segunda-feira, Março 31, 2008

Bailados, Bailarinas e coisas Cretinas – VI

Os Bailarinos

Para acabar esta série de "Bailarinos" só podia escolher o Sr. Silva e a sua Maria. Dali, ou sai um Vira ou uma Valsa, mais dançados para o espectáculo que para a arte. Possui uma fama que só lhe vem de ter, a puxar por ele , a "critica". Para muitos o principal responsável das pisadelas que estes dançarino, de quem tenho vindo a fazer os bonecos, nos têm dado. O seu estilo de dança deu nisto.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Bailados, Bailarinas e coisas Cretinas – V

O Bailarino

Este parece estar a passar ao lado de uma boa carreira. A sua dança parece mais feita de efeitos visuais que de verdadeira arte.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Desculpas e esquecimentos

Zangam-se as comadres

«O ministro da Economia, Manuel Pinho, negou este domingo alguma vez ter exigido um pedido de desculpas a António Borges sobre as acusações que fez sobre a EDP e disse não se lembrar de ter falado com o economista após o congresso do PSD de 2005.
António Borges acusou Manuel Pinho de "exigir a apresentação de um pedido de desculpas" pela sua crítica à forma como foi conduzida a mudança de presidência na EDP, "caso contrário nunca mais haveria trabalho para o [banco] Goldman Sachs em Portugal. Aliás, como nunca mais houve", acrescentou António Borges, que na altura era vice-presidente daquele banco norte-americano
in [Portugal Diário]

Talvez, se o Ministro Manuel Pinho não andasse tanto a pensar no seu Allgarve , no golfe e em vender a mão de obra barata de Portugal pudesse puxar um bocadinho pela memória. Esta amnésia tinha-se evitado se, este D. Sebastião que aqui aparece de tempos a tempos saído do nevoeiro Londrino, para dar uma entrevista e mostrar que está vivo, sempre na esperança que alguém o convide para líder do PSD, não tivesse esperado três anos para contar a história. O que tudo isto mostra é que esta gente vive num ambiente de favores, de negócios com empresas ou bancos feitas por amizades e compadrios. De quando em vez, lá se zangam as comadres e nós sabemos algumas verdades.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Bailados, Bailarinas e outras coisas Cretinas – IV (a)

O Bailarino

A este já lhe tinha feito o retrato, mas depois surgiu este bailado vermelho a que não resisti. Digamos que teve direito a um "encore".

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

domingo, Março 30, 2008

Bailados, Bailarinas e coisas Cretinas – IV

O Bailarino

Este, esqueceu-se que o tempo passa e o mundo se move pelo que continua a dançar só obras de outros tempos, sem sequer lhes alterar a coreografia.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Bailados, Bailarinas e outras coisas Cretinas – III

O Bailarino

O Bailinho deste já nós o conhecemos de ginjeira, está entre as danças conventuais, os bailes de feira e os arraiais do Largo do Caldas.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Bailados, Bailarinas e coisas Cretinas – II

O cabaret

A estes por mais que tentasse não encaixavam em nenhum bailado. Só mesmo em danças de cabaret de terceira classe.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Lixo blogosférico

O BloguerKing

De quando em vez, uns iluminados, auto-gurus da blogosfera vêm lançar umas postas de pescada sobre a sua qualidade, o seu sentido, acabando sempre por se glorificarem sempre a si próprios mostrando os oásis que os seus blogs são no insuportável vazio do imenso espaço blogosférico. São os chamados blogs de referência, para onde escrevem comentadores, jornalistas, gente dos partidos, gente famosa, tudo gente que considera as suas opiniões e pensamentos pairam no limbo daquilo que vale a pena ler. O resto é lixo. Desta vez fui alertado para mais um longo artigo publicado no “Publico” pelo amigo “Dissidente X” que no seu blog já lhes bate o suficiente, (e bem melhor do que eu seria capaz de fazer).
Ao ler a opinião desta gente, destes iluminados recordo opiniões do Pacheco Pereira sobre a má qualidade da blogosfera e as suas paranóias, que chegaram ao ponto de considerar que haveria uma campanha para se não fazerem links para que o seu blog, só para impedir ele esteja em primeiro lugar nas listas dos blogs (eu não tenho o link porque não é um local de que goste e que visite). Cada um tem a sua pancada e tem todo o direito a isso, mas agora falando por mim, nem encontro no seu blog motivos para lá ir. Houve a hora em que eram os “Retratos de trabalho” e hoje voltei lá para escrever isto. Agora são os “Exteriores: cores do dia de hoje” que enchem aquele espaço desinteressante. Quanto não vale mais visitar “O Jumento”, “As Vicentinas de Bragança”, o “Quintos” e tantos outros blogs onde, quem os faz não procura nem fama nem proveito financeiro ( a todos eles aqui deixo o meu agradecimento pelo seu trabalho que tanto prazer me dá). Gente com ideias, gente onde podemos encontrar outras visões e outros pensamentos e não sempre mais do mesmo. Há por aí alguém que considere que não sabe qual vai ser a opinião do Pacheco Pereira sobre um assunto mesmo antes de ouvir o que ele vai dizer? Talvez por isso, lembrei-me de uma ideia que tive em tempos, a de fazer uma imagem personalizada e que iria oferecendo aos blogs que considero melhores que o Abrupto. Na altura desisti porque o trabalho seria enorme, tal o número de blogs que o mereciam receber, agora vou repensar no assunto.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Bailados, Bailarinas e coisas Cretinas - I

A Bailarina

O Lago dos Cisnes
ou
Perdigão perdeu a pena, não há mal que lhe não venha.

