quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Noite de Oscares - Melhor Caixa de colecção

O "Cavaco d'ouro" destinado a premiar a melhor caixa de colecção vai direitinho para "Corrupção" onde podemos encontrar um conjunto de obras extraordinárias: "O Saco Azul", de Fátima Felgueiras, " O meu sobrinho da Suiça", de Isaltino Morais, "A grande Mama alfacinha", a obra prima de Carmona Rodrigues, “As mãos na massa”, de Valentim Loureiro e “Apito Dourado”, o épico de Pinto da Costa. Aguardamos ansiosamente os próximos volumes desta colecção.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Noite de Oscares - Melhores Cacique Fala Barato

Da Ilha da Madeira vem o premiado com o "Cavaco d'ouro" para o Melhor Cacique fala barato. João Jardim, com a sua abundante figura e léxico boçal, arrecada a estatueta. Este herói da Ilha das bananas, faz os seus papéis, escudado nos resultados eleitorais para o seu partido, no medo que os Presidentes da Republica parecem ter dele e pelas grandes quantias de dinheiro que emprega nas suas produções. A sua última obra "Eleições Regionais antecipadas" promete mais um sucesso.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Noite de Oscares - Melhor Conversa Fiada

Para Marcelo Rebelo de Sousa vai o “Cavaco d’ouro”para a Melhor Conversa Fiada, pelo seu papel no Referendo do Aborto, mas também por toda uma carreira, cheia de ruídos, tretas e efeitos especiais. Mergulhos no Tejo, homem do lixo, e mais recentemente, até salvador de nadador, com várias vidas salvas, que vão do mais cinzento cidadão ao Isaltino de Morais, não há papel que este professor não esteja disposto a representar. Pelo que soubemos, a sua grande ambição passa por salvar de afogamento o próprio Presidente da Republica, para aumentar a sua fama dizem uns, para falhar o salvamento e ocupar do lugar do afogado, dizem outros.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

terça-feira, fevereiro 27, 2007

Noite de Oscares - Melhores efeitos especiais

Este pobre da ordem do Millenium Opus Dei, sofredor pelos interesses do fisco, tem feito uma empenhada campanha para se manter no seu lugar. Com muita publicidade e efeitos especiais, que vão desde missas a concertos, Paulo Macedo ganha com todo o mérito o "Cavaco d'ouro" para os melhores efeitos especiais.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Noite de Oscares - Melhor Argumento Original

Fiel às suas origens não altera uma linha à "biblia" escrita pelo Comité Central do PCP. Jerónimo de Sousa é por isso o grande vencedor do "Cavaco d'ouro" para o Melhor argumento original".

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Noite de Oscares - Melhor argumento adaptado

Grande orador, mestre do debate, procura adaptar o argumento do socialismo ao do liberalismo global. "Socialismo caviar" para a esquerda mais tradicional, "socialismo radical" para a direita tradicional. Conseguiu transformar o BE em algo que não é nem carne nem peixe e por isso leva com o "Cavaco d'ouro" do melhor argumento adaptado.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Noite de Oscares - Pior Lider Secundário da Oposição

O CDS a conseguir mais um papel secundário ao ser premiado com o "Cavaco d'ouro". Se o seu partido não fosse tão insignificante poderia mesmo ter ter ganho o principal galardão para o Pior Lider Partidário da Oposição a Marques Mendes.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Noite de Oscares - Pior Lider Partidário da Oposição

Para ganhar este prémio Cavaco havia mais candidatos com hipóteses de ganhar, mas o peso do Partido que representa levou a melhor e o Pior Líder Partidário da Oposição vai direitinho para Marques Mendes.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Noite de Oscares - Melhor actriz secundária

O Cavaco de melhor actriz secundária vai para Paulo Portas, pelo seu papel na crise do CDS. Merecido, mais pelo espectáculo que pela actuação.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Noite de Oscares - Melhor Actriz dramática

Numa noite de entrega de Cavacos, este era daqueles que ninguém tinha dúvidas sobre quem o ganharia. Como melhor actriz dramática "Sócretina" pela sua interpretação como grande Primeiro-ministro. Uma interpretação convincente e que tem enganado muita gente.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

De que tem medo a Zezinha?

A CML não deixa de nos surpreender, com todos os seus casos e confusões. Depois de o PSD estar esfrangalhado em corrupção e compadrio, o CDS na pessoa da tia Maria José Nogueira Pinto, sempre tão fina e tão puritana, mostra um estranho medo do relatório do produzido pela comissão, nomeada pelo vereador social-democrata Sérgio Lipari, para analisar a gestão da Gebalis.
Primeiro esta mania irritante de processar toda a gente. Seja lá quem for que lhe levante a voz, ou a confronte com qualquer coisa, lá leva com um processo em cima para estar calado e quieto. Mas isso é mais mau feitio que outras coisas.
O que realmente se estranha é todo este nervosismo pelos resultados que do inquérito se vierem a provar. Esta preocupação com quem estava na comissão, para quem foram enviados os resultados, tudo isto é estranho. Mais ainda quando depois de considerar que esta vereação deveria continuar, mal surgiu este problema ai está ela e, o seu patrão Ribeiro e Castro, a clamarem por eleições antecipadas.
Será que receiam que com o avançar das investigações os resultados possam prejudicar a sua imagem junto dos lisboetas?
Não seria o mais correcto, exigir um rápido esclarecimento das acusações feitas no relatório para se provar a sua inocência em qualquer cabala? De que tem afinal medo a Zezinha?


Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, fevereiro 25, 2007

O Tigre de Papel

"O senhor Pinto de Sousa conhecido por engenheiro Sócrates tem aquela acutilância e aquela força toda quando vai ao Parlamento, porque ainda ninguém lhe fez frente. A partir do dia em que alguns deputados comecem a atirar-se a ele, toda a gente vai perceber que não passa de um tigre de papel ".

Em entrevista ao Expresso o “Bicho da Madeira” acertou umas e aparvalhou noutras. Senão vejamos diz que compete aos portugueses, "no seu próprio interesse", derrubar o governo socialista de Lisboa nas eleições de 2009, sustentando que "não podem continuar a cantar o fado, a gostar da fatalidade". Uma grande verdade, mas depois aposta na vitória do PSD nas legislativas de 2009 e quer ver o actual líder social-democrata, Marques Mendes, como primeiro-ministro. Asneira.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Tudo Bons Rapazes

"No Estado, como nos partidos, a cultura da excelência deu lugar à do compadrio criando um ambiente de subserviência e oportunismo onde sobrevivem os mais oportunistas e corruptos. É ridículo que sejam os responsáveis por este estado de coisas armarem-se em puritanos no parlamento com propostas generosas de combate à corrupção.
Veja-se o que o PSD fez na Câmara Municipal de Lisboa onde procedeu a um verdeiro assalto com um exército de inúteis que precisa do partido para encontrar emprego. São vereadores idiotas, administradores de empresas municipais incompetentes e assessores inúteis, todos eles pertencentes às clientelas pessoais de António Preto, Marques Mendes ou Santana Lopes.
Em vez de adoptarem leis para combater a corrupção talvez fosse mais útil que os partidos adoptassem regulamentos internos que evitassem que a sua própria sobrevivência dependesse da corrupção."

Extracto de um texto sobre a corrupção retirada do blog “O Jumento

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Sem espinhas

Ana Gomes, afirmou sobre Durão Barroso:
- "É um homem inteligente. O problema dele é a espinha dorsal".

Nós, que não gostamos que fiquem duvidas no ar sobre certas afirmações, enviámos imediatamente os nossos cientistas a Bruxelas para fazerem os estudos necessários. Se, relativamente à primeira afirmação não pôde haver confirmação, porque apesar das buscas intensivas não se encontrou um cérebro, já a segunda pôde facilmente ser provada com um simples Raio X. Espinha dorsal é coisa que não existe na pessoa do Durão Barroso como se vê na fotografia. Não que fosse necessário a imagem para o provar, o seu percurso politico e as atitudes que tomou, seriam mais que suficientes.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

sábado, fevereiro 24, 2007

As Primeiras damas

Uma das profissões mais estranhas deste e doutros países, é a de Primeira-dama. Não foi contratada nem eleita por ninguém, mas ascende ao cargo automaticamente com a eleição do marido. Até hoje nunca nenhuma reclamou do cargo ou se recusou a assumi-lo. Vendo bem, acabam por ser uma espécie de empregadas do Presidente e a sua principal função acompanhar outras primeiras damas de outros países durante visitas oficiais. Uma espécie de governanta, a chefe das criadas de serviço, a Senhora que serve o chá e as bolachinhas. Onde andam as sufragistas para reclamar desta situação?

