quarta-feira, Janeiro 31, 2007

Direitos Humanos na China

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Amado, assegurou que a questão dos Direitos Humanos "não é o foco das relações" entre os governos de Lisboa e Pequim e que por isso o assunto não deverá ser abordado durante esta visita à China.
Quando a hipocrisia se sobrepõe à decência são estas coisas que ouvimos. Por dinheiro tudo pode ser feito e tapam-se os olhos à realidade. O mesmo fizeram os Estados-Unidos, que por um lado se apregoavam os paladinos da liberdade, democracia e direitos humanos, e por outro aceitaram a entrada da China para a Organização Mundial de Comércio, fazendo dela um parceiro estratégico. São estes os mesmos que fazem um bloqueio e gritam por liberdade contra o regime cubano, considerando inaceitável o que lá se passa. São estes os mesmos que invadem o Afeganistão e o Iraque em defesa dos direitos das pobres mulheres que, na rua, têm de andar de burca. Quando se aceita que o “negócio” se sobreponha ao direito, nada mais estamos a fazer que aceitar que os estado se comporte como uma simples Máfia.
Sou a favor de que todos os povos tenham o dever de respeitar os direitos humanos no seu país. Todos nos devemos levantar em protesto por todas as arbitrariedades e crimes ai cometidos. A civilização e a decência têm de existir em todo o lado, e não só na casa daqueles de que não gostamos, e fechando os olhos quando isso acontece na casa de amigos.
A cada dia que passa menos me revejo nas palavras daqueles que falam em meu nome e mais envergonhado me sinto em relação ao resto do mundo que os ouve.


Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Aventuras e Desventuras de um Sócrates em terra de Mandarins

O Plano Tecn'ilógico
Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Aventuras e Desventuras de um Sócrates em terra de Mandarins

O Best off dos Sócretinos agora na China

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Aventuras e Desventuras de um Sócrates em terra de Mandarins

Uma viagem de negócios

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

terça-feira, Janeiro 30, 2007

O Buraco

Caso Bragaparques pode cair por terra
O juiz de instrução do caso Bragaparques - concluído há duas semanas com acusação contra Domingos Névoa - autorizou a gravação de conversas presenciais com base numa lei que não prevê a utilização desse meio de obtenção de prova no crime de corrupção activa. As gravações sustentam a maior parte dos indícios de crime e foram feitas por Ricardo Sá Fernandes, que, em duas conversas com o sócio da empresa, actuou como "agente encoberto" para denunciar uma alegada tentativa de suborno sobre o seu irmão, José Sá Fernandes, vereador do Bloco de Esquerda na autarquia de Lisboa. Aquilo que parece ser um "buraco" na legislação verifica-se pelo facto de a lei 5/2002 (combate ao crime económico) apenas prever o uso daquele meio de prova para "corrupção passiva" - e não para corrupção activa.
In “Jornal Notícias”

Desculpem-me todos os que aqui me visitam, mas tenho de mandar isto tudo à merda. Haja vergonha na cara desta gente que faz as leis e daqueles que as usam para praticar a corrupção activa, passiva, ou o raio que os parta. Será que não há um único processo contra os poderosos, os endinheirados ou os políticos que não caia em “buracos na lei”, escutas ilegais ou qualquer outro expediente legal? Será que a corrupção continua a passear-se por Portugal impávida e impune?
Pactos e mais acordos e novos códigos penais num país carregado de deputados, juristas, sumidades, tribunais de todas as instancias e feitios, Ministérios, e sei lá que mais, não conseguem condenar um único corrupto. Temos uma lei que tem mais buracos que as nossas estradas, que diga-se, não é fácil. Ou será que isto continua como no tempo do Cadilhe que fez uma lei, deixando lá o buraco, por onde depois se safou?
Enquanto tudo isto acontece o Sócrates chama “asneira” a leis que podiam realmente travar muita dessa corrupção e vai passear-se para a China. Vão todos à merda.