Hoje não ando com vontade nenhuma de estar para aqui a bater neste teclado. Como vi um anúncio de um Bailado “Os Trocadero” que vão actuar em Lisboa lembrei-me logo de imaginar como ficariam os nossos políticos de bailarinas. Como não podia deixar de ser tinha de ser o nosso Engenheiro o primeiro a dançar.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

sábado, Março 29, 2008

O Ovo da Serpente

Ovo da Serpente

Há já algum tempo, lá para os finais da década de 70 vi um excelente filme de Ingmar Bergman, "O ovo da serpente". Tratava ele do nascer e do crescimento do nazismo até à chegada ao poder agindo dentro de um regime democrático. Todos sabemos que Hitler, como aconteceu com muitos ditadores, começaram por ser eleitos e só depois criaram os mecanismos que lhes permitiu assegurar a manutenção do poder pela força. É por isso que o podermos dizer que vivemos num regime democrático não nos livra do perigo de surgir por aí um qualquer ditador quando menos esperarmos por isso. É por isso que a luta pela liberdade é uma luta constante, uma luta que temos de fazer no dia a dia, sempre atentos aos sinais que muitas vezes vão surgindo aqui ou ali. É por isso que neste momento, com os políticos que temos toda a atenção é necessária. Num momento em que as ideias dos Bilderberg estão a ser aplicadas um pouco por toda a parte, com grande incidência na Europa, (basta ler os documentos que definem as suas estratégias e comparar com as politicas que estão a ser executadas), é fundamental que não nos deixemos adormecer na sombra da democracia e das liberdades que temos. Há por aí muitos tiques autoritários, do Sócrates ao Cavaco passando pelos Menezes, os Portas e outros que tais. Talvez por um pressentimento, por uma qualquer mal-estar que se sente, lembrei-me do filme e logo desta pintura do Dali, sobre o nascimento do novo homem, ou neste caso, quem sabe, da velha serpente.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

O Balão

Olha o balão

Ouvi algures que se realiza este fim-de-semana a volta a Portugal em balão. Aí diziam que, porque como as condições meteorológicas não se podem controlar, quem os desejasse ver o melhor deveria estar no único local onde tinha a certeza de o poder fazer, à partida, que a chegada nunca se sabia bem onde seria.
Lembrei-me logo do nosso Engenheiro de Vilar de Maçadas que, qual balão, sempre tão cheio de ar, todos podemos ver partir para a volta aos eleitores mas não sabemos onde irá chegar: Se à a uma nova maioria absoluta, (acabei de bater 3 vezes na madeira enquanto repetia - vade retro Satanás), se vai ganhar com uma maioria simples ou ainda vai conseguir perder para o patético triunvirato do PSD, Menezes, Santana e Ribau. Sei que nenhuma das três opções é boa pelo que vejo necessidade de encontrar uma alternativa de voto. Nos últimos anos tenho votado em Branco, (já muito antes do “Ensaio sobre a Lucidez” do Saramago o propor), voto de protesto de um eleitor que não desejou deixar de dizer o que pensa, mas não encontrou nas alternativas dadas nenhuma que o satisfizesse. Infelizmente, após a eleições tenho visto esse voto ser misturado com os nulos e ser-lhes retirado qualquer valor ou significado. Agora estou sem saber que fazer, ou crescia uma enorme campanha de apoio ao voto em branco que os obrigasse a olhar para esse resultado ou então escolher um qualquer partido fora daqueles que se dizem fazer parte do arco do poder, (os partidos de alterne), e que mais se assemelhasse aquilo que penso e defendo e votar nele. Quem tiver sugestões que as diga que eu já estou a ficar sem ideias para mudar isto que não passem por o povo sair à rua para pedir e fazer a mudança.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

O Divórcio litigioso

Divórcio

Ontem não entendi nada daquela questão do divórcio que foi discutido na Assembleia. Durante todo o dia ouvi que o PS ia propor isto e aquilo de forma a facilitar o divórcio por opção de uma das partes. O BE apresentou um projecto-lei sobre o assunto, mas este acabou por ser chumbado pelo PS em nome de uma lei que afinal nunca chegou a apresentar. Não entendi as divergências nem as diferenças entre eles, mas sejam elas quais forem, o importante é que só deve estar casado quem quer, com quem quer e enquanto quer. A igreja já veio proclamar o inferno eterno ao PS se facilitar o divórcio e o divorciado Luís Filipe Menezes também já apareceu a dizer que não sabe muito bem se concorda, mas se o PS apoia ele é contra. A mim o que me pareceu é que ainda ia ter de perguntar á empresa que contratou para gerir a sua imagem qual a opinião que deve ter. No final a ideia que me ficou é que, um assunto onde o PS e o BE podiam ter casado para facilitar a vida aos cidadãos, acabou com mais um divórcio.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

sexta-feira, Março 28, 2008

O Esticar da saúde

Esticar o dinheiro

«O presidente da Associação de Médicos de Carreira Hospitalar denunciou a existência de médicos que estão a ser dispensados por causa de razões económico-financeiras, o que está a ter efeitos nas listas de espera dos hospitais portugueses.
Carlos Costa Almeida explicou que, em certos hospitais, estão a ser suprimidas consultas de algumas especialidades, que fazem com que os doentes sejam transferidos por outros estabelecimentos. “Com atitudes destas, é evidente que se criam problemas inclusivamente na lista de espera porque se se fechar as consultas em dois ou três hospitais de patologia que fica mais cara e forem mandados todos para outro hospital que não fechou a consulta é evidente que a lista de espera vai aumentar muito nesse hospital” esclareceu.
Este cirurgião do Centro Hospitalar de Coimbra acrescentou ainda que o grande problema dos hospitais EPE “é a desagregação do tecido hospitalar em dezenas de empresas cada uma gerida de sua maneira e conforme cada um entende”.
Mas frisou Carlos Costa Almeida, o objectivo destes hospitais é “apresentar melhores resultados económico-financeiros, mesmo que seja à custa dos doentes, de não tratar os doentes”.»
In “TSF

Tudo o que eu pudesse dizer já o disse o Presidente da Associação de Médicos de Carreira Hospitalar. Quem se lixa é quem necessita dos serviços, mas quando da saúde dos cidadãos se procura fazer negócio que mais poderíamos esperar.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Bebés hoje, assassinos amanhã