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Professore titular - Só com saúde de ferro

Há já alguns dias perguntava-me que andaria a fazer, ou melhor a pensar, a Ministra da Educação. É que tanto tempo sem notícias dessa Senhora quase sempre pressupõe mais uma ideia triste. Parecia que estava a adivinhar e ai está ela a propor que os professores que tenham dado mais de nove faltas justificadas durante um ano, não possam ascender à categoria de professor titular. Portanto, professores de Portugal, vamos lá a tomar vitaminas, fazer uma vida saudável, não engravidar nem ter um acidente. É extremamente recomendavel a qualquer professor que deseje atingir essa categoria, não ir ao médico, não vá ele decidir pela necessidade de uma cirurgia, não fazer sexo, não vá surgir uma gravidez e até respirar em lugares onde existam outras pessoas deve ser evitado, não vá andar por ai um qualquer vírus a pairar no ar. Ir ao Ministério da Educação é totalmente proibido, já que ai existe um com toda a certeza; chama-se Maria de Lurdes Rodrigues.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

O sado-Masoquismo português

Se as eleições se realizassem agora, os socialistas teriam 47 por cento, contra 43 por cento em Janeiro, mais dois pontos percentuais do que os obtidos nas legislativas de há dois anos.
No sentido inverso está o PSD, que no Barómetro de Fevereiro caiu um ponto percentual, quedando-se nos 27 por cento (menos um ponto percentual que nas legislativas).
O PCP e o Bloco de Esquerda têm situações opostas: os comunistas sobem um ponto percentual para os 10 por cento, enquanto os bloquistas descem um ponto, de 8 para 7 por cento.
O CDS liderados por Ribeiro e Castro, que nos últimos meses registavam uma subida constante nas intenções de voto do Barómetro da Marktest para o DN e TSF, caíram agora três pontos, de 8 para 5 por cento.

---------Legislativas-----JAN--------FEV-----
PS.............45,8...............43............47
PSD..........28,7...............28............27
PCP............7,5................9............10
BE..............6,4................8..............7
CDS...........7,2.................8..............5
-----------------------------------------------------
Quando se junta um povo masoquista com um governo sádico, o que temos é aquilo que vemos em Portugal. O governo vai fecundando o povinho e este, como parece gostar, agradece-lhe pagando-lhe em votos. É verdade que o chamado eleitorado do centro se vê neste momento amarrado ao PS por falta de credibilidade do PSD e do seu líder. O CDS nunca foi, felizmente, alternativa a nada, o PCP vive sob o estigma do PREC e da queda do “Muro” comunista e o BE não é levado a sério por muita gente. O “centrão” está limitado a um PS, que aplicando a cartilha liberal, empurra e comprime todos à sua direita para fora dele. Contra uma esquerda que não se pode chegar ao centro, exactamente porque é esquerda e uma direita encurralada num canto, Sócrates reina em todo este espaço a seu belo prazer.
O que o povo tarda em compreender é que a alternativa é ele próprio que a tem de criar. Apoiando os partidos mais à esquerda vai forçar o PS e muitos daqueles que hoje vivem sobre a sua mão protectora, a ter de ocupar o seu lugar natural. Só exigindo uma maior justiça social, contestando as medidas da União Europeia que nos criam mais problemas que soluções, dizendo não à globalização capitalista que alastra e lutando contra as medidas que considera injustas, pode promover a criação das alternativas que hoje não têm. É que este rumo e esta falta de alternativas, como já se viu, não nos vai levar a lado nenhum.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

O tamanho é importante?

Sei que o assunto João Jardim, não tem a importância para lhe dedicar mais que um ou dois posts. A verdade é que só nesta semana, com faltas de testículos, carnavais e demissões, isto já vai em quase meia dúzia deles mas, é impossível resistir a imagens que me surgem. São mais fortes do que eu, e embora este blog seja feito para os “amigos” que me visitam, também o é para meu prazer pessoal. Peço desculpa mas vão ter de me aturar com as minhas manias.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Zeca Afonso

Há 20 anos partiu um amigo

Amigo
Maior que o pensamento
Por essa estrada amigo vem
Por essa estrada amigo vem
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também

Em terras
Em todas as fronteiras
Seja bem vindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também

Aqueles
Aqueles que ficaram
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também

Andam a brincar com Lisboa

Depois da divulgação de um relatório arrasador para a gestão da empresa municipal Gebalis – Gestão dos Bairros Municipais de Lisboa, a qual chegou a ser liderada pela vereadora democrata-cristã, durante a vigência da coligação PSD/CDS, Maria José Nogueira Pinto assumiu, aos jornalistas, não conhecer o relatório em causa, não deixando, no entanto, de garantir que não cometeu nenhuma irregularidade durante o período em que comandou os destinos da empresa em questão.
Assumidamente «zangada» com o PSD, a vereadora acusou ainda os sociais-democratas de terem transformado a câmara municipal no seu «quarto de brinquedos», afirmando que «já não tenho idade, nem estatuto, nem condição para brincar no quarto de brinquedos do PSD». «O PSD contou comigo enquanto foi para trabalhar, mas não para brincar. Neste momento, eu zanguei-me».