PS: A acontecer a grande fuga pelo buraco escavado na lei, a C.M.L. deverá ir imediatamente para eleições. Não é possível, que gente que se “safa” de acusações de corrupção por malabarismos legais, tenha a legitimidade e confiança dos cidadãos para, alguma vez mais, ocupar um cargo público. Se são inocentes, então deixem andar o processo para que ela seja provada. Se fogem, estão a admitir a sua culpa.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Pilatos

O ex-presidente da Câmara de Lisboa, Santana Lopes, quebrou ontem o silêncio e garantiu que está “tranquilo” em relação às investigações no âmbito dos negócios da autarquia com a empresa BragaParques. “Não assinei nada”, afirmou ontem ao CM, especificando que não homologou o processo final, e que está preparado para prestar declarações às autoridades. Quanto ao líder do seu partido, não se esqueceu de anotar que a escolha de Carmona Rodrigues para a capital foi de Marques Mendes, o seu sucessor. Sobre a situação de Carmona, Santana disse: “Não deve ser fácil [...] Sou cristão, [...] não bato” em pessoas que estão em situações difíceis.” E o autarca deve demitir-se? “Não quero dizer, se não parecia que estava a falar por despeito, eles que decidam”, concluiu. In “Correio da manhã” A bondade deste Santana não deixa de me surpreender. Mesmo depois de, na altura se dizer “Carmona conseguiu o que Santana não conseguiu” e de recordar o quanto lhe custou deixar a autarquia por exigência do líder, não bate em ninguém. Tira o cavalo da chuva avisando já que não foi ele que assinou, passa a responsabilidade do seu afastamento e da escolha do actual Presidente da CML para o Pequeno Mendes e deixa o ónus da culpa no Carmona.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Santaninha e Cascão Carmona

O Santaninha lava as mãos do caso Bragaparque e o Cascão Carmona treme, só de pensar que a coisa salpique para cima dele. [Link]

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Aventuras e Desventuras de um Sócrates em terra de Mandarins

A Viagem

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

segunda-feira, Janeiro 29, 2007

A Mascara

As propostas do João Cravinho anti-corrupção e o epíteto de "asneiras" que o Sócrates lhes colocou mostraram que realmente em termos de clareza e transparência na nossa politica estamos muito longe, não só do bom, mas até do medíocre. Este ter de retirar a mascara da pureza, da correcção, das mãos limpas para defender, em pressupostos atabalhoadamente legais e de direitos, a recusa linear das propostas é claro. A ideia de que quem tem de provar é quem acusa, quando já existem tantos casos em que é o contribuinte que tem de provar ao fisco que não deve, não soa bem. Estamos aqui a falar de titulares de cargos públicos que enriquecem misteriosamente, sem se lhes poder perguntar como, e isto mostra bem que há razões que desejam que a razão não conheça. E, não é só o Sócrates, é toda uma classe política preocupada com o assunto. Mesmo o pegar na proposta por parte de alguns partidos da oposição para a remodelarem, sabendo à partida que já está chumbada, não passa de oportunismo mediático. Se fossem poder seriam eles a recusá-la e mesmo não sendo, bastava imaginarem que poderia passar para nem tocarem no assunto. Quantos de nós não gostaríamos de saber como aquele Presidente da Câmara, ou aquele Ministro ou Secretário de Estado ou mesmo aquele Administrador de uma qualquer empresa pública ou municipal, que quando chegou ao cargo não tinha dinheiro para matar uma mosca e quando sai é um homem abastado, com casas, grandes carros e contas bancárias bem abastecidas. Não deveriam ser eles a esclarecer como o conseguiram? A mim, parece-me que sim, mas deve evidentemente ser uma “asneira”.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Pin-Ups de Portugal - A Governanta

José Sócrates

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Pin-Ups de Portugal - Acidente Municipal

Carmona Rodrigues
Conduzido por Marques Mendes

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, Janeiro 28, 2007

sábado, Janeiro 27, 2007

Pin-Ups de Portugal - A Justiceira

Ana Gomes

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Pin-Ups de Portugal - Haja Saúde

Correia de Campos

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Politica, Policias e Professores