Sementes do Diabo

«A professora da escola Carolina Michaelis, maltratada por uma aluna por causa de um telemóvel, formalizou hoje uma queixa judicial contra a alegada agressora e duas contra os colegas de turma. A advogada da docente, Ana Espírito Santo, confirmou à «Lusa» que apresentou três queixas distintas. Uma primeira queixa foi apresentada contra a aluna no Ministério Público junto do Tribunal de Família e Menores do Porto (TFMP); outra, autónoma, contra os restantes alunos menores da turma; uma última no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Porto, contra os alunos maiores de 16 anos, que já podem ser responsabilizados na justiça convencional. A advogada disse que a participação relativa à aluna se reporta à agressão que diz ter sido praticada sobre a sua cliente e o tratamento abusivo de que foi alvo, que poderão configurar crimes de difamação ou ofensa ao seu bom-nome. Os outros alunos são responsabilizados na queixa por colaboração na "humilhação" da professora. »
in “Agencia Financeira

«O Procurador-geral da Republica, Pinto Monteiro sublinhou que os conselhos executivos dos estabelecimentos de ensino “devem ser obrigados a participar” às autoridades os casos de violência nos perímetros escolares. “Neste momento, muitos conselhos directivos não participam”. Sem apontar “números exactos”, Pinto Monteiro revelou que o Ministério Público está a investigar “algumas dezenas” de casos de violência nas escolas. E não apenas relativos a agressões de alunos a professores: “Também há casos ao contrário, de professores que são investigados por agredirem alunos”. “O Ministério Público, se não investigar, não está a cumprir as suas funções”, acrescentou. “Os pequenos ilícitos têm que ser combatidos, porque eles geram os grandes ilícitos”».
in ”RTP

Já aqui referi o que penso sobre este caso em particular e sobre o estado em que se encontra a escola publica em Portugal (de que culpo o tipo de sociedade que estamos a criar e as politicas educativas existentes). Só um pequeno comentário a estas duas noticias. Na primeira estranhar que aquela professora, venha agora apresentar queixa pública por crimes de difamação, ofensa ao seu bom-nome e humilhação. Humilhados fomos todos nós a ter de assistir ao espectáculo de uma professora, que mostrou uma total falta de autoridade e uma enorme incapacidade para controlar uma turma e de resolver um problema com uma miúda histérica de 15 anos. Já agora como pensa ela enfrentar e ser respeitada por aqueles alunos na segunda-feira? Quanto ao Procurador, haja paciência. Só falta defender que o exército seja chamado para impor a disciplina. Devolvam aos professores a dignidade e o respeito que lhe têm tirado e vão ver que estes problemas podem perfeitamente ser resolvidos pelas escolas. Se tem tanta vontade de investigar olhe para as ruas, para os assalto e para a violência que não pára de crescer e para a corrupção e compadrio que alastra pelos órgãos do poder político e económico. Aos professores só posso pedir que continuem a ensinar as nossas crianças e não esqueçam que o inimigo não são os alunos, mas as politicas educativas que lhes retiram o respeito e a dignidade. Importante é lutar contra esta lei das avaliações, da Gestão das escolas, o Estatuto dos alunos e a famigerada lei 115-a/98. Importante é lutar por uma escola pública de qualidade. PS: Seria bom tentar entender se esta posição terá algo m comum com a ideia britânica de começar a criar uma base de ADN dos alunos mais rebeldes das escolas inglesas, prevendo a sua delinquência futura.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Dia Mundial do Teatro VI

Dia Mundial do Teatro

Este só interpreta papeis de sovina.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

quinta-feira, Março 27, 2008

Dia Mundial do Teatro V

Dia Mundial do Teatro

Como não podia deixar de ser, tinha que aqui colocar o actor da moda, aquele que tão bem faz o papel de pinóquio, em que o nariz não pára de lhe crescer, até ao de virgem ofendida. Desde a farsa que representou no Palco da Universidade Independente, até à série "Urgências", passando pelo filme "Assalto à Escola", nunca deixou de representar o papel do vilão. Talvez agora que se aproxima a hora da entrega dos prémios que dão direito a mais quatro anos de poleiro, se prepare para escolher só papeis do bom da fita.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Dia Mundial do Teatro IV

Dia Mundial do Teatro

Neste dia Mundial do Teatro não podia faltar a actuação da Sinistra Ministra, uma má actriz a quem deram um papel importante demais para as suas capacidades e qualidades. Já só lhe falta um par de patins, que apupos e vaias não têm faltado.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Dia Mundial do Teatro III

Dia Mundial do Teatro

Neste dia não me posso deixar de lembrar as actuações do Engenheiro Sócrates e do seu Coelho, Jorge, na peça "Socretinos", representada num Pavilhão do Porto. Estranho foi que não tivesse publico, só actores e figurantes.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Dia Mundial do Teatro II

Tibete

Fiz esse post por duas razões, a de ontem ter ficado a saber que também o Pacheco Pereira considera que misturar os Jogos Olímpicos com a ditadura chinesa e o que se passa no Tibete é uma parvoice. Como ele diz, o problema do Tibete não é uma história simples nem só a preto e branco. Concordo, a cada dia que passa tem mais vermelho sangue a colori-la. A segunda razão é mais prosaica, simplesmente porque já vi que isso irrita um tal de "Jorge" que tem comentado todos os posts sobre o Tibete de uma forma muito "particular". Assim vai ter onde destilar mais um bocadinho do seu veneno. Afinal, todos, devem ter o direito de "actuar" neste dia Mundial do Teatro.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Dia Mundial do Teatro I

 Metamorfose

Como hoje é o Dia Mundial do Teatro e também o Engenheiro anunciou que o IVA ia baixar 1%. Ele diz que só o faz porque a economia já o permite, todos nós sabemos que, mais que a economia, são as eleições de 2009 quem mais contou na decisão. Já entendi que o melhor mesmo é pedirmos que haja legislativas todos os anos.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Fundação D. Pedro IV

 Fundação D. Pedro IV

Há já algum tempo que tinha este post feito e, por isto ou por aquilo nunca o publiquei. Hoje lembrei-me e fui resgatá-lo do fundo do meu disco rígido.

O amigo JS colocou este texto na caixa de comentário do post “
As inquietações de Luis Filipe Menezes”. Vale a pena recordar e tentar saber o que se passa actualmente com a Fundação D. Pedro IV.

