VÊM AI OS JOGOS DA NOSSA SELECÇÃO

    enquanto gritas golo pela selecção vem o FMI e limpa-te os euros que tiveres na mão!
    e os gajos da selecção vão todos para o hotel exibirem os bólides porque aquele hotel tem perto um estádio com o tamanho regulamentar!

    ResponderEliminar
  7. o (c)anibal vai entrar no guiness
    1º pr tuga a visitar a indonésia
    mas 1º ofereceu na terra dos outros uma jantarada á conta do dinheiro tuga como disseram no telejornal mas não foi com o dinheiro dele concerteza pois não dá para as despesas. Já deve ter ganho ao bochechas em numero de visitas ao estrangeiro qualquer dia o passos coelho pensa que o pr é emigrante ou diz aos tugas para serem emigrantes tipo PR. pelo menos ao bochechas ganhou por ser o 1º na indonésia

    ResponderEliminar
  8. Ora, caro Ribeiro, o fmi carteirista em nada ajuda a nação portuguesa, e nós estávamos bem melhor sem esses amigos do alheio, receio bem que os nossos líderes não aprendemos a lição da perda da independência nacional da 1ª vez (1367-1383), nem da 2ª vez (1580-1640), nem da 3ª vez (1807-1820), nem da 4ª vez (1890-1932) e nem agora da 5ª vez, sendo por isso preciso que o povo rectifique a traição que os nossos governantes cometeram.

    ResponderEliminar
  9. A.Ribeiro25/5/12 15:02

    Caro joaopft
    Quando quis tornar-me independente dos meus pais, só o fiz quando tinha garantido o meu sustento por meios próprios. Quando se dependemos financeiramente de alguém jamais consegue a sua independencia. O que está mal não são os nossos credores, o que esteve mal foram aqueles malditos governantes criminosos que hipotecaram este país, fazendo empréstimos absurdos que sabiam nunca ter condições para liquidar.

    ResponderEliminar
  10. O FMI nunca deveria ter entrado. O País deveria ter ido logo à bancarrota o quanto ante.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo