sexta-feira, agosto 08, 2008

Pecados Originais

 O Pecado Original

O comando marítimo do sul, Reis Águas, decidiu proibir as massagens nas praias algarvias. A justificação para esta proibição está relacionada com o receio de eventuais fins mais quentes de massagens que até podem começar inocentes. Agora, o mesmo comandante decidiu proibir a distribuição de maçãs nas praias algarvias, umaa iniciativa da Fundação Portuguesa de Cardiologia e da Associação de Produtores de Alcobaça alegando tratar-se de publicidade que sujaria as praias.

Puritanismo, preconceito e parvoíce no primeiro caso, falta de sensibilidade, cegueira e uma vez mais parvoíce deste militar. Não sei se busca protagonismo e dar nas vistas, se foi possuído pelo “espírito” da ASAE ou se simplesmente é parvo. Massagens, maças, tudo isto parece demasiado bíblico, demasiado “pecado original”, demasiado moralista. Assim se vai transformando esta nossa sociedade, a nossa forma de vida, a vivencia deste país, com regras e mais regras, se vai habituando as populações ao proibido, a uma moral bacoca e ridícula. Tanto que há para fazer, tanto que há controlar na destruição do nosso ambiente, com tantos a pensar no lucro e em nada mais e preocupam-se com parvoíces. Preocupem-se em saber que justiça há em bloquear o acesso a praias, que por lei não podem ser privadas, com a construção de condomínios privados que nos impedem a passagem, como acontece agora em Tróia. Preocupem-se em salvar a costa Alentejana que está a ser atacada pelos interesses imobiliários. Preocupem-se em deixar que os portugueses também possam usufruir das maravilhas do seu país e não se transformem em simples criados dos senhores que nos visitam. Preocupem-se em defender os direitos de todos e não só de meia dúzia de galifões

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

15 comentários:

  1. Anónimo8/8/08 00:31

    Isto está a ficar lindo. Clique
    Aqui para ver como este caso dava um lindo boneco.

    ResponderEliminar
  2. anonimo:
    Já tinha lido a noticia no DN Amanhã vou fazer um post sobre o assunto

    ResponderEliminar
  3. Gostaria de ver criada uma brigada para defender a costa alentejana. As zonas protegidas não são para "desenvolver" campos de golfe, condomínios e empreendimentos turísticos. As zonas protegidas são para proteger!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo8/8/08 05:34

    O Águas, reconheço-o, é um homem coerente e sabido. Tem razão quando proíbe as massagens "...porque nunca sabemos como acabam", NEM QUANDO, devia ter acrescentado. É que há massagens mais demoradas que outras, temos que convir, e não era bonito de ver, às 9h00 da noite, uma fila de pessoal à espera de vez.
    Quanto às maçãs, lamento, mas o Águas tem de novo razão. Imaginem o filme: uma mulher bonita, 4/5 despida, deitada na areia da praia, a mordiscar e a lamber uma bela maçã vermelha, olhando ao redor com aquele olhar que as mulheres bonitas, na praia de bikini, têm quando mordiscam e lambém maçãs vermelhas. Valha-me Deus!!! Se nem em o Adão, que foi pessoalmente prevenido resistiu qum resistiria?
    E depois surgiria ali uma «janela de oportunidades» para outros negócios como a venda de perserverativos, pílulas para os dias seguintes, viagra, etc...
    E, como bem diz o Águas, ficava completamente desvirtuada a razão que leva um cristão à praia. Vamos é manter os bons velhos usos e costumes e deixemo-nos de modernices.

    ResponderEliminar
  5. revista electrónica em que participo http://www.scribd.com/groups/view/8296-samizdat

    ResponderEliminar
  6. Anónimo8/8/08 08:56

    Não podia estar mais de acordo com o post. Subscrevo na integra!

    ResponderEliminar
  7. Este é daqueles sobreviventes da sinistra PIDE, que ainda andam na noite escura procurando a presa.

    Esta proibição é tão absurda e pidesca/salazarista/fascista, como estas: possuir isqueiro (mas eles existiam), ir às putas (mas elas existiam), andar na via pública depois da meia-noite sem justificação (pelo menos no meu burgo era assim), jogar às cartas no comboio, as enfermeiras e hospedeiras de casar e outras que não me recordo.

    Num país a sério com governantes a sério estes moralistas filhos de puta já à muito que estavam na prateleira.

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Anónimo8/8/08 11:34

    Um dia destes ainda nos impõem a sharia (essa coisa da Idade das Trevas), a ver pela onda de moralismo puritano que infectou as nossas autoridades.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo8/8/08 11:37

    Os reprimidos que cá ficaram e que hoje ocupam o lugar dos repressores que cá estava.
    Tudo para o meco e em força!!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo8/8/08 12:52

    Só vejo um modo de combater isto. Bora todos para a via pública comer maçã e a dar massagens uns aos outros! A depravação total, apenas igualável à cena final do livro "O Perfume"!

    Elsie

    ResponderEliminar
  11. Anónimo8/8/08 14:55

    Desde que um destes comandantes lançou um alerta para evacuar praias do Algarve devido a uma onda gigante que tardava em chegar, caíu na lama todo o crédito da Briosa. Se já não havia marinheiros a sério, agora nem oficiais de encantar.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo8/8/08 16:56

    Olá Kaos

    Para que as consciências não adormeçam, vou propagando os teus escritos acrescentando os meus pozinhos.

    http://generalidades.forum.sapo.pt/showthreaded.pl?Cat=&Board=parlamento&Number=1236477&page=0&view=collapsed&sb=5&fpart=&vc=&o=0

    Boas férias.
    Beijinhos à Paula.

    Isabel

    ResponderEliminar
  13. então não se vê logo que o homem é parvo?! O pior éque são estes e outros que tais que têm nas mãos os destinos deste pais. e isso é que doi.
    bjos

    ResponderEliminar
  14. agora que vou até aos ALLLLLLgarves
    e até já sonhava ver-me numa barraquinha destas a levar uma boa massagem, vem um imbecil puritano e estraga tudo.
    O homem deve ter algum trauma...
    ai tem tem.
    PQP

    ResponderEliminar
  15. Mas isso amigo kaos insere-se no espírito luso de alguns cidadãos que investidos em cargos nos quais podem exibir a sua autoridade, não perdem a oportunidade de o fazer realçando o seu protagonismo. Já assim era no tempo da outra senhora os responsáveis pelas capitanias tinham uma tendência enorme para se exibirem
    e influenciavam com esse seu procedimento os próprios cabos de mar que também gostavam muito de salientar a sua autoridade. Isto só lá vai daqui a muitas gerações.

    ResponderEliminar