quarta-feira, janeiro 16, 2013

Um proposta para a esquerda


Uma dos programas mais famosos da televisão há alguns anos era a série dos Marretas, e duas das personagens mais conhecidas eram os dois velhos que do seu camarote atiravam "bocas" aos actores em palco criticando o seu desempenho. Vem isto a propósito das nossas esquerdas parlamentares que, talvez por alguns traumas e estigmas do passado pós 25 de Abril e do famoso PREC, acabam a fazer um papel muito idêntico aos dos dois velhos marretas.  Criticam muito mas pouco fazem para mudar e para criar alternativas que permitam imaginar que o amanha será diferente daquilo que temos hoje. No fundo acabam mesmo a servir o sistema pois são o escape e a contestação que possibilita que se diga que vivemos numa democracia quando afinal nada disto passa de uma ditadura de alterne. Ambos apostam em criticar muito, discursos inflamados na Assembleia da Republica e em alguma contestação nas ruas, com muitas bandeiras, bem comportada e com hora marcada de início e fim, muitas vezes ao som do Hino Nacional. Hoje os professores, amanhã os enfermeiros, depois a função pública, umas greves sectoriais, uma greve geral por ano e um desfile no 25 de Abril. Nas eleições o apelo ao voto para haver mais um ou outro deputado na Assembleia mas que em nada muda o sentido da governação sempre a cargo do PS/PSD/CDS.
Parece-me que perante o descalabro a que chegou o país, perante a destruição iminente do Estado social é preciso fazer mais, muito mais. Se realmente os partidos de esquerda querem travar isto porque não abandonam a Assembleia da Republica recusando-se a participar nesta fantochada desta falsa democracia e se juntam aos cidadãos que exigem a mudança. Saiam de dentro daquela antro de podridão e venham para a rua juntar-se a que exige a mudança.Façam-no e obriguem o PS a escolher de que lado da barricada quer estar. Se junto das pessoas se junto dos gatunos.
A proposta é simples, Abandono da Assembleia da Republica por parte de todos os deputados que não querem pactuar com o que está a acontecer, criando uma crise que derrube o governo impedindo a continuação do saque do país e dos direitos dos portugueses. Aqui se separariam as águas e se veria quem está com quem e quem defende o quê.

8 comentários:

  1. Ahahahah! Muito bem visto! :))
    Concordo.
    E até são um tanto parecidos com os bonecos originais.
    Há que dar uma reviravolta a isto tudo, sobretudo ao esquema de representatividade, dar a devida voz à sociedade civil (mas não naquelas pseudo-conferência como a vergonhoa de ontem e hoje no Palácio Foz...)
    E os partidos que se dizem diferentes everiam sair também dos seus habituais esquemas. :(
    Bjinho
    ( as votações continuam:http://margarida-alegria.blogspot.pt/2013/01/continuem-votar-concurso-blog-do-ano.html)

    ResponderEliminar
  2. Senão o sapo-coelho cocas e a miss piggy-deneuve continuarão a dar sempre o mesmo triste espectáculo!

    ResponderEliminar
  3. Madalena Serpa16/1/13 14:00

    Concordo, mas não tenho dúvidas de que nesse cenário o PS não escolheria lado nenhum: faz parte da gatunagem! Os velhos dos "marretas" também...

    ResponderEliminar
  4. Ora aqui está um grande desafio. Excelente mesmo. Desconfio é que muitos poucos deputados abandonariam a assembleia... para mal dos nossos pecados, também desconfio de quem fala muito e se indigna com veemência, cão que ladra não morde, poderia ser o título deste post.

    ResponderEliminar
  5. A vida é filha da puta.
    A puta é filha da vida.
    Nunca vi tanto filho da puta.
    Na puta da minha vida.

    (Bocage)

    ResponderEliminar
  6. Era interessante, durante um ou dois dias. Porque me parece que também faz falta ouvir a argumentação do PCP e BE e Verdes, muitas vezes as únicas vozes sinceras no meio daquele cinismo. agora há uma coisa: o povo gosta de votar PS , PSd e CDs, ou não gosta? O povo gosta muito do Portas. O povo gosta dos charlatões e como tal vai ser necessário passarmos por esta miseria para existir uma inversao politica em Portugal e na Europa....porque se não experimentassem não acreditavam. Muitos me diziam;: ainda bem que vem o FMI por tudo na ordem. ora tomem lá!

    ResponderEliminar
  7. O PS primeiro que tudo, assim como os outros, teria de reconhecer os seus crimes que não foram diferentes dos dos outros. Esse seguro ou lá o que seja teria de reconhecer que o PS andou a distribuir dividendos pelos seus cúmplices (Mota Engil, EDP, Caixa geral, Galp) como o PSD. Ainda uma coisa que me poderia preocupar seria o facto de esse seguro ainda ter trabalhado menos na vida que o passos; essa é que é essa!!!!

    ResponderEliminar
  8. Tripalio, O PCP e o BE podiam-se fazer ouvir na mesma. Criem um Plenário nas Escadas da Assembleia e certamente que seriam mais ouvidos que lá dentro. Não há tempo para falinhas mansas há que agir e já.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo