segunda-feira, julho 16, 2012

Trabalhadores públicos e privados


Segundo Paulo Portas, que participava no Congresso do CDS Madeira, com esta decisão do TC ( que declarou a inconstitucionalidade da suspensão do  pagamento dos subsídios de férias e de Natal a funcionários públicos ou  aposentados), há "um problema político"  que é necessário "procurar resolver com soluções que não são simples nem  são fáceis". "Não será comigo que Portugal vai diabolizar a função pública", garantiu  Paulo Portas, considerando, no entanto: "Temos de saber e entender que,  se o problema de Portugal é défice do Estado, não é justo pretender que  o sector privado tem a mesma responsabilidade de ajudar". 

Temos assistido nos últimos tempos a mais uma campanha para tentar criar uma "guerra" entre quem trabalha para o Estado e quem trabalha para privados. Dividir para reinar é uma velha forma de governar e nisto este governo em nada diverge dos anteriores, A verdade é que todos nós, trabalhemos para o público ou para o privado temos sido vitimas das políticas desumanas e das  medidas de austeridade deste governo. Mas, esta teoria que nos querem impingir cai pela base quando se sabe que em relação aos reformados os cortes não distinguiram publico e privado e todos viram os seus subsídios cortados. Também a desculpa de que os funcionários públicos ganham mais que os trabalhadores do privado não faz sentido quando se sabe que os cortes só se efectuam para ordenados superiores a mil euros. e mil euros são iguais para todos. Também o argumento do Portas, que só vem a Portugal quase exclusivamente para participar em actividades do seu partido, é ridícula, porque se o défice é do Estado isso não implica que tenham sido os vencimentos dos funcionários que o criaram. Um médico no hospital trabalha para o Estado, um professor trabalha para o Estado, um Juiz trabalha para o Estado, um funcionário das finanças trabalha para o Estado e todos eles prestam serviços a todos e não só ao próprio Estado. Quem geriu mal foram quem governou, gente como o Portas que comprou submarinos e carros blindados, quem fez parcerias Público Privadas ruinosas, quem deu tachos a boys e ajudou a enriquecer muitos privados. Se o problema do Portas é atribuir a responsabilidade do défice a quem teve realmente culpa e a quem contribuiu fortemente para isso estamos de acordo. Apontem-se os antigos governantes, os banqueiros, os "merceeiros e trolhas do regime" e cobre-se a eles. Esses sim é que deviam ser chamados a suportar o custo do descalabro das contas públicas e nunca quem sempre trabalhou para patrões, sejam eles o estado ou um privado, no país que desde sempre teve os mais baixos ordenados da Europa.

22 comentários:

  1. Só neste país, é que esta bichona de merda, que durante anos declarou, ser alérgico á política, e que nunca seria políco,ou faria parte de um governo,ou partido políto, é agora um ministro, de um governo demagógico, vendilhão ,merceeiro, e usurpador, dos bens, e direcitos de um povo com tão boas qualidades como povo português.Só é pena ser burro que nem uma porta, no que toca a política...

    ResponderEliminar
  2. só não lembra o portas que a maior fatia pública vai para ministros, adjuntos, sacratairos, deputados logo detentores de direito a reforma, como o Relvas, em pouco tempo, trabalho a dobrar e triplicar, com assento na central de negócios do parlamento, subsídios pagos aos políticos a distribuir pelos doze e mais vencimentos, subsídios de reinserção a 60 mil euros por cada um que é reeleito ao mandato seguinte. Que eles fazem as regras de modo a ganharem sempre. Eles e os banqueiros, com os boys todos e famelga de políticos, que é que o gastam à toa, abusam e nos fazem pagá-lo, filhas da mãe, ladrões, abusadores, os trastes .

    ResponderEliminar
  3. digo, subsídios de reinserção a 60mil euros por cada um que "não é reeleito" ao mandato seguinte.

    ResponderEliminar
  4. Não me lixes!!! Deves ter o rabinho toda a arder! Onde é que está um único funcionário público dentro dos 850.000 desempregados em Portugal???? Onde é que estão os funcionários públicos que ganham o salário mínimo nacional????? O Continente e os call centers têm vagas por preencher pelo salário mínimo! Ainda não vi nenhum funcionário público vir para o privado.

    Só conta quem ganha mais de 1.000 €/mês? E que tal dividires os 1.000 €, ou o que for, pelo trabalho útil à comunidade efectivamente realizado? A coisa deve dar zero ou menos ainda!!! Há quadros (na Câmara de Lisboa para não ir mais longe) que nem os pés põem no local de trabalho, meses e meses a fio; e não é por terem serviço predominantemente externo! Temos mais generais que a Europa toda! 1 funcionário por cada 3 agricultores! Mais Juízes que a França! Um SNS a rebentar pelas costuras com a corrupção que por lá campeia!! Também és daqueles que estava contra os genéricos no tempo da Beleza? E agora já és a favor? A população americana é mais de 36 vezes superior à portuguesa, mas entre o senado e o congresso só têm duas vezes mais políticos do que nós!!!! E nem vale a pena falar nos municípios e nas putas das Fundações! Pagamos entre impostos directos e indirectos, mais de 80% do que ganhamos (23,75% SS + 23% IVA + 30% IRS + IMIs + ISPs ++++ etc) !!!! O número de funcionários públicos nunca pára de crescer e os impostos também não!! Crise provocada pelo neo-liberalismo? Só se for lá fora, porque aqui mais socialismo só se passarmos todos a funcionários públicos, e entregarmos os 20% do ordenado com que ficamos!!! Foda-se, FODA-SE, FFFFOOOOOODDDDA-SEEEE!!!!!!!!!!!!!! Igualdade entre o público e o privado? troco já!!!!