«Um processo não tão mediático, mas também reportado na altura nos meios de comunicação social e com ligações ao governo do Santana Lopes, foi a atribuição dos quase 1500 fogos de habitação social dos Bairro dos Lóios e das Amendoeiras, em Chelas, Lisboa à Fundação D. Pedro IV.
Essa atribuição do respectivo património foi então realizada pelo IGAPHE (Hoje inexistente, devido à criação do IHRU), no governo de gestão do Santana Lopes, quando a Assembleia da República detinha já somente funções administrativas.
Posteriormente e devido a protestos dos respectivos moradores e investigações do jornalista José António Cerejo do "Público", veio-se a descobrir que a mesma Fundação havia sido indicada para ser extinta em 2000, no seguimento de um relatório da então Inspecção Geral da Segurança Social, que indicava que a Fundação se desviava dos seus fins sociais, em proveito dos seus dirigentes. A extinção somente não aconteceu em 2000, porque o relatório que propunha a extinção foi ignorado pelo então Inspector da Segurança Social, o Juiz Simões de Almeida, que tinha ligações ao PS e que viria mais tarde a ser nomeado Secretário de Estado da Segurança Social por Paulo Pedroso.
Os moradores dos Bairros dos Lóios e das Amendoeiras, apresentaram várias queixas no ministério público contra a mesma Fundação, que tem vindo a receber verbas de vários governos e que de acordo com o mesmo relatório, são canalizadas para os negócios imobiliários do seu presidente, Vasco do Canto Moniz.
Presentemente, desde que a Fundação deixou de gerir os fogos de habitação social dos Bairros dos Lóios e das Amendoeiras, devido aos protestos dos moradores, a comunicação social, deixou de falar sobre a Fundação D. Pedro IV. De acordo com a investigação do jornal "Público", personalidades políticas passaram pela mesma Fundação, entre as quais, Bagão Félix.
Apesar das queixas dos moradores no ministério público, o que é certo que é parece que no mesmo ministério público, não se vislumbra uma verdadeira investigação a esta Fundação D. Pedro IV. Uma inacção, no mínimo estranha para uma Fundação com tantas ilegalidades cometidas.
Embora, não se tenha falado o suficiente da Fundação D. Pedro IV, ela representa seguramente, um dos maiores casos de suspeição de promiscuidade entre o Estado e interesses particulares, em diferentes governos, culminando posteriormente com o governo do Durão Barroso e posteriormente do Santana Lopes.»

Podem ver ler e ver sobre este assunto num post publicado pelo Blog “Fénix das Amendoeiras” publicado em 3 de Maio de 2007

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

quarta-feira, Março 26, 2008

Porrada, treta e televisão

 Bulling

«Como procurador-geral da República, Pinto Monteiro decidiu voltar a intervir na discussão sobre a violência nas nossas escolas. Fez bem. O caso é de polícia e demasiado sério para ser tratado apenas no âmbito da disciplina escolar. Aquilo a que se assistiu no vídeo do Liceu Carolina Michaëlis e que foi denunciado depois, demonstra que é tempo de aplicar a "teoria do vidro partido", de Rudolph Giuliani. A tese em que o ex-mayor de Nova Iorque se apoiou para pôr em prática o plano que fez daquela cidade uma local seguro é simples: quando alguém parte um vidro de uma janela e passa incólume, isso estimula a que outros vidros sejam partidos e, mais tarde ou mais cedo, se assalte a casa.
Pinto Monteiro concorda e ontem alertou para o facto de, quando se ignoraram delitos menores ou de menores, se estar a potenciar o agravamento do tipo de criminalidade, ou seja, "pequenos gangues" que nascem nas escolas e se transformam, depois, em "gangues de bairro, armados e perigosos".»
in “Editorial DN

Devem andar a brincar comigo, porque eu vejo e leio o que é escrito e nada parece fazer sentido. Depois de ver o vídeo, a má educação de uma miúda parva, da inabilidade duma professora para controlar a situação, assisto espantado a todo este ruído que se criou à volta do assunto. Não tiro gravidade aquilo que se viu, mas com tantos problemas tão mais graves que por aí há, quando morre gente por falta de assistência médica atempada, quando a miséria e a fome, o desemprego e o desespero alastram, fazer toda esta algazarra só pode mesmo ser para nos distrair do essencial e para nos incutirem as ideias que, como previ há já algum tempo, brevemente vai a ser implementada uma disciplina férrea para as crianças nas escolas. Sei que me estou a repetir, mas não posso deixar de estar assustado quando as nossas crianças estiverem encerradas em escolas prisões, vigiadas por câmaras e seguranças, 11 horas por dia, até ao dia em que, ainda jovens, saiam amansadas e obedientes para trabalhos precários, sem direitos e mal remunerados. Afirmações como as do Procurador em que defende que seja obrigatório participar os casos ilícitos ocorridos dentro das escolas por considerar a escola como um ninho de criminalidade deixam-me preocupado e só procuram responder aos problemas, pelas causas e não pelas razões que os criaram. As nossas crianças, são entregues ao estado muito cedo. Os pais têm de trabalhar os dois ficando por isso sem a possibilidade de acompanhar o crescimento e a educação dos seus filhos logo desde bebés. Não recebem o amor e o carinho que necessitam, a educação, os valores e os princípios não são transmitidos, as crianças crescem com aquilo que vêm nas televisões e com as vidas que levam nos jogos de computador ou nas ruas. Na escola, os professores são gente de quem passaram a vida a ouvir dizer mal, quer nas televisões por governantes e comentadores, quer por parte dos pais, que chegam a casa tarde, cansados e zangados com a vida, também eles intoxicados pela opinião, que lhes é vendida pelo poder, de que os professores não querem fazer nada, que trabalham poucas horas e mal. É sem a autoridade e o respeito que deveriam ter, que os professores enfrentam turmas de jovens rebeldes (mas isso também nós éramos, mas o professor era alguém a quem, nem que fosse por medo, respeitávamos). Resolva-se o problema da falta de tempo dos pais, possibilitando-lhes horários de trabalho mais flexíveis e não se fechem os miúdos todo o dia na escola. Acabe-se com muitos problemas de pobreza e exclusão social, dos chamados bairros problemáticos, dos autênticos guetos em que foram transformados muitos bairros sociais e muitos destes problemas desaparecerão por si próprios. Mas não, esta não é a visão deste poder capitalista que prefere ter pais com horários flexíveis, não para poderem estar com os filhos mas sim para trabalharem mais horas e jovens domesticados para que, como se de gado se tratasse, terem mão-de-obra barata. Já agora aproveito para perguntar ao Sr. Pinto Monteiro se não tem mais nada com que se preocupar, se já podemos saber os resultados de todos aqueles inquéritos que anunciou que ia fazer. Pode começar pelos voos da CIA e continuar por aí fora. É que até agora sobre eles só ouvimos o ensurdecedor som do silêncio.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Boicote aos Jogos Olímpicos