Eu, é que já não compreendo, nem a teimosia do PSD em não fazer eleições, nem o medo da oposição em acabar com esta morte lenta em que se encontra a CML. Não há dia que passe sem que se tropece em mais um cambalacho, ou surja mais uma suspeita. Enquanto isto a cidade, parada, vai-se degradando perante o desespero dos lisboetas. Até quando?

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Porque hoje é quinta-feira

Esta semana, talvez aborrecido pela nossa insistência em relatar os seus encontros com a Sócretina, o Sr. Silva ofereceu-se para se deixar fotografar com ela. Vestiu mesmo uma camisola do WeHaveKaosInTheGarden dizendo: - Sabem é que eu e a minha Maria somos vossos grandes admiradores. Embora nos tenhamos sentido tristes por isso, lá lhe fizemos o nosso melhor sorriso enquanto agradeciamos e tentavamos não vomitar.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

O Refém

O líder parlamentar do PS acusou o presidente social-democrata, Marques Mendes, de estar calado e refém de Alberto João Jardim. A intervenção do líder da bancada parlamentar socialista, a propósito da demissão do presidente do Governo Regional da Madeira, não foi ouvida por Marques Mendes nem pelo líder parlamentar do PSD, Marques Guedes, ausentes da sessão plenária.

Perante esta afirmação e pela ausencia do pequeno Mendes da Assembleia e das televisões fomos investigar. Efectivamente parece que o lider do PSD está mesmo refem do Bicho da Madeira e segundo consta até já existe um um filme sobre o assunto, que apresentamos aqui em primeira mão.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Numa qualquer quinta-feira

Ano 17869. Durante umas escavações são encontrados dois esqueletos entrelaçados. Muitas conjunturas irão certamente ser feitas, muitas explicações serão avançadas, muitas histórias serão contadas e os mais românticos, provavelmente verão aqui uma história de amor. Algum poeta poderá, talvez, dizer: - Amor, que seja eterno enquanto dure.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Urgências

Honestamente já nem sei o que pensar ou dizer deste governo do Sócrates e dos seus sócretinos. Na educação, sob o aplauso dos mais liberais, é o que se vê, ou melhor o que não se vê melhorar e o que se sente. O desemprego, bandeira elevada ao alto tanto na campanha como durante estes dois anos de governação, afinal atingiu números que já não se viam há 20 anos. As deslocalizações continuam, o investimento produtivo não se vê, a justiça contínua na mesma, a corrupção alastra, os impostos sobem, o poder de compras baixa, os mais ricos estão cada vez mais ricos e todos os outros todos cada vez mais pobres. Com a segurança social a dar-nos cada vez mais insegurança e a saúde a fechar portas para poupar dinheiro não sei o que nos resta. Se no caso das maternidades ainda poderia haver alguns prós e contras, nas urgências é nitidamente um assunto mais grave. Aqui estamos a falar da vida de pessoas e isso não pode estar sujeito a princípios economicistas. Espero que o Sr. Ministro saiba o que está a fazer, para não vermos mais noticias como as de Odemira e outras do género.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Mascaras de Carnaval- João Jardim

Uma máscara do soba da Madeira que encontrei esquecida no meio dos meus rascunhos. Atrasada, mas para este personagem o Carnaval é todos os dias.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

O gandi Gandhi da Madeira

Alberto João Jardim, também conhecido por Bicho da Madeira, quando questionado se ia combater os "cubanos do contenente" afirmou que não, que ele era um adepto do Gandhi. Agora sim, já posso dizer que ouvi tudo e que já ninguém me pode surpreender. Esta campanha, no vazio político em que vivemos, promete que nos vai animar.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Liberdade e justiça

Os presos de Guantánamo não podem contestar sua detenção na Justiça Federal dos EUA, segundo sentença proferida na terça-feira por um tribunal de recursos que confirmou uma parte importante de uma lei anti terrorismo defendida pelo presidente George W. Bush.
Shayana Kadidal, do Centro pelos Direitos Constitucionais, que representa centenas de prisioneiros, disse que a decisão "dá ao presidente o poder de fazer o que desejar com os prisioneiros, sem qualquer limitação legal, desde que faça isso no exterior."