Infelizmente vi-me obrigado a intervalar a publicação das pin-ups de Portugal, com este post, mas quando o que está em causa são ameaças a liberdades e direitos, é importante que se fale disso.
Foram chamados a depor na PSP vários professores que participaram numa manifestação contra a política educativa de José Sócrates, quando o primeiro-ministro visitou a Madeira. O argumento é o de que a manifestação não havia sido autorizada, mas ninguém de uma outra manifestação de apoio ao Sócrates, que aconteceu na mesma altura, foi incomodado pela polícia.
Pode-se olhar para este assunto, como algo de menor e que não passa daquilo que é. Há muito que aqui tenho referido que, lentamente, as nossas liberdades e direitos têm vindo a ser “apertados” por este governo. Quando convêm, há sempre um pormenor legal que permite “assustar e desmobilizar” quem procura manifestar o seu desagrado pelas políticas do governo. È importante que façamos ouvir a nossa voz de protesto contra este tipo de acontecimentos. Se não nos dispusermos a defender a liberdade, corremos o perigo de ver despedidos quem fizer greve, manifestações a não serem autorizadas e a imprensa a ser controlada. Por este andar não faltará muito para que, quem escreve blogs, comece a ter problemas e quem os lê a ser questionado das razões porque o faz.
A indignação contra estas manifestações de prepotência é urgente e importante.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Pin-Ups de Portugal - Educação

Maria de Lurdes Rodrigues

O primeiro post de um fim-de-semana dedicado às pin-ups deste país
Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

sexta-feira, Janeiro 26, 2007

A guerra para 2009

Começou a guerra no PSD, (com também já acontece no CDS), para as eleições legislativas de 2009. Sendo cada mandato de dois anos e estando nós em 2007, quem conseguir forçar a existência de um congresso e chegar à liderança, muito provavelmente será o adversário de Sócrates. Se tudo continuar como até agora, e nenhum terramoto político acontecer a este governo, sabe que sairá derrotado, mas pelo menos terá, como referiu o Pacheco Pereira, escolhido o grupo parlamentar do seu partido.
Não se espera ainda que os grandes tubarões se cheguem já à frente, que seis anos de oposição é muito tempo, pelo que é a oportunidade para os pequenos predadores como o Luis Filipe Meneses, Morais Sarmento e outros da mesma laia poderem tentar a sua sorte. Vamos esperar pelos resultados das primeiras batalhas para tentar perceber quem vai ganhar esta guerra.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Há porrada no Beco do PSD


Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Filme da Semana

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, afirmou hoje que as investigações do Governo português sobre os alegados voos ilegais da CIA estão encerradas porque não foi encontrado nenhum indício que justifique a continuação dos trabalhos.
Ana Gomes disse que solicitou uma reunião com o Procurador-geral da República em virtude de o governo não ter tomado a iniciativa de avançar com um inquérito aos voos da CIA.

Depois de o Relatório da CE ter sido amaciado, não fazendo referencias à pessoa de Durão Barroso, mas aconselhando os Estados, nomeadamente Portugal, a continuar com as investigações, Luís Amado vem dizer que não, que isto acaba já por aqui.
Apesar de criticada pelo PSD por ter colocado o nome de Portugal em causa, a Deputada Ana Gomes, recorre agora ao Procurador-Geral e à justiça para tentar provar a existência destes voos.
Espera-se que no fim deste filme, toda trama e pactos de silêncio se descubram e a verdade venha ao de cima.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Adeus Lisboa, Hello London

João Cravinho esteve hoje presente na AR como deputado pela última vez. Foi convidado por Sócrates e aceitou ir para Administrador do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) em Londres. Logo na altura avisou que "iam dizer que tinha sido comprado" para não apresentar a sua lei anti-corrupção que tanto mal-estar estava a causar no grupo parlamentar do PS. Sai da AR, vendo algumas das suas propostas atiradas para o lixo e apelidadas de “asneiras” por José Sócrates.

Não podemos afirmar que João Cravinho vendeu a sua alma por um lugar em Londres, mas podemos pensar que a oferta de Sócrates foi feita com a intenção de a comprar. Como se isto não bastasse, este receio demonstrado com as “asneiras”, não pode deixar de nos fazer sentir que há alguns armários que não se querem ver abertos. Só podemos imaginar que esqueletos se escondem lá dentro.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