 Tibet

Beijing 2008 - Não obrigada

«"Consideramos os jogos olímpicos não como um acontecimento político, mas um grande acontecimento desportivo no qual milhares e milhares colocaram as suas esperanças", afirmou o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, que discorda de boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim.»

Consideramos? Quem é que considera o quê? Fala pelos paises da União Europeia, pela opinião da Comissão Europeia ou expressou uma opinião pessoal? Seria bom que o pudéssemos saber e, já agora, diga-nos lá
o que é um acontecimento político? Quando os EUA boicotaram os Jogos Olímpicos de Moscovo e quando a Rússia fez o mesmo aos de Los Angeles, não foi um acto político? Os Jogos Olímpicos de Berlim, em que Hitler desejou mostrar a superioridade da raça ariana não foi um acontecimento político? Não são os Jogos Olímpicos sempre uma campanha de propaganda de todos os países onde eles se realizam? Não são sempre e negociados e pagos por esses governos? Pelos vistos para Durão Barroso não. Pelos vistos, ao Presidente da Comissão Europeia, os acontecimentos desportivos estão acima dos direitos humanos, da tortura, da violência e até do direito internacional. Tanto valor deu à vergonha da “burka” no Iraque que até apoiou uma invasão ilegal e tão pouco dá à situação no Tibete. Tão hipócrita, são as posições de quem coloca o poder económico acima dos valores e dos direitos humanos.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Saúde publica e privada

 Ai o meu rico dinheirinho

O Presidente da José de Mello Saúde, Salvador de Mello diz que Sócrates cedeu "à falta de rigor". Decisão de retirar privados dos hospitais é "um retrocesso de décadas", garante.
In”Jornal Negócios” (24.03.2008)

«Um dos mais altos dirigentes do Grupo José de Mello Saúde defende que 50% do sector deveria estar na mão dos privados dentro de 10 anos, ao contrário dos 20% que o Estado prevê transferir até 2014."Actualmente, a iniciativa privada detém cerca de 3% do sector da Saúde. A perspectiva é que em 2014 essa margem seja de 20%. Uma percentagem muito baixa, quanto a nós. Não estamos a pedir a privatização total do sector, mas achamos que o Estado devia diminuir o seu poder até aos 50%, deixando a outra metade nas mãos dos privados"».
Salvador Melo (20.09.2004)

Infelizmente esta decisão do Engenheiro não vai alterar os objectivos deste e de outros governos em destruir um serviço de saúde publico de qualidade. Fez bem em retirar os Hospitais públicos das mãos dos privados, como deveria fazer em relação a tudo o que é público. Não há razões para que o estado entregue a outros aquilo que pode fazer, (desde que o faça bem), ficando para si com os lucros que os privados reclamam. Se área onde o dinheiro dos nossos impostos deve ser investida é na saúde, educação, segurança e justiça. Nada tenho contra a existência de medicina privada, mas esta nunca pode substituir a publica. O que me assusta é ver o Serviço Nacional de Saúde ser deteriorado ao ponto de todos nós pensemos se temos possibilidade de encontrar alternativas no privado. Esta nunca devia ser uma necessidade de nenhum cidadão.
Quanto aos “Mello”, vou contar aqui uma história bem recente. Uma Senhora, sofreu um descolarmento de retina. Assustada recorreu a um médico que lhe foi indicado por uma amiga e que lhe garantiu a operação para o dia seguinte. Não hesitou, mas por essa operação e uma noite nesse hospital particular pagou mais de 7 mil euros, dinheiro que não tinha. Felizmente, na sua família encontrou quem lhe emprestasse o dinheiro.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

terça-feira, Março 25, 2008

A Chama Olimpica

 Chama Olimpica

A CHAMA OLÍMPICA

«Três activistas pró-tibete tentaram ontem interromper a cerimónia de acendimento da tocha olímpica, transmitida em directo da Grécia para todo o mundo pela televisão, num protesto simbólico contra a repressão chinesa no Tibete.»
in "CM"

Iremos nós permitir que esta "Chama Olímpica" ilumine o mundo com o seu cheiro a opressão e morte? Vamos nós a casa dessa gente para jogar com eles? Porque não organizar em outras terras espalhadas por este mundo, competições nas modalidades olímpicas, deixando os Chineses a falar sozinhos? Talvez aí, quem sabe, se lembrassem de conversar com os Tibetanos.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Lua-de-mel com o fisco

A Noiva triste

Ontem fomos surpreendidos pela notícia de que muitos recém casados têm recebido cartas das finanças com inquéritos sobre as suas despesas com o casamento. Quem pagou o quê a quem, quantos convidados havia, quem serviu o copo de água, onde e quanto custou, quem fotografou, quem vendeu as flores, o vestido de noiva ou o fato do noivo. Querem saber tudo, todo o dinheiro gasto, a forma de pagamento e até o número do cheque. Tudo isto em nome da luta contra a fuga fiscal, mas sem deixar de ameaçar com multas, (que pode ir até 2500 euros), para quem não o faça no prazo de 15 dias após o casamento. Como se isto não bastasse, ficam ainda obrigados a relatar se, na altura do seu casamento, se estava a realizar mais algum casamento e com quantas pessoas. Isto é, em vez de deixarem os pombinhos arrulhar na sua lua-de-mel, obrigam-nos a “bufar” de tudo e de todos. Não sou santinho nenhum, sou capaz de copiar um CD, fazer um download, não pagar um estacionamento e, se poder poupar um cêntimo no pagamento ao estado não fico com problemas de consciência. Não fico porque o exemplo que me vem de cima não moraliza nada, antes pelo contrário, faz-nos sentir que quem não o faça é parvo. Este não deveria ser a forma de viver em sociedade, se esta fosse justa e equilibrada. Assim, é um salve-se quem puder, uma cópia daquilo que o poder nos mostra. Na Suécia, duas Ministras pediram a demissão porque se soube que não tinham feito os descontos para a segurança social de mulheres a dias que trabalharam em sua casa, cá, a suspeição sobre o poder é mais que muita, não se vendo forma dela desaparecer enquanto a justiça não provar que tem a capacidade de desvendar e condenar os crimes e as trafulhices. É neste cenário que nos vêm pedir para sermos bufos, para andar a apontar o dedo aos outros. Comigo não contem, não vou fazer queixa às finanças daquela senhora que vive com uma reforma de miséria e faz uns bolos para vender para fora, nem à ASAE por suspeitar que ela não tem as facas com os cabos das cores correctas ou utiliza colheres de pau. É que sempre ouvi dizer que ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão e por isso não tenho de me sentir culpado.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Autoridade, respeito e poder

A escola da Milu

No blog "As Minhas Leituras", José Luiz Sarmento, escreveu um interessante, talvez até polémico post, sobre “Autoridade, respeito e poder nas escolas, que vale a pena ir ler, e que termina assim:

“O que a sociedade não pode continuar a fazer, se quer que as escolas funcionem, é a dar cada vez mais responsabilidade a quem não tem poder e cada vez mais poder a quem não tem responsabilidade”. Não podia estar mais de acordo.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

segunda-feira, Março 24, 2008

Cavaco por praias de Moçambique

Praias de Moçambique

«"Não estou satisfeito com o nível do investimento português em Moçambique. Neste momento ele é baixo e podia ser muito mais elevado", afirmou Cavaco Silva, numa entrevista a um jornal Moçambicano.
"As praias moçambicanas, algumas das quais conheço bem, não são nada inferiores às praias brasileiras", afirmou. "A indústria do turismo é hoje prioritária para todos os países do mundo. Em primeiro lugar cria empregos. E centenas de empregos mesmo qualificados. Depois traz divisas"
in “JN

De que país é o Sr. Silva Presidente? Se é de Portugal não deveria defender o investimento e a criação de emprego no seu país e não num estrangeiro? Acredito que Moçambique tenha belas praias, (infelizmente não tenho dinheiro nem um estado que me pague as viagens para o confirmar), mas será que isso dá autoridade ao Sr. Silva para ir dar lições e conselhos a um país independente? Preocupe-se com a miséria e com o desgoverno do seu país, com a pobreza que temos e para onde caminhamos. Não se preocupe Sr. Silva que por este andar, mesmo sem os seus conselhos, também Moçambique nos vai ultrapassar. Faça lá o seu turismo que nós pagamos, se se lembrar tente entender porque razão se Moçambique preferiu integrar a Commonwealth, mas não há necessidade de andar a dar lições a quem não lhas pediu. Já ninguém espera mais nada de si.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

A Zangada

Zangada

Quando vi a Sinistra Ministra a falar à porta do CCB, com aquele seu ar sisudo, de quem já não está a aguentar a pressão de ser quem é, quase ameaçando a jornalista, (quase, quase a tirar-lhe o microfone como se de um telemovel de uma aluna de 15 anos se tratassem ), falando alto e agressivamente, lembrei-me logo do anão, o Zangado e que o Engenheiro tem na sua secretária, (uma prenda dos seus ministros). Há uns dias falei que se falava, embora não se soubesse muito bem se aquilo de que se falava era verdade, que a Sinistra tinha apresentado a sua demissão e que o Engenheiro tinha dito sim. faltando só preparar o anuncio e a substituição. Como me custa a acreditar que seja possivel ao governo esconder uma noticia destas dos jornais e a confirmação tarda em aparecer comecei a acreditar que tudo não passasse de um boato. Mas, ao ver o estado de nervos e desespero em que a Sinistra se encontra, não acredito que vá aguentar durante muito mais tempo. Ou se vai embora ou dá-lhe um fanico, o que tem a vantagem , de uma maneira ou de outra, nos vermos livres dela. Depois só falta o mais difícil, livrarmo-nos também das suas políticas.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Carta aos Encarregados de Educação

Portas do Inferno

Recebi do amigo Manuel Costa um mail pedindo-me para divulgar uma carta aos Encarregados de Educação. Como pai, não posso estar mais de acordo com aquilo que diz, pelo que o faço com a certeza da importância deste apelo. Ao Manuel o meu obrigado.

A todos os pais e Encarregados de Educação portugueses:

Vejam este VIDEO:
O Brasil implementou um sistema de facilitismo ao longo de ciclos de ensino de 4 anos. As péssimas consequências estão à vista, e Portugal vai no mesmo caminho. O facto do aluno progredir sucessivamente, transmite-lhe a si e aos seus encarregados de educação a sensação ilusória de que o aluno está a fazer progressos, o que na prática não é verdade!!!. O problema é que quando o aluno chega ao último ano de cada ciclo, e é avaliado com maior rigor e exigência, nota-se um atraso na sua aprendizagem que já é muito difícil de recuperar.
O sistema de ensino Português está a orientar-se no mesmo sentido com a agravante de nem nos finais de ciclo haver qualquer espécie de exigência!!!
Quando comecei a leccionar, em 2001, os professores mais experientes pediam aos recém-chegados que fossem rigorosos e exigentes. Hoje, são os gestores das escolas, os inspectores e os políticos a fazerem todo o tipo de pressão, sobre os professores para que os alunos passem sucessivamente de ano, independentemente do que aprenderam ou não.
É esta a escola que queremos?
Manuel Costa

