sexta-feira, maio 19, 2006

A queda do Império Americano

O presidente do Equador, Alfredo Palacio, enviou militares para ocupar as instalações da companhia de petróleo norte-americana, Occidental Petroleum (Oxy).O ministro da Defesa, Oswaldo Jarrin, afirmou que os soldados iriam garantir a segurança das instalações enquanto elas são transferidas para o controle estatal
Em represália, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, suspendeu as negociações para um tratado de livre comércio com o Equador. Neena Moorjani, porta-voz da Casa Branca, disse que o governo americano estava "decepcionado"

A dança continua na América Latina. Cuba, Venezuela, Bolívia e agora o Equador, sem falar de outros tantos países onde os candidatos da esquerda têm vindo a ganhar eleições. A cada dia que passa, os EUA olham para baixo e vêm mais gente para colocarem no “eixo-do-mal”. Pela primeira vez na história começam a ver o “inimigo” mesmo ali ao lado das suas fronteiras, resultado da política que sempre adoptaram para aquela região.
Durante muitos anos, ai promoveram golpes de estado, apoiaram ditadores e apadrinharam a existência de uma cultura de miséria para aqueles povos enquanto exploravam os seus recursos naturais.
George Bush está cada vez mais apertado na sua politica, com as guerras do Afeganistão e Iraque a consumirem-lhe recursos militares e popularidade interna, o Irão e a Coreia do Norte a baterem o pé e a avançarem no Nuclear, a Rússia e a China a vetarem-lhe as resoluções na ONU e agora com o crescendo da animosidade na América Latina. Estaremos a chegar ao fim do sonho do Império Americano?
.
Contribuição para o Echelon: psyops, infiltration

17 comentários:

  1. Chegarámos então ao fim do pesadelo do Império Americano!

    ResponderEliminar
  2. Kaotica:
    Quando um acaba surge logo outro a querer ocupar o seu lugar.

    ResponderEliminar
  3. será que a revolta dos povos vai pôr fim a esse império?
    e que entraremos numa nova ordem?
    esperemos que sim! o mundo merece!

    ResponderEliminar
  4. Espero que sim, espero tambem que seja o mais pacifico possivel, de certo que irá se desmoronar, o que me custa, é nós Europeus não estarmos à frente destas pequenas revoluções...

    ResponderEliminar
  5. luikki:
    A besta ainda não está morta, só acossada.

    ResponderEliminar
  6. huuuuuumm......não subestimes...

    qualquer dia, acordamos e está a américa do sul com arame farpado à volta, transformada numa cuba gigante lol

    no médio oriente costuma dizer-se: nunca se pergunta se o homem está morto, pergunta-se se está morto e enterrado ;)

    bjinhos

    ResponderEliminar
  7. anarquista:
    Nós europeus perdemos muito tempo a olhar para o nosso próprio umbigo que esquecemos o mundo que temos à nossa volta. É pena

    ResponderEliminar
  8. Cristina:
    Então deves compreender como se sente agora a cuba pequenina. Eu sei que os EUA são capazes disso e de muito mais. Mas, com a china, Rússia, Índia e mais alguns não se atrevem eles a fazer farinha. Afinal a história mostra-nos que todos os impérios caem quando começam a crescer demasiadamente rápidos para a capacidade de resposta do próprio império. Pode não morrer, mas está doente.
    bjs

    ResponderEliminar
  9. kaos

    voltamos a Cuba...lol.
    é óbvio que o embargo limitou muita coisa, mas a repressão não é culpa dos americanos, a falta de liberdade também não, a proibição de os cubanos saberem o que se passa pelo resto do mundo também não, a proibição de sairem, etc.

    como se vê, não é preciso nada disso para "bater o pé".


    e o império estará doente, mas não morto e muito menos enterrado ;)


    jinhos

    ResponderEliminar
  10. Cristina:
    Ai, cuba, cuba! Foste tu que referiste que os EUA poderiam tornar a América do Sul numa "cuba gigante". E eu até acredito em ti. Também não defendo o regime cubano nem a sua falta de liberdade, mas que muitas vezes só olhamos para a rama e não compreendemos as verdadeiras razões que por lá se escondem. Será que se Cuba fosse mais aberta conseguiria sobreviver ali tão perto do seu maior inimigo?
    Já me informei e o Fidel tem uma filha que está fugida e é uma anti-Fidel ferrenha, pelo que deserdada (dai ele ter afirmado que não tinha herdeiros).
    Quanto ao império, a pergunta que faço é porque raio têm de existir. Não poderão existir só países sem que uns tenham de por as garras no que é dos outros? Se eu não me meto na vida dos meus vizinhos porque hei-de aceitar que os países o façam.
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Kaos, estás mais do que certo. Cai um império e levanta-se outro e temo que o próximo império seja a China, e, sinceramente, não sei se será melhor que o americano.

    ResponderEliminar
  12. Esquadrão:
    Não será certamente melhor. O Imperialismo é sempre uma imposição de vontades e culturas (aos conquistados) o que acaba sempre por ser uma violação daquilo em que acreditamos. A China é um perigo real e toda esta descrença nesta democracia podre só nos torna ainda mais vulneráveis

    ResponderEliminar
  13. Olha, se fosse católica, diria: Deus te ouça! Mas mesmo assim digo, será que temos essa graça? Adorei esta imagem. Gosto de todas, mas esta, gostei especialmente, talvez porque na relação inversamente proporcional ao que gosto da pessoa visada...só uma coisinha, por acaso até já estive com cubanos que vieram actuar em Portugal...e gostei e eles também gostavam muito do seu país!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. tb:
    Já vi que ambos temos um amor identico pelo Sr.Bush e pelo seu país. O meu unico receio é aluta que se vai travar pela ocupação do lugar que eles ocupam.
    Eu já fui a Cuba e aquilo que por lá vi é um povo cheio de necessidades, mas muito orgulhoso do seu sistema social (educação, saude). Há falta de liberdade? Há, mas se assim não fosse hoje provavelmente já la existiria um qualquer novo Batista ao serviço dos EUA. Se não existisse o vergonhoso bloqueio Americano talvez tudo fosse melhor.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Voltei cá. Gosto de reler de vez em quando. Concordo em absoluto contigo. Certos meios e pessoas antes de falarem deveriam olhar bem para a realidade, independentemente de se estar a favor ou contra o regime. Acho que tem sido um acto heróico de resistência....e no entanto poucas pessoas (das que contam, claro!) falam desse vergonhoso embargo...se fosse o iraque, ou assim...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. tb:
    também eu tenho muito respeito por quem não desiste quando lhe colocam dificuldades.
    bjs

    ResponderEliminar
  17. Anónimo2/6/06 19:24

    Esse lixo esquerdista tem que ser estiprado. bsta os americanos colocarem em ação todo o seu potencial militar. Cuba e essa escumalha imunda não temm como resistir a explosão de uma bomba atômica.

    ResponderEliminar