quinta-feira, Janeiro 25, 2007

Uma saúde doente

Depois de vermos o Ministro da Saúde, Correia de Campos cortar tanto na "gordura" da saúde, que nos acaba por levar também grandes lascas de carne, dificilmente se pode esperar grande coisa. Ao usar mais os números que os interesses das pessoas, mostra a insensibilidade com que muitas destes assuntos são tratados. O exemplo dos acidentados que morreram, depois de demorarem várias horas no transporte, mostra isso mesmo. A ideia de entregar os serviços do INEM a privados uma vez mais vem mostrar que esta politica, seguida por este ministro, tem como finalidade a entrega dos cuidados de saúde aos grandes grupos económicos, que há muitos anos se babam por deitar o dente ao SNS.
Vem isto a propósito de algumas notícias que ouvi recentemente. Há uns dias, a existência de uma vacina, que deve ser tomada por volta dos 11 ou 12 anos, para prevenir os tumores no útero e que custa quase 500 Euros. Ontem, vi uma reportagem sobre uma pequeno aparelho que, pode ser utilizado por diabéticos, e que lhes faz uma monitorização constante da doença e que automaticamente repõe os valores normais. Com este aparelho estes doentes não necessitam de se injectarem com insulina e têm uma qualidade de vida infinitamente superior, sendo o maior problema, o do seu custo; 5000 euros o aparelho e uma manutenção mensal de 200 euros para o remédio.
Em ambos estes casos não há comparticipação do SNS, pelo que muito poucos terão possibilidade de usufruir dos seus benefícios. Uma saúde diferente para quem é mais rico ou mais pobre.
A pergunta que gostava de fazer é, se sendo estas doenças responsáveis pela ida de milhares de doentes, todos os anos aos hospitais, com os custos elevados nos seus tratamentos, (especialmente a primeira), e as tragédias normalmente a elas associadas, não seria bom rever os critérios de comparticipação do estado nestes produtos?
Pela prática que este governo tem adoptado, não me parece que haja para isso grandes esperanças, mas não custa nada perguntar.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Porque hoje é quinta-feira

Por falta de tempo, esta semana não nos foi possível entrar no palácio e tudo o que conseguimos foi esta imagem. Foi pena porque gostaríamos de ouvir quais a impressões da Sócretina sobre o seu passeio à Argélia, e de saber se nele, terá montado algum camelo.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Uma oposição de merda

Uma boa oposição é aquela que é feita com a presentação de novas ideias e com a colocação de novos temas no debate político, forçando o governo a explicar as suas opções. Marques Mendes parece não conseguir fazer isso, pelo que anda a reboque da agenda politica do governo em busca de algo que possa criticar. Sem saber bem o que fazer, acaba criticando tudo, independentemente das medidas apresentadas. Propõe medidas sem soluções para os seus custos e critica os custos sem apresentar soluções. Move-se entre ter de criticar aquilo que o governo faz, sabendo que gostava de ser ele a faze-lo, e aquilo que não faz, não sabendo como o faria ele. Vazio de ideias, navega em noticias de jornais, procurando inspirações nas opiniões e ideias de outros, para depois as lançar para o ar como sendo suas. Uma forma malcheirosa de fazer politica e, talvez por isso, muitos consideram ser uma merda de oposição. A continuar assim, quando menos esperar, ainda vai pelo cano abaixo.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

quarta-feira, Janeiro 24, 2007

A Naifa

No seu programa, o Estado da Arte, o Paulinho das feiras, depois de divagar sobre o referendo à a despenalização da Interrupção voluntária da Gravidez, recusou-se a falar sobre a guerra que existe no seu partido. Até ao referendo, e embora tenha já uma opinião formada, não fala do assunto. Um Tabu ridículo já que ninguém tem dúvidas sobre a sua posição, o seu elogio ao trabalho de Nuno Melo, como Líder da bancada parlamentar do CDS, deixou bem claro que Ribeiro e Castro já tem a cama feita. Uma facada em formato de silencio a anunciar o seu do seu reinado para muito em breve. "Também tu portas", deve estar ele a pensar.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

A Mama

Cerca de 50 inspectores da PJ e procuradores do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa realizaram buscas na câmara Municipal de Lisboa, em instalações da autarquia, residências e sedes de empresas, nomeadamente da Bragaparques.
Em causa está a permuta, aprovada em 2005, entre os terrenos privados do Parque Mayer, propriedade da Bragaparques, e de parte dos terrenos municipais da Feira Popular de Lisboa e outros negócios menos claros.
Na semana passada, o Ministério Público deduziu acusação pelo crime de corrupção activa contra o administrador da Bragaparques. Domingos Névoa é acusado de ter tentado subornar Sá Fernandes, para este mudar de posição pública sobre o negócio.
As casas e os escritórios da vereadora de urbanismo, Gabriela Seara e do vice-presidente, Fontão de Carvalho, também foram visitados pela PJ e poderá a vereadora ter sido constituída como arguida.
Carmona Rodrigues afirmou: "Estamos de consciência tranquila e desejamos que seja feito o cabal esclarecimento destas e de outras situações". Espero que com este “estamos”, o Presidente da CML, se esteja a comprometer com os factos e que, em caso de se confirmarem as ilegalidades, assuma a sua responsabilidade politica e as criminais que se venham a provar. É que já chega de tanto mamar.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Escuridão