PS.: Peço a todos os que receberam este meu desabafo o favor de o fazer chegar a pais e encarregados de educação, pois acho que estes têm o direito de saber a vergonha em que se está a tornar o ensino público em Portugal.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

domingo, Março 23, 2008

Boa Páscoa

Cu partido

Depois do post anterior imaginei logo que muitos me iam chamar de "Unha de fome" porque também eu não lhes tinha oferecido nada. Para ser diferente das habituais amêndoas ofereço a quem aqui me vem visitar estes dois coelhinhos. Podem não ser grande coisa, mas foi o que se arranjou neste tempo de crise. Uma Boa Páscoa para todos.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

O Generoso Engenheiro

O Forreta

Na ultima visita ao Parlamento do Engenheiro, Paulo Portas ofereceu-lhe umas amêndoas de Portalegre, o Presidente do parlamento não fez cerimónia e ofereceu uns coelhinhos e distribuiu amêndoas por todos os parlamentares. Só Sócrates disse que não dava nada a ninguém e que se ficava por desejar uma boa Páscoa aquela gente. (No meio de tudo isto quem não teve direito a oferta de amêndoas, mesmo sendo virtuais, fomos todos nós, os cidadãos deste país, mas já estamos habituados a que esta gente não nos dê nada).
Depois de ouvir estas ofertas, fiquei preocupado quando vi o Engenheiro dizer-nos que a sua maior virtude é a generosidade. É que se a generosidade é a sua maior virtude, nem quero imaginar qual será o defeito. É que a generosidade dele só tem servido para me sacar dinheiro dos bolsos e nunca para fazer bem a ninguém. Bem podia ir ser generoso para outro lado que por aqui não sentiriamos muito a sua falta.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Sacrificio adiado...ou talvez não

Sacrificio

Como estamos na época Pascal, ligada a tradições religiosas, não quis deixar de lhe fazer aqui uma referencia. Desta vez resolvi não crucificar ninguém, como fiz em anos anteriores, mas escolhi este quadro Bíblico, onde o anjinho Silva vem impedir o Abraão Sócrates, que se prepara para sacrificar ao Deus Bilderberg a sua filha, a Sinistra Isaac, sob o olhar de um Cordeiros de raça "professor". Claro que isto nada tem a ver com a Páscoa, mas talvez não possamos dizer o mesmo com aquilo que se passa neste país.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

sábado, Março 22, 2008

Simbiose

A Vicentina

Gosto da blogosfera pelo espaço de liberdade que representa mas também pelas simbiose que propicia. Um caso desses, e que muito me honra, acontece com o meu amigo “Arrebenta”, mentor do Blog “As Vicentinas de Bragança” e que escreve dos melhores textos da blogosfera e consequentemente do melhor que se fazem em Portugal. Muitas vezes já me inspirei em textos deles para muitos dos bonecos que aqui faço e sei que também alguns deles lhe deram o mote ou o ajudaram a gerar alguns dos seus brilhante textos. Contrariamente ao parasitismo, muito em voga na nossa sociedade, a simbiose é algo que permite a dois seres evoluírem em conjunto, ambos se aproveitando das capacidades do outro numa partilha de iguais. Talvez, quando todos entendermos que é na partilha, na troca livre de calculismos desnecessários, na simbiose das ideais que está muita da razão para sermos seres sociais, este país e esta gente possa finalmente avançar para um estádio civilizacional em que, o egoísmo, o ganhar a todo o custo e o poder pelo poder deixem de fazer sentido. Até lá aproveitemos os pequenos espaços e oportunidades que nos surgem, para deles usufruir, afinal tão poucos e raros neste mundo onde vivemos.
Aqui fica o link para mais uma prosa brilhante.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

O Milagre da Santa Cintilante

Olha a anjinha

«São tempos dominados pelo pragmatismo e não por ideais, pela defesa de objectivos e a medição de resultados e não por valores.
Veja-se o Benfica - o clube dos ‘barba-rija’ - que se equipa de cor-de-rosa - a cor das ‘meninas’ - para vender mais camisolas!
São tempos em que se vendem ideias e se compram votos.
São tempos em que o altruísmo e o sentimento são esmagados pelo marketing.
Será que vale a pena?»
in [Expresso ]

Não sei quantas das pessoas que vem aqui a este blog acredita em milagres nem vou perguntar. Eu, agnóstico por nunca ter sido atingido pela seta, não do Cupido mas de uma qualquer fé, ateu por convicção, não acredito. É por isso que não acredito que uma “besta feroz” se torne num anjo cintilante de um dia para o outro. Podem dizer que talvez tenha a visto a luz, tenha sido possuída pelo espírito de Ghandi , mas a mim ninguém me convence disso. Um tal milagre suplantaria o da ressurreição, o de Fátima, o do Luís Filipe Menezes chegar a Primeiro Ministro, do Miguel de Sousa Tavares escrever um livro bom (ou a Margarida Rebelo Pinto uma simples frase), de todos os culpados de pedofilia na Casa Pia serem acusados e condenados, ou desaparecer toda a corrupção e compadrio dos corredores do poder. Seria um milagre fantástico, mas como já disse não acredito em milagres. Manuela Ferreira Leite, a quem muitos chamaram a “Dama de Ferro”, a mulher sem coração, pergunta se vale a pena, em nome do marketing, viver estes tempos sem sentimentos nem altruísmo. Esta personagem, a imagem feminina do Cavaco, a sua Sumo-sacerdote, questionar o “pragmatismo”, a palavra Santa do Cavaquismo e que lhe rendeu 10 anos de poder, em nome dos ideais e de valores. Que até questiona o Benfica cor-de-rosa das meninas, (haverá aqui algum trocadilho com o cor-de-rosa do Sócrates e do PS?). Não sei se este discurso será só uma operação de “marketing” ou se simplesmente estava com alguma indisposição intestinal, mas não me convence. Talvez haja Anjos que possam cair no inferno, agora demónios a subir ao céu já me parece mais difícil.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Apoios Demoniacos

O Diabo

«O advogado Daniel Proença de Carvalho diz que Luís Filipe Menezes não é uma alternativa ao actual Governo e que Sócrates e os socialistas merecem uma nova maioria absoluta.
Neste momento eu penso que o PSD não tem uma estratégia, nem um programa alternativo, nem a credibilidade que dê aos seus eleitores uma esperança de chegar ao poder”. "Se não aparecer essa alternativa, é preferível que o actual primeiro-ministro possa continuar a governar e, mais, espero que o faça com maioria absoluta",disse Proença de Carvalho»

