domingo, abril 23, 2006

PACHECO PEREIRA XVII

Depois de ver o post do "O Arrebenta" no The Braganzzzzza Mothers, lá fui eu pacientemente, ler o texto do Pacheco Pereira ao blog do homem. Embora já ande um pouco farto, daquela escrita longa e pomposa, fiz um esforço para chegar ao fim. Penso que ai cheguei um pouco como "O Arrebenta", farto, com muito por onde discordar, mas sem a paciência necessária para contrapor a tudo aquilo. Ele ainda se deu ao trabalho de o fazer relativamente a um parágrafo eu nem isso.

A mim, apetecia-me republicar o meu post “Pacheco Pereira XVI” (publicado no dia 20.04.06), “Juiz de consciências”, utilizando as leis por si escritas, condenando ou ilibando tudo e todos pelos crimes que só ele conhece. A verdade é que, não havendo apelo nem recurso para as suas penas, acaba transformado no próprio carrasco.
Contributo para o Echelon: SIGDASYS, white noise

5 comentários:

  1. B'noite K'mrd. Sendo o pacheco um velho "amigo" dos meus blogues vou voltar a ripar um imagem tua hoje, no

    www.ocavaco.blogspot.com


    abraços.

    ResponderEliminar
  2. Tiveste pachorra para ler o texto? Pois eu não. Não li e não gostei.

    ResponderEliminar
  3. não percebo porque se atribui importância a essa criatura....
    não sou cliente da "prosa" que, não passa de vómito....

    ResponderEliminar
  4. jpp é o papa da cultura ilegível... pergunta: se a cultura de jpp é ilegível então será... cultura?

    ResponderEliminar
  5. Kaos no seu melhor: " Juiz de consciências”, utilizando as leis por si escritas, condenando ou ilibando tudo e todos pelos crimes que só ele conhece. A verdade é que, não havendo apelo nem recurso para as suas penas, acaba transformado no próprio"

    Não tenho mais nada a acrescentar!

    ResponderEliminar