segunda-feira, junho 26, 2006

O Senhor das Chamas

A área florestal consumida pelas chamas neste semestre já ultrapassou a média registada nos últimos cinco anos. Apesar da aposta do Governo no reforço da vigilância e do combate aos incêndios, em apenas um mês foram devastados 6799 hectares de floresta, enquanto a média dos últimos cinco anos foi de 3846 hectares. Números que fizeram do mês de Maio um dos piores de sempre e que fazem antever um Verão negro.
Retirado do "Ideias Fixas" do amigo Sá Morais
.
Mudam-se chefias, criam-se serviços, extinguem-se outros, propagandeia-se mais meios, mais aviões, novas técnicas, mais e melhor em tudo. Prepara-se a época de incêndios durante todo um ano com a promessa de que agora sim, estamos preparados. Nós queremos acreditar nisso, mas mal o sol e o calor nos convidam para a praia, também convidam o fogo para fazer piqueniques nas nossas matas e florestas. Sendo a maioria dos fogos que nos assolam no verão de origem criminosa, talvez fosse mais útil utilizarem, algum do tempo que gastam em baralhar e dar de novo, a combater as causas que os acendem. Talvez fosse mais útil saber porque existem em Portugal tantos incendiários e quem lhes encomenda o sermão, que é como quem diz, quem lhes paga.
.
Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

14 comentários:

  1. Isso é o que chamo colocar o dedo na ferida.
    Tanto barulho, mas nada fazem para cortar o mal pela raiz. Ainda por cima não é assim tão difícil para quem detém o poder...
    Enfim!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. tb:
    Dificil ou fácil era uma necessidade urgente. Se não se mexem mais dia menos dia não vai haver nada para arder (talvez seja essa a solução de que estão à espera para poder dizer que resolveram o problemas dos incendios)
    bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Olha pra ele!
    Atão e se se resolvesse o problema que é que se fazia ao dinheiro que se gasta nisso tudo hein? Ainda ía parar a esses gastadores do Ministério da Saúde, ou ainda pior ao Ministério da Defesa ou da Educação!
    Permite-me um apelo:
    Incendiários deste páis, pensem em como seria divertido ver a Assembléia da República a arder com os deputados lá dentro! Era linnndddoooooo!

    ResponderEliminar
  4. os fogos são um grande negócio....
    vejam-se os esquemas montados com a compra dos helicópteros russos kamov 32, e a eventual aquisição do avião beriev 200, também russo, que tem uma particularidade:
    nunca apagou um único incêndio!
    depois de arder, não é feita a re-florestação...
    as terras ficam abandonadas e nasce o eucalipto...
    depois, é só aguardar que venham as plantações "oficiais" a cargo dos industriais da pasta de papel...
    faz sentido a quem interessam os fogos?
    e castiça a posição dos governantes:
    os fogos não são na sua maioria de origem criminosa....

    ResponderEliminar
  5. parece que costa cometeu dois grandes erros:
    1. Apostou numa estratégia de combate a fogos no "primeiro instante", a menos de 20 minutos depois da eclosão do fogo, e todos estes incêndios foram detectados muito depois desse período...
    2. O mapa de risco parece estar a ser um fiasco. Os incêndios (como o de Barcelos) ocorreram fora dessas zonas e não havia nas imediações os meios aéreos...
    3. A isenção do IVA para a limpeza das matas que o governo prometeu não ocorreu ainda...

    como se vê... Costa tem muitas culpas no cartório.

    ResponderEliminar
  6. Imagem suberba e que diz muito!
    De facto, apenas podemos agradecer à metereologia o facto de não haver já nuvens de fumo negro a morder as florestas e a nossa "alma". Erradamente, continuamos a apostar na prevenção quando a raiz do problema está no fogo de origem criminosa. Parece que ninguém quer remexer nos obscuros interesses das máfias do fogo. Porque será? Talvez o polvo tenha tentáculos que chega a lugares cimeiros... Não sei... Enquanto não se assumir essa verdade, não haverão meios os estratégias que cheguem...
    Será que vamos ter outro verão com imagens daqueles velhotes desesperados, a chorar, enquanto observar impotentes as cinzas dos seus parcos haveres? Até nisto os mais pobres é que se lixam... Fica-me a ferver o sangue só de pensar nisso!
    Nos tempos dos meus avós eu fazia patrulhas nos pinhais de caçadeira em punho e nunca nenhum deles ardeu... Talvez o povo tenha de se organizar desse modo e se depois deitar um desses criminosos para o lume pode ser que eles aprendam...

    grande abraço

    ResponderEliminar
  7. se não conseguem saber quem os encomenda, pelo menos uma coisa podem fazer...vigilância. por exemplo, o que é que estão a fazer os soldados nos quarteis??

    e se esses personagens passassem o verão a vigiar as florestas, não lhes fazia mal, pois não?
    é que um fogo quando começa apaga-se com um balde de água. daí por meia hora, é incontrolável..


    bjinhos, bela imagem.

    ResponderEliminar
  8. Anonimo:
    Não sei se gostava de ver a AR a arder. Arranjavam outro qualquer buraco para se meterem. Vamos deixar o fogo para coisas uteis.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. luikki:
    Penso que todos nós temos uma ideia de coco e porquê acontecem os incendios. Também o estado o deve saber, mas como dizes muitas vezes valores mais altos se levantam. Paga a floresta e todos nós. como sempre

    ResponderEliminar
  10. Rui:
    Tem o Costa, todos os que lá estiveram antes e penso todos os que para lá forem. Tem de se ir ás causas reais do problema. Como dizes bem as apostas foram, em alguns casos erradas. Neste caso temos ainda uma outra "aberração" que é o facto de o governo ter aproveitado este caso para grandes acções de propaganda, mostrando estar a trabalhar afincadamente, e depois "pedir" aos orgãos de informação para não darem as noticias dos fogos (para não publicitar os incendiários e criar a vontade a novos). Uma ideia que vende mal
    um abraço

    ResponderEliminar
  11. Sá morais:
    Os interesses parecem ser evidentes. Como em qualquer crime a primeira pergunta a fazer é quem benefecia com eles. Directa ou indirectamente. Mais os negócios da prevenção, com aviões eleicopetros, carros, etc.
    Quantoa ás imagens não te ptreocupes que a Comunicação social já foi preparada para "colaborar".
    as patrulhas de que falas podiam apanhar os incendiários do fosforo, mas não apanhavam o do livro de cheques
    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. Cristina:
    E depois que se fazia aos aviões e elicipetros que se andam a comprar? E os negócios de aluguer de aviões? Tem de haver motivos que os justifiquem.
    Com as actuais tecnologias seria prefeitamente viavel a colocação de camaras e semsores para detecção prepamuta de fogos. Houvesse vomtade
    bjinhos

    ResponderEliminar
  13. Subscrevo inteiramento o comentário do Luikki: os fogos são um grande negócio. Só perde quem morre ou vê o pouco que conseguiu juntar numa vida de trabalho esfumar-se de repente.
    Começo a achar o negócio do fogo um polvo.

    BeijInha

    ResponderEliminar
  14. inha:
    Quem perde somos todos nós, menos os que ganham e muito com isso. São muitos negócios dentro de uma caixa de fosforos e é triste ver que ninguem parece querer realmente resolver o problema
    bjinhos

    ResponderEliminar