    Dedica-te a fazer bonecos do Relvas (aliás já fizeste mais bonecos da licenciatura dele numa semana do que da do Sócrates em 6 anos!) e a escrever sobre futebol...

    ResponderEliminar
  5. Portas (inconscientemente) fez mea culpa! :-)))
    Mas é um judas. E um populista já agora, não fosse ele o "paulinho das feiras".
    A sua demarcação de Passos é uma estratégia planeada já a pensar no futuro.

    Abraço!

    http://panorama-c.blogspot.pt/2012/07/mea-culpa.html

    ResponderEliminar
  6. Anónimo das 12:22.

    Pela maneira espumosa como escreves, só pergunto:

    A que horas é o funeral do Relvas ?
    O Jardim, até vai pedir a licenciatura a veterinária para tratar dos animais...

    ResponderEliminar
  7. Relvas -

    http://www.imprensafalsa.com/466872.html

    Jardim -

    http://www.imprensafalsa.com/466209.html

    Relvas & Jardim, é tudo da mesma família... Dos Citrus Hibridus.

    ResponderEliminar
  8. Primos dos Relvas & Ervas Daninhus!

    ResponderEliminar
  9. Pois é... mas dá-me gozo ouvir o Jardim a dar baile ao PSD do "Contenente".

    Não lhe dão graveto e aí vem a peixeirada....

    ResponderEliminar
  10. Que grande cambada de comunas em histeria colectiva aqui vai......

    ResponderEliminar
  11. Ó anónimo das 12.22 se queres trocar por centenas de funcionários públicos que ganham o salário mínimo e mesmo abaixo é já, não percas oportunidade que eles agradecem!
    SANTA IGNORÂNCIA!.....

    ResponderEliminar
  12. E já agora trocas também por funcionários de autarquias que com licenciaturas e mestrados e serviços de responsabilidade ganham 750.00 euros ilíquidos!
    E não se baldam ao serviço e não picam o ponto e se ausentam, percebeste?
    SANTA IGNORÂNCIA!
    NADA É MAIS TRISTE QUE A IGNORÂNCIA!...

    ResponderEliminar
  13. Ainda não perceberam que quem paga aos funcionários são os trabalhadores do privado? com os seus impostos? vocês funcionários públicos dizem pagar impostos, mas pagam a quem? pagam ao v/ próprio patrão que é o estado, que é como tirar de um bolso meter no outro. O que é que vocês produzem? o que é que vocês produzem, que matéria vendem? quais são as v/ exportações? ainda não perceberam isto.... Se amanhã a economia privada acabar vão buscar impostos a quem? digam lá! Já chega de privilégios.

    ResponderEliminar
  14. Estou a ver algumas casas que já foram fortes a fechar por falta de clientes cujos donos dizem que os maiores e mais certos eram os funcionários públicos e equivalentes!
    Isto não diz nada?
    Não percebem que dependemos TODOS uns dos outros?
    Se produzirem um determinado produto e ninguém comprar incluindo funcionários públicos e não conseguirem exportar o que fazem???
    Mas isto é conversa "da treta", é chover no molhado!...

    ResponderEliminar
  15. Uma petição para acabar com os funcionários públicos já!

    Demitam-se professores (nem um a dar aulas), juízes (nem um a julgar ladrões e não só), militares, (nem um para o afeganistão e não só) e por aí fora!

    A INVEJA é um sentimento muito feio!....

    ResponderEliminar
  16. Acho que os professores da Lusófona são muuuuuiiiita bons e ganham bem menos que os da Universidade de Coimbra, do Porto, de Lisboa, da Nova de Lisboa e que os do Instituto Superior Técnico. Por isso é que lhes cortaram os subsídios aos do público!!!

    ResponderEliminar
  17. Deviam também acabar com médicos, enfermeiros, auxiliares, etc, e quando tiverem uma caganeira recorram a loja ou a fábrica do vizinho!

    ResponderEliminar
  18. eheheh! isto aqui é melhor que ir ao circo. Vocês são mesmo divertidos

    ResponderEliminar
  19. O País todo se transformou num circo, não imediato, mas de longa data!...

    ResponderEliminar
  20. Unidos venceremos19/7/12 12:20

    Triste é ver gente tentar criar uma guerra entre quem trabalha no público e no privado. Todos trabalham e todos merecem ser respeitados. Não vou por aí e portanto defendo que juntos tentemos mudar o que está mal; esta corja que nos governa (ou melhor que se governa), e nos condena à miséria. Já agora os apaniguado deste poder que andam pelos blogs a tentar criar a confusão e a proteger este poder só demonstram bem de que lado est+a a razão e de como este poder é corruto.

    ResponderEliminar
  21. Ora aí está!
    Bem dito!
    Ao anónimo das 12.20.

    A guerra começou há muito e foram estes governos e os opinadores de caca que a provocaram fazendo transparecer que no funcionalismo público é tudo muito bom, não conhecem as "misérias", milhentas injustiças, o compadrio, etc!...
    Ai se esta boca falasse!...

    ResponderEliminar
  22. "Apontem-se os antigos governantes, os banqueiros, os "merceeiros e trolhas do regime" e cobre-se a eles. Esses sim é que deviam ser chamados a suportar o custo do descalabro das contas públicas e nunca quem sempre trabalhou para patrões, sejam eles o estado ou um privado".
    Com isto está tudo dito!
    Concordo plenamente!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo