terça-feira, agosto 01, 2006

Um pouco Nobre Portucale

O Ministério Público arquivou o processo contra Luís Nobre Guedes.
O ex-ministro do Ambiente foi constituído arguido no processo «Portucale», mas depois de mais um ano de investigação o Ministério Público considera que deixou de haver motivo para que Nobre Guedes continue a ser investigado.Todos os outros arguidos continuam sob investigação.
O processo «Portucale» ficou conhecido em Maio de 2005.
O ex-ministro do Ambiente do Governo de Santana Lopes, juntamente com Abel Pinheiro, antigo responsável pelas Finanças do CDS-PP e 3 quadros do grupo Espírito Santo eram investigados por alegadas práticas de corrupção e tráfico de influências. Em causa estava um empreendimento do grupo Espírito Santo na herdade da Vargem Fresca, em Benavente.
Para a sua construção era necessário abater mais de 2500 sobreiros o que foi autorizado pelo Governo de Santana Lopes, por se considerar que o empreendimento tinha um inegável interesse público. O Ministério Público investigava a relação desta decisão com um possível financiamento do CDS-PP.
Agora a Procuradoria mandou arquivar o processo contra Nobre Guedes, que entretanto já pôs o Estado português em Tribunal por este não ter salvaguardado o segredo de justiça.
in "TVI"
.
Haverá mais alguma coisa a ser dita?
Uma vez mais, o poder parece sair "limpo" de um processo, no mínimo, "sujo".
Uma vez mais, os ex-acusados vão processar o estado para sacar mais alguns milhões, o que nos permite perguntar se, ser acusado pelo Procuradoria Geral da Républica, não se está a transformar numa nova oportunidade de negócio para muitos dos nossos políticos.
Uma vez mais,estranho que num país onde todos falam da existencia de corrupção, a nossa justiça não consiga condenar um único responsável pelo poder.
.
Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

18 comentários:

  1. Anónimo1/8/06 08:21

    Sim Kaos, está tudo dito!...
    É tanta a minha indignação que quando assim é, nem tenho palavras. Só apetece fazer justiça pelas próprias mãos, embora saiba que não é o correcto, mas...
    O que ainda mais me idigna é essa das indemnizações pagas com o dinheiro de todos nós. Ai que não se aguenta. Acho que vou inventar qq coisa para desaparecer do planeta.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. é preciso não esquecer que o despacho que permitia o corte de sobreiros foi assinado, também, por telmo correia.
    com um pormenor de relevo: a data da assinatura foi falsificada!

    é o rectângulo e os seus "orgãos de soberania" no seu melhor...

    ResponderEliminar
  3. É pá, este é tipo de coisa que me deixa fo#!#0. Mais uma vez andam a brincar connosco. Será que neste país a justiça nunca funciona contra os poderosos? Que raiva. Além de tomar uma decisão que lesa o ambiente em benefício próprio, ainda por cima vê retiradas as acusações e ainda tem a lata de processar o estado para receber dinheiro... Senhor Nobre Guedes vá para a pu%$ que o pariu!!!
    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  4. tb:
    Não desapaças que fazes cá falta. Vamos vendo e aguentando que há-de chegar o dia em que as vão pagar todas juntas. A nossa justiça está mesmo pelas horas da morte.
    bjinho

    ResponderEliminar
  5. luikki:
    Para alguns a falsificação é possivel. A negociata continua e os ratos fogem dos processos deixando lá quem menos força tem. Ah meu garnde Portugal

    ResponderEliminar
  6. Outsider:
    É sempre assim, fazem o que fazem, arranjam forma de se safarem e no fim ainda vêm a receber milhões de indeminizações do dinheiro de todos nós. É fartar vilanagem
    um abraço

    ResponderEliminar
  7. Anónimo1/8/06 13:16

    e o Souto Moura coça os tomates.
    É uma popuca vergonha.
    Talvez com o dinheiro da ideminização compre um carrito e vá aos meninos pró sítio do costume ali prós lados da faculdade de ciências onde não há chaparros.
    Ou prá sua casita na arrábida onde tb houve cambalacho lesivo ao ambiente.

    apetece matá-los.

    ResponderEliminar
  8. samu:
    O Souto Moura não deve coçar muitos porque que para isso é necessário te-los. Lá vamos nós "subsidiar" mais um ex que fez mais mal que bem. O "ambiente" na nossa justiça está a atingir um ponto que algo vai ter de ser feito. Assim não pode continuar.
    Há muita gente a varrer para varrer dos cargos públicos neste país

    ResponderEliminar
  9. Que POLVO!!! Isto está a pedir uma intervenção urgente do tipo cortar cabeças que de outra forma não vai lá. Digo eu, e sou uma pessoa bastante pacifista, mas a paciência tem limite!;)


    BeijInha

    ResponderEliminar
  10. inha:
    Nem um Santo tem paciencia para isto.
    Á justiça em Portugal é uma hidra, quando se corta uma das cabeças nasce sempre mais uma.
    bjinhos

    ResponderEliminar
  11. Anónimo1/8/06 19:47

    Bem vindos à República das Bananas e dos bananas!

    Eu já disse e vou reafirmá-lo: As mafias estão sempre onde se ganha oumuito dinheiro, ou é fácil de ganhar! E como se percebe os mafiosos estão no poder!

    ResponderEliminar
  12. Zé danado:
    Infelizmente estão no poder e são o seu suporte. Enquanto houver um pingo de euro a correr por ai não vão parar, a menos que sejamos nós a faze-lo.

    ResponderEliminar
  13. Só uma pergunta, o PGR ainda está em funções não está?
    Bem me parecia. Qual será o próximo escândalo a ser arquivado?

    ResponderEliminar
  14. Carminda:
    O próximo não sei, mas basta ver a lista de todos os que envolvem gente poderosa e escolher um . Pode ser que acertes
    bjinhos

    ResponderEliminar
  15. É simplesmente o trivial, tudo aquilo a que diáriamente nos vamos habituando a observar. Não se esqueçam do vosso votinho nas próximas eleições. Nos mesmos é claro! O que é preciso é alternância democrática! Meus amigos isto já bateu no fundo. Tudo aquilo pelo que se lutou tantos anos está caduco e podre. Não há justiça, não há saúde, não há educação, não há progresso social (antes pelo contrário), não há ponta por onde se lhe pegue. Estou a ponderar se a melhor solução não seria entregar isto (já que à bicharada não resulta) ao Brunei ou aos Emiratos Àrabes Unidos. Andámos tantos anos a combater os muçulmanos e se calhar a nossa felicidade era nunca os termos corrido da Peninsula para fora. No meio de tudo isto o gajo mais lúcido ainda foi o Júlio César quando disse: "Existe um povo nos confis da Ibéria que não se governa nem se deixa governar!" Este é que foi o verdadeiro Nostradamus!

    ResponderEliminar
  16. mentecapto:
    Não quero pensar que pertenço a um povo inviável. Sei que somos pachorrentos e não lutamos por aquilo que devemos com a emergia necessária. Mas, não te esqueças que ainda há 32 anos 70% da população portuguêsa era analfabeta. Com a lavagem de cerebro a que somos sujeitos pelas televisões é natural que a consciencia civica demore a ganhar raizes. Não vamos perder a esperança.
    abraço

    ResponderEliminar
  17. Fernando:
    Obrigado pelo apoio
    abraço

    ResponderEliminar

Powered By Blogger