Andámos nós aqui preocupados se despenalizamos ou não a IVG, e dos direitos de um embrião, quando no país, temente de Deus, que se arroga o maior defensor dos direitos humanos e das liberdades profere tais sentenças. Por mais ocidental, mais defensor dos seus valores civilizacionais que seja, como posso eu, defender estas realidades. Posso eu aceitar fazer parte desta civilização que aceita a barbárie no seu seio? Eu, não consigo e por isso sou obrigado a apontar o dedo ao “El Diablo” Bush por me colocar nesta posição. Por me tirar referencias civilizacionais tenho de o ver como meu inimigo. Está a destruir a minha fé na humanidade e isso não lhe posso perdoar. Claro que para todos os que estão ou passaram por Guantanamo, que sofrem e sofreram a tortura, a falta de direitos, de defesa, de julgamento e que nem sabem daquilo de que são acusados, terão muito mais razões para não gostarem dele.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Máscaras de Carnaval - Cavaco Silva

Soubemos que a discussão da máscara a usar por Cavaco Silva, neste Carnaval, foi um assunto de aceso debate em Belém, tendo sido mesmo pensada a convocação de um Conselho de Estado. Perante o impasse a que se chegou, a alternativa mais fácil e que exigia menos gastos passava, não por vestir uma mascara, mas simplesmente despir a de Presidente interventivo e muito preocupado com o país. O resultado foi o de um empregado de bomba de gasolina ambicioso e calculista. Ainda não era suficientemente diferente da actual realidade. Resolveram então retirar-lhe também mais essa mascara. Este foi o resultado. Foi então que decidiram que o melhor era que o Sr. Silva não desfilasse neste Carnaval, nem mesmo para comentar a demissão do Bobo do Carnaval Madeirense. Nós agradecemos.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Governação Laranja

Depois dos exemplos que o PSD nos deu com os governos de Durão Barroso e Santana Lopes, é triste ver que aquele partido continua sem rei nem roque. O pequeno Mendes parece não ter mão no partido, a governação laranja na Câmara de Lisboa anda mergulhado na corrupção e numa cidade estagnada, e agora na Madeira, João Jardim atira com o governo ao chão. Claro que só o fez porque sabe que tem a reeleição garantida e assim procura ganhar um maior protagonismo. Marques Mendes vê aqui a hipótese de ter uma vitória eleitoral, mas também já deve tremer com aquilo que o Bicho da Madeira vai dizer e fazer. É que este apoio pode vir a custar-lhe alguns dissabores e fazer zangar um Cavaco Silva que já deve estar farto do seu próprio partido. Nos últimos anos o PSD parece ter ganho o toque de Merdas, já que tudo onde toca se transforma em algo putrefacto e cujo odor pestilento só mesmo os seus lideres do parecem não notar.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Dois anos de gerencia da Madame Sócretina

Faz hoje dois anos que os que a Madame Sócretina chegou ao poder. Num país por onde tinham passado pelo poder a incompetência de um Durão Barroso e de um inqualificável Santana Lopes, a esperança de que algo pudesse mudar era legítima. Os impostos não iam aumentar, a justiça social ia ser defendida, a corrupção ia ser atacada, a justiça ia funcionar, eram as promessas. Dois anos depois é isto. A "Madame" desta casa de putas em que Portugal se tornou, ocupa o palco mediático a seu belo prazer, impõe uma disciplina de ferro à força do chicote, apaparica os grandes senhores e atira para a rua aqueles que não mostram uma carteira bem recheada. É ela que guarda as chaves do poder e reina a seu belo prazer.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Máscaras de Carnaval - Jerónimo Sousa

Para Jerónimo de Sousa proponho uma máscara de um Chefe Indio. Vermelho, inimigo dos caras-pálidas americanos que lhes retiraram os terrenos de caça em vários locais do Mundo, desde as planicies da Sibéria até ao Muro de Berlim. Uma homenegem ao velho chefe Indio Gerónimo.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Máscaras de Carnaval - O fisco

A policia do fisco

O Eunuco da Madeira

A prova que faltava.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

domingo, fevereiro 18, 2007

O Ano do Porco...no Governo Socialista

O Governo festeja a entrada no Ano do Porco sob a batuta de José Sócrates. A pergunta que se faz, é porque razão necessitam os outros Sócretinos de usar máscara para se parecerem com aquilo que já são.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