Com este boneco acabo este dia dedicado a marcar um ano da data negra em que o Sr. Silva foi eleito. Esta modorra em que navegou este ano, em que, contrariamente ao defendido por alguns, foi propositada ao nada de significativo ter feito. Show-off de competência, de rectidão e de timoneiro. Aproveitando ter um Sócrates no governo, que vai fazendo a politica que a própria direita nunca teve a coragem de fazer, e a necessidade de preservar a sua imagem para um segundo mandato, vai deixando andar. No momento em que as sondagens começarem a baixar para o Sócrates e o PSD começar a subir, ai sim, veremos o Cavaco a fazer aquilo que realmente são os seus objectivos. Colocar os seus amigos, Manuela Ferreira Leite e António Borges, como líderes do seu partido e à frente do governo e tomar conta deste país. Esperemos que não para nos impor mais 48 anos de escuridão.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

terça-feira, Janeiro 23, 2007

Relações Perigosas

Um ano de relações perigosas........para todos nós.
Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

A nossa Cruz

Fez ontem um ano que Cavaco Silva ganhou as eleições para a Presidência da Republica. Muitos já vieram elogiar a forma como ele carregou deste então essa "Cruz", mas é este país que cada dia vejo mais dobrado sob o seu peso.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

A Múmia de Boliqueime

1º Aniversário do seu regresso

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

O Jogador

Afinal parece que enquanto aqueles que mandavam abater sobreiros aproveitavam para ir jogando noutras roletas. Nas escutas feitas no caso Portucale acabaram por apanhar outras jogadas. Trafico de influencias quando da construção do Casino Lisboa chegando-se ao ponto de alterar a Lei do Jogo . [a notícia está aqui].

Depois do ex-Ministro do ambiente Nobre Guedes, que já consegui safar o rabinho do lume, um outro ex-ministro do governo de Santana Lopes e do CDS, o do Turismo, Telmo Correia, já se veio justificar “Foi um processo transparente dentro do normal funcionamento da Administração Pública. Em nenhum momento Abel Pinheiro fez qualquer tipo de pressão”.

Porque será que, na politica, quanto mais transparente são as coisas mais me arrepiam?

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

segunda-feira, Janeiro 22, 2007

Um Combate viciado

1ºRound – Durante o jantar de natal do partido, Nuno Melo ter atingido Ribeiro e Castro em cheio ao afirmar que o Partido estava com saudades de Paulo Portas.
2ºRound – Ribeiro e Castro contra-ataca e obriga o Líder Parlamentar do Partido a demitir-se das suas funções.
3ºRound – Aqui podemos assistir à contra respostas com o pedido de demissão de Mota campos, braço direito de Ribeiro e Castro, por ter dito que o ex-líder da bancada parlamentar, Nuno Melo, era um «corpo estranho que devia ser extirpado».

Embora longe de estar terminado, este combate tem já um vencedor anunciado tal a disparidade de forças em confronto. Aliás, Ribeiro e Castro, já estava derrotado mesmo antes de o combate começar.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Mais uma sobre o aborto

Por mais anos que passem, não há um dia que não aprenda nada. Recentemente um representante da igreja católica comparou o aborto ao terrorismo, outro ameaçou excomungar quem votasse “Sim” no referendo e agora o pequeno Mendes resolveu compará-lo ao tráfico de drogas e corrupção. O argumento é que todos são crimes e são difíceis de combater, mas isso não deve fazer com que os legalizemos. É isso mesmo, vamos criar a brigada dos incorruptíveis contra o aborto e apanhar todas as criminosas que o pratiquem cá em Portugal. Quem o desejar fazer um é favor de ir a Londres ou a Espanha.