O Ano do Porco...no PSD

Para o PSD, neste ano do Porco, prevê-se o "Triunfo dos Porcos" como não podia deixar de ser. Cuidado que na sua semelhança alguns são mais iguais de que outros.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Ano do Porco...no CDS

Inicia-se hoje o Ano do Porco no calendário Chinês. Por cá também deve ser o ano em que vamos assistir à sua matança. Já muitos afiam a faca enquanto se babam alarvemente. Na próxima terça-feira, no programa o Estado da Arte, o Paulinho das feiras deve dar a primeira estocada.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

sábado, fevereiro 17, 2007

A tocha humana

Este homem afirmou que meteu as mãos no fogo pelos seus antecessores, ou seja por gente que apoiou e aplaudiu a ilegal invasão do Iraque, e que nos "vendeu" a ideia das "armas de destruição maciça” como, por exemplo, Durão Barroso e Paulo Portas. Será assim tão corajoso ou simplesmente fanfarrão?

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Chapéus há muitos...e voos da CIA também

«Enquanto eu não tiver nenhum elemento que me prove que os meus antecessores, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, no Ministério da Defesa, no Governo de Portugal, cumpliciaram com qualquer ilegalidade cometida em território português, a minha obrigação é pôr as mãos no fogo por eles e assim farei»,
Luís Amado.

Embora a afirmação ter desaparecido das notícias, também o ouvi dizer que Guantanamo, não é um problema nosso, mas sim dos americanos.
Ao ouvir estas duas afirmações logo fiquei na dúvida se deveria fazer um boneco com o Ministro a arder ou se a figura de um Pilatos a lavar as mãos lhe ficaria melhor. Na dúvida fiz este malabarista. É que “chapéus há muitos” e a carapuça só a enfia quem quer.

PS:
De acordo com uma carta do MNE dirigida a Ana Gomes de 5 de Dezembro, mas apenas recebida a 26 de Janeiro, e consultada pelo JN, o SEF dispõe dos registos relativos a vários voos das duas aeronaves em causa um Boeing 737 (N 313P N4476S), aparelho que efectuou oito passagens por Portugal (escalas de partida ou de chegada nos aeroportos do Porto e Santa Maria nos Açores) no qual viajou o cidadão alemão Al-Masri; nos casos de Omar e Khadr, tratou-se de um Gulfstream IV (N85VM N227SV), que efectuou seis passagens por Portugal (aeroportos de Santa Maria, Cascais e Lisboa) entre 7 de Novembro de 2003 e 16 de Maio de 2005, incluindo ligações "de" ou "para" Guantanamo (Cuba), Tuzla (Croácia), Misurata (Líbia) e Rabat (Marrocos).

in "JN"

Não andará o Ministro com um calorzinho nas mãos?

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

A Câmara da asneira

Há muito que a CML faz que funciona mas não sai do mesmo sítio. Escândalo após escândalo, a “Grande Mama” como já é conhecida, nunca tinha atravessado uma crise como a actual.
Fontão de Carvalho, o actual vice-presidente e dono e senhor do pelouro das finanças, há muitos mandatos e muitas histórias, foi constituído arguido há três meses num processo referente à EPUL e nada disse a ninguém na câmara, nem mesmo ao Presidente Carmona Rodrigues. Questionado porque o não tinha feito, respondeu:
- Porque ninguém me perguntou. - Esta nem ao diabo lembrava.
Pelo seu lado, Carmona Rodrigues resolve sair em defesa do seu vice, compromete a direcção do PSD na decisão da sua continuidade no cargo, justificando-a com a seguinte afirmação:
- Se todos os autarcas que são arguidos tivessem de suspender o mandato, de certeza que o país não estava a funcionar neste momento. - Porra, estamos bem lixados, quando a pouquíssima corrupção que é investigada chega para parar o país. Imaginem o que seria se lhe juntarmos toda a outra que existe e que nunca chega à justiça. Que raio de país este.
No último capitulo desta novela, Marques Mendes, retira a confiança a Fontão de Carvalho, mas nada faz sobre a crise de Lisboa. Até quando vai durar esta palhaçada? É que há gente que mora e trabalha em Lisboa e necessita que a cidade funcione.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

O Eunuco da Democracia

Alberto João Jardim diz que portugueses não têm testículos para dizer que o referendo à interrupção voluntária da gravidez (IVG) não é vinculativo.

Pelos vistos o Bicho da Madeira, para além da concepção estranha que tem de democracia, também é surdo. Até hoje não ouvi ninguém dizer que este referendo, à luz da actual lei, é vinculativo. O que foi democraticamente assumido é a opção maioritária dos portugueses a favor do sim no referendo sob a despenalização da IVG. Talvez o Bicho ainda não tenha entendido que neste país, quem faz as leis é a Assembleia da Republica e, que nem teria havido a necessidade de fazer qualquer referendo para a aprovar. O PS resolveu realizá-lo simplesmente porque considerou mais correcto faze-lo, arriscando-se assim a uma vitória do Não, como já tinha sucedido em 1998. Nessa altura, com uma votação inferior à actual e portanto também não vinculativa, foi respeitado o resultado.
Quem afinal não parece ter testículos para aceitar a democracia e a livre opção de voto dos portugueses é o Sr. Jardim. De eunucos da democracia estamos nós já fartos.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Fechem as janelas

Cuidado, esta traça quer entrar pela janela para vos roer os empregos.
(Veja como no post abaixo)

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Janelas para o amanhã

"Se lhe fecharmos a porta à flexibilidade no emprego ela nos vai entrar pela janela."
Vieira da Silva, Ministro do Trabalho e Segurança Social

Avisa-nos o Sr. Ministro, que a flexisegurança, ou outra coisa qualquer do género, com esse ou outro qualquer nome, mas que representará sempre uma menor segurança no emprego e na vida, vem ai e, que se lhe fecharmos a porta ela nos vai entrar pela janela. A inevitabilidade do aviso demonstra a falta de consciência social e o liberalismo deste governo "socialista". Para nós, comuns mortais, ferramentas descartáveis dos deuses do lucro, é difícil entender esta incapacidade governativa de defender a nossa casa. Temos de manter a porta aberta ao ladrão ou ele assalta-nos pela janela. Ladrões deste país, aproveitem que em casa do Sr. Ministro até vos deixam a porta escancarada para vos evitar o trabalho de terem de entrar pela janela.

Hoje ficámos a saber que a taxa de desemprego atingiu o valor mais alto dos últimos vinte anos. Já sabíamos que, apesar dos nossos salários serem dos mais baixos da Europa e pagarmos dos impostos e preços mais altos, estamos a perder poder de compra todos os dias. Já sabíamos como funcionam os serviços e a segurança social, de como a justiça é incapaz de controlar a corrupção que alastra tanto no meio político como no empresarial. Já sabíamos isso e muito mais, pelo que sabemos muita coisa. Também sabemos que muitas disto que sabemos está a acontecer porque seguimos no rio da liberalização do capitalismo global. Globalização esta que está a criar cada vez mais desigualdades no mundo, a destruir o ambiente e os recursos naturais, e a provocar cada vez mais guerras e mais terrorismo. Não será altura de questionarmos se não haverá outros caminhos que possamos escolher? Não existirão outras vias em que não tenhamos de manter as nossas portas abertas a qualquer “vampiro” que por elas queira entrar? Eu digo que sim e que é urgente garantir a segurança desta nossa casa já tão devassada.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Dia dos Namorados

Sonho cavaquista de um dia de São Valentim nos portões de Belém.
Estranhos designios estes, os do coração.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Fátima Felgueiras - O Julgamento final

Like a virgin
Touched for the very first time
Like a virgin in a material world
And I' m a material girl
And I am a material girl

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Haja dinheiro

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) quer atribuir um seguro de saúde a cada criança que nasça na capital e cujos pais sejam residentes em Lisboa, ficando a autarquia com a responsabilidade do pagamento da totalidade das despesas.
“Este projecto insere-se numa política social que pretende incentivar a população jovem a fixar-se em Lisboa e assim criar condições de competitividade na cidade”.

Não sei se esta “brilhante ideia” de Carmona Rodrigues lhe terá subido à cabeça durante um pesadelo sobre a sua presidência da CML, onde a necessidade de aparecer numa notícia que não tratasse de corrupção era urgente, ou se a urgência é outra e se prende com alguma necessidade de preparar o seu futuro em alguma administração de uma qualquer empresa privada.
Em Portugal existe um SNS, pago com os nossos impostos, e que deve servir toda a população. Claro que, qualquer um de nós pode optar por também ter um seguro de saúde, desde que pague por isso. Não se compreende é que, a CML resolva fazer que os nossos impostos sirvam para pagar a privados, um serviço que já é oferecido pelo estado. Não se compreende mais esta benesse dada às seguradoras e este favor feito à medicina privada. Não se compreende mais este desperdício de dinheiros públicos, numa câmara tecnicamente falida e que deve quase mil milhões de euros à banca. Não se compreende que não se tenha já concluído que este executivo já não tem condições para governar Lisboa.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Dia dos Namorados