Esta posição de Marques Mendes só prova que ele não entende nada das razões pelas quais se pretende despenalizar a interrupção voluntária da gravidez. Pretende-se despenalizar, não por ser um crime difícil de combater, mas para acabar com uma lei injusta e que vai contra a dignidade da mulher. Quanto à questão que também colocou, de porque razão uma mulher que faz uma aborto nas 10 primeiras semanas de gestação não é penalizada e uma que o faça às 10 semanas e um dia já é, o mínimo que posso dizer é que é ridícula. Pode-se perguntar o mesmo, por exemplo, porque é que se alguém conduzir com uma tenha uma taxa de álcool no sangue de 1,19 g/l não é considerado crime e se for com 1,2 já é. Vocês que fazem as leis na Assembleia da Republica devem saber essas razões melhor que nós, ou será que ainda somos nós que vos vamos ter de explicar aquilo que aprovaram ou reprovaram.

Cresça, Sr. Marques Mendes, ou pelo menos fique calado. Não corre o perigo de dizer asneiras e, até foi por ficar assim que subiu umas décimas nas últimas sondagens.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Descartáveis

Manuel Maria Carrilho deverá ser convidado para, dentro de um ano, assumir o lugar de representante na missão permanente de Portugal junto da UNESCO.
Recorde-se que o Governo já nomeou outro dirigente socialista para uma embaixada em Paris. Ferro Rodrigues é o representante português na OCDE.
João Cravinho, convidado por Sócrates para a administração do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento, aceitou e ruma a Londres.

Assim se vai o PS resolvendo os problemas com aquelas figuras mais controversas que, por aquilo que fazem, por aquilo que representam, ou por aquilo que não fazem, lhe são incómodas.
Oferecendo-lhes uns verdes pastos, longe deste jardim, livra-se assim de dores de cabeça. Ferro Rodrigues estava queimado pelo caso da “Casa Pia”, João Cravinho queria aprovar um pacote anti-corrupção que assustava muita gente e o Carrilho é um contrapeso que, não pode ser descartado, não serve para nada e só atrapalha.
É por essas e por outras que não vale a pena virem-me falar de crise e pedir sacrifícios. Primeiro mostrem que são gente séria e honesta, que os interesses do país estão acima dos vossos interesses pessoais e depois, talvez acredite em algo que me digam.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, Janeiro 21, 2007

Por terras Argelinas

Depois de Cavaco nas Indias é a vez de Sócrates se passear pela Argélia, e também ele tocar música de encantador de serpentes.Impingindo uma imagem de modernidade e europaismo Sócrático
e aceitando vender-se, qual meretriz, de corpo e alma.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

A Guerra da Defesa

Adaptado de original de "Paula Rego"

Portugal é um país em que os seus maiores inimigos estão mais cá dentro, precisamente naqueles que maiores responsabilidades tinham em nos defenderem. Vale mesmo a pena termos um ministro, para fazer a guerra lá fora, quando a nossa maior batalha passa por combater a injustiça, a impunidade e a corrupção cá dentro?

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Sabem quem é este?

Muitos estarão a perguntar de quem é aquela cara que aparece no boneco. Francisco Nunes Correia, é esse o nome do personagem. Provavelmente continuarão muitos a perguntar – Mas afinal quem é Francisco Nunes Correia? Para acabar com as dúvidas eu digo, é o Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional. Pois, não sabiam, mas esse cargo existe neste governo.

Pessoalmente, a ideia que eu tenho deste Ministro é muito semelhante aquela que se tem sobre o Monstro de Lock Ness. Muitos dizem que existe, embora ninguém o consiga ver nem haja provas disso.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

sábado, Janeiro 20, 2007

Trabalho e Segurança Social

Uma sociedade que devia proporcionar trabalho a todos e em casos extremos, segurança social aos cidadãos. No mundo da liberalização e da globalização estes valores perdem-se em favor da competitividade e do lucro. Para podermos oferecer produtos de consumo aos cidadãos, a preços mais competivos, aceitamos praticar baixos salários para a maioria e que uma grande parte da população viva sem trabalho. Montras de luxo e ostentação existem em paralelo com uma miséria, a que um estado mais preocupado com indicadores económicos, não dá resposta. Nas ruas, olha-se para o lado tentando não acordar a consciência, para que o nosso sono possa ser descansado.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Pobreza, Miséria e Fome- Um Problema

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Pobreza

Foto original : Sebastião Salgado
Que comente quem o queira fazer.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

sexta-feira, Janeiro 19, 2007

O Pinóquio Português

Luis Amado finalmente reconheceu que fizeram escala em território português sete aviões da CIA com destino a Guantanamo. Nada que já nós todos não soubéssemos há muito tempo e que só o governo, o PS, o PSD e o CDS pareciam desconhecer. Falta agora assumirem todos os outros voos que por cá passaram e as culpas que têm no assunto. Tentar esconder o sol com a peneira, como têm feito, mais que uma hipocrisia já atinge as raias da estupidez. Os portugueses podem ser um povo brando e que se preocupa mais em saber da flatulência do Pinto da Costa ou das últimas cambalhotas da Elsa Raposo, mas isso não implica que seja cego. E, como diz o ditado, "apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo".
Já agora aproveito para lembra aqui ao Ministro Luis Amado, aquilo que afirmou sobre este assunto, em 19 de Outubro de 2006. “Quero é ser julgado por ter cometido, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros e membro do Governo, uma cumplicidade ou uma conivência com uma ilegalidade cometida em território português e quero que o senhor deputado seja capaz de me provar isso. E, se me provar isso, eu demito-me no dia seguinte!”. É só mesmo para relembrar, porque há por ai memórias muito curtas.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

AS CORES DO NARCISISMO

Arton
Agrupava as camisolas, depois os casacos e por fim os xailes consoante as cores e a similitude das texturas. As camisas não lhe davam grande trabalho, uma vez que eram , ou brancas ou marfim , combinavam com tudo, e se habituara a elas desde os tempos da escola. Usava-as quase todos os dias, o que pressupunha ter uma série delas, de algodão, de linho e seda, com feitios que ia criando.
As cores, guardava-as, portanto, para outras peças do vestuário que arrumava diariamente no armário. Poder-se-ia dizer que manejava todos os coloridos, com uma preferência especial por todos os tons de azul, do marinho ao cobalto, do turquesa ao escuro, passando pelo azul ultramar e o azul petróleo. A escolha, se é que havia escolha, recaía sempre no azul que nunca a cansava e lhe permitia um semblante bonito, mesmo nos dias mais escuros. O vermelho, acomodava-se ao corpo num roçar brando e era reservado para as pashminas . Raras vezes usava o preto, reservado normalmente para os sapatos e carteiras. Preferia o cinzento, o escuro, ou antracite que permitia jogos de rosas e lilás, sem contrastes nem violências. Poder-se-ia dizer que, à excepção do azul, era a cor que mais gostava e melhor lhe assentava. O roxo ficava bem no xadrez da manta que usavam nos piqueniques. Combinava com o verde da terra e com a pele dourada do sol das longas tardes de verão. O branco reservava-se para o deserto. Quando todos os lugares e todas as horas lhes pertenciam, e tudo acontecia.

AMARCORD

O Haraquiri

Ribeiro e Castro rasga a figura de Nuno Melo da liderança do grupo parlamentar do CDS-PP, forçando este a demitir-se. Esta aparente vitória pode vir a sair-lhe cara, já que nada impede o paladino do Paulo Portas, de apresentar a sua recandidatura após o referendo de 11 de Fevereiro. Se conseguir ser reeleito, Ribeiro e Castro fica extremamente debilitado e sem qualquer controlo sobre o grupo parlamentar. Provavelmente isso obrigá-lo-á a pedir a demissão e a convocar um novo congresso do partido. Falta saber se o Paulo Portas já está pronto para assumir a presidência ou se simplesmente mandará mais um dos seus “meninos” para lhe aquecer a cadeira.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

A farsa Kavakista

Como sabem o Sr. Silva foi dar uma volta pela Índia com a sua Maria e levou a uma comitiva atrás, como faz qualquer soba que se preze. Andou por lá uma semana e para que aqui não se dissesse que esta viagem era só turismo, tinha combinado assinar um grande contrato no último dia da viagem. Afinal a ultima imagem é aquela que fica.
Azar, que por motivos desconhecidos aquilo deu para o torto e não houve assinatura nem contrato para ninguém. Num acto desesperado, e para que tudo este espalhafato da visita não acabasse em nada, aproveitaram um acordo, já em marcha, de uma pequena empresa portuguesa com 12 empregados e que nem tinha sido convidada para acompanhar o comitiva. Sempre deu para atirar com alguma areia para os olhos da nossa opinião pública. [Para ler a noticia AQUI].
Mais uma vez se mostra que, o importante para esta gente não é realmente encontrar soluções para melhorar a vida dos portugueses, mas sim alimentar o circo mediático com notícias e ilusões, de forma a se perpetuaram no poder como grandes governantes.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Partilhe