Um amor de conveniência que já dura há um ano. Aceitam-se apostas de quem será o primeiro a "por os cornos" ao outro.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Dia dos Namorados

Se este é um amor verdadeiro ou simplesmente uma paixão do momento saberemos um pouco mais lá para a frente.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Dia dos Namorados


Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

terça-feira, fevereiro 13, 2007

O doce sabor da vitória

Estes devem ter sido, dos políticos portugueses dois dos que ficaram mais felizes com a vitória do Sim no referendo sobre a IVG. Isto, não só por desejarem o fim dessa lei retrógrada, que humilhava e enviava as mulheres para a cadeia, mas sobretudo porque foi, talvez, a primeira vez que puderam festejar o sabor da vitória em actos eleitorais. Também eu tenho de reconhecer que já estava a ficar cansado de ver o meu voto estar sempre do lado dos perdedores. Sei que isto nada vai alterar de substancial na política portuguesa, e que em 2009 lá estará o meu voto, de novo, a não ser mais que um “voto de oposição” contra os vencedores da noite. De qualquer forma soube bem.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Os "bófias" do Fisco

Esta arrepiante dupla apareceu hoje a falar dos sucessos na luta contra a fuga e a evasão fiscal. Números e mais números com processos, contra-ordenações, acusações, prisões, percentagens de tudo isto e, ainda mais comparações, previsões e sei lá que mais. De pôr a cabeça tonta a quem ouça e tente assimilar toda aquela panóplia.
Para além da continuação da campanha publicitária para manter o assalariado do BCP/Opus Dei na liderança da DGCI, todos devemos ficar satisfeitos com uma mais justa cobrança de impostos e da luta contra a fuga ao seu pagamento.
Teixeira dos Santos, para além de uma campanha publicitária, veio lançar-nos a todos o repto de colaborarmos com o fisco nessa luta. Há que mudar as mentalidades e cada um de nós, cidadãos, deveriam sempre pedir o recibo em todo o lado e em cada despesa. Se eles não pagam o imposto quer dizer que é imposto pago por nós. Tudo isto é verdade, mas eu vou continuar a só pedir recibo em certos lugares e a não o fazer em outros. Peço desculpa a todos por esta minha falta de “cidadania”, mas para o fazer teria de ver cumpridas certas premissas.
Nunca irei pedir àquele senhor, um dos reformado da pobreza, que faz uns biscates e que me vem aqui substituir uma torneira ou fazer qualquer outro pequeno trabalho. Também àquele desempregado ou ao outro, o trabalhador com ordenado mínimo, que ao fim-de-semana ou depois do seu horário de trabalho, me vêm pintar um quarto nunca lhe pediria um recibo. Nem ao senhor ali da mercearia da esquina, que se mantêm aberto, cheio de dificuldades por não poder concorrer com as grandes superfícies, ou às pequenas lojas do bairro, portas meias com lojas de 300, nem ao pequeno restaurante que serve almoços baratos para tentar ganhar alguns clientes nos trabalhadores da zona, gente sem muito dinheiro para comer fora todos os dias. Toda esta gente abandonada por todos os apoios, agredida na viabilidade dos seus negócios pela gula dos grandes magnates do comércio, esforçada, para tentar manter o seu pequeno negócio ou simplesmente a sua sobrevivência não merece que eu lhes faça tal coisa. Essa gente não merece que eu os obrigue a ir dar do pouco que têm a um Estado que os abandonou e que pouco ou nada faz por eles. A esses não vou certamente pedir a factura ou o recibo.
Como disse concordo que todos devemos pagar os nossos impostos, mas gostava de ver esse dinheiro bem gerido e bem gasto. Dá uma certa raiva ver o nosso sacrifico, o nosso dinheiro que tantas vezes nos faz tanta falta, a ser esbanjado em Otas e TGVs, em rotundas sem sentido, em mordomias, em negócios corruptos, em enriquecer alguns à custa de todos nós. Talvez quando vir e sentir que esse meu dinheiro está a ser gasto naquilo que é o essencial, a saúde, o ensino, na segurança, na criação de uma vida digna para todos, quando vir o estado servir para aquilo que existe que é servir o país ou seja todos e cada um de nós, então talvez aceite a ideia de ser um policia do fisco. Até lá, se não se importam, vou continuar a dar à minha consciência a primazia da decisão.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Partilhe