Há dias que andava para comentar esta notícia aqui no blog. Como já aqui afirmei há uns meses, a ideia que tenho do Proença de carvalho é como sendo uma das personagens mais assustadoras que por aí andam, não só pelas ideias que representa como pela figura da própria personagem em si. É o mais parecido, se não a própria com a imagem de um demónio que conheço. Todos sabem que estou convencido, porque todos os factos o demonstram, que o Sócrates está neste momento ao serviço dos Bilderberg, um grupo de gente sinistra que junta o poder e a gula económica, à ideia de um tenebroso e ditatorial “Mundo Novo” e que se baseia nas mais negras práticas satânicas. Ver o diabólico Proença de Carvalho defender estas politica e estas ideias em nada me surpreende e até me parece lógico este apoio condicionado. Enquanto o “Engenheiro” for cumprindo com as suas tarefas de destruição da cultura, do pensamento, da individualidade e da independência deste país, dar-lhe todas as ferramentas para executar a tarefa será a boa “politica”. "Diz-me quem te apoia e dir-te-ei quem és"
Embora seja difícil e uma luta contra forças obscuras e poderosas, não podemos dar-lhes tréguas. Combater contra uma ou outra medida que vai sendo tomada é importante, mas termos a consciência de que a luta que travamos é muito mais global e o inimigo muito mais perigoso. Eles representam o mal na sua essência, o fim de todo o humanismo, o regresso aos tempos das trevas e à criação de um inferno na terra.

PS: Peço desculpa por utilizar termos tão conotados à ideia de um diabo e por isso tão próximos das ideias e imagens religiosas, coisa em que não acredito. Para mim, Deus não existe e é simplesmente uma criação do homem, mas o que existe certamente é gente má e perversa. Esses sim, são os verdadeiros demónios que temos de enfrentar, não após a nossa morte, mas já hoje, amanhã e sempre.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

sexta-feira, Março 21, 2008

Ena pá! Tanto Engenheiro

Tanto engenheiro

1400 Compraram curso de engenharia
(no Instituto Politécnico de Coimbra).
Pagaram entre 523 e 650 euros para obter diploma de licenciatura.
Titulo do “Correio da manhã

Como é que é possível uma coisa destas. Espero que o nosso Engenheiro Primeiro-ministro faça alguma coisa sobre o assunto, que isto de se ser Engenheiro aldrabado é algo de muito feio. Agora, olhando para o preço não posso deixar de me perguntar se outros que o tenham comprado em Universidades Privadas não se sentirão roubados. Deve-lhes ter saído muito mais caro….ou talvez não.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Porrada

A guerra escolar

Já vi em televisões, blogs e nas primeiras páginas dos jornais, o vídeo, ou cenas dele, em que uma professora luta com uma aluna pela posse de um telemóvel. Até agora ainda não vi o que vou escrever dito em lado nenhum pelo que aqui vai. Quando eu era um jovem adolescente, também eu fiz a vida negra a muito professor, antes e depois do 25 de Abril e fui posto na rua da aula algumas vezes. Não me vou por isso fazer de inocente, que não sou, mas de uma forma ou de outra respeitávamos os professores. Uns mais que os outros, dependendo da sua personalidade e da forma como assumiam o seu posicionamento na turma e do respeito que nos ganhavam. Isto nada tinha a ver com simples autoritarismo, havia os professores que eram de “gancho”, e com uns nem piávamos, enquanto outros não nos assustavam, assim como havia os simpáticos e menos controladores e aí reconheço que alguns eram uns desgraçados, mas também havia outros, talvez a maioria que víamos como amigos e a quem respeitávamos completamente. Não é por isso um problema de autoritarismo, mas simplesmente de uma forma de encarar, de saber estar e resolver os problemas.
Nesse vídeo, aquela adolescente histérica a quem a professora muito bem retirou um telemóvel, (uma aula não é local para andar a mexer em telefones), deveria imediatamente ter sido posta na rua. Não me parece que a posição da professora em tentar, durante tanto tempo, lutar pela posse do telemóvel com a aluna tenha sido a melhor opção. Nota-se na voz da aluna um histerismo que a professora devia ter entendido e calmamente, devolver-lhe o telemóvel, chamava um continuo, o director, ou quem quer que seja que na escola a pudesse ajudar, expulsar a aluna da turma e posteriormente chamar os país para lhes relatar o sucedido e procurar soluções.
Ouvi que diariamente há um caso de agressão a professores e acredito que deve haver escolas em certas zonas onde ser professor deve ser um inferno e um risco contínuo. Sei que algo devia ser feito, mas ou me engano muito, e brevemente os professores vão receber notícias sobre o assunto que os deverão deixar felizes. Mal o Ministério entenda que já não necessita ter a imagens dos professores depreciada, para assim lhes impor as regras que deseja, veremos a sua autoridade a ser restabelecida nas escolas. Câmaras de vigilância e seguranças passarão a fazer parte da vida do dia a dia da escola e as “criancinhas” vão ter de andar na linha sob um regime de disciplina quase militar. Isto não pela integridade física dos professores, (para isso estão-se eles nas tintas), mas porque faz todo o sentido na politica dos Bilderberg para o ensino. Fechar as crianças na escola durante 11 horas por dia logo desde pequeninas, incutir-lhes, a bem ou a mal, os princípios do respeitinho, da obediência, do cordeirismo. Convêm desde tenra idade incutir-lhes os conceitos e o hábito da disciplina e de não pensarem muito, só obedecer. Quando saírem da escola, com um dos famosos cursos profissionalizantes que o Engenheiro e a Sinistra tanto elogiam e fomentam, para um mercado de trabalho sem direitos e com salários de miséria, convêm que vão habituados a ser vigiados, ser obedientes e nada, mas mesmo nada reivindicativos de direitos ou com ideias próprias que possam prejudicar a produtividade.
Sei que haverá professores não vão gostar daquilo que escrevi, Vou ouvir em comentários que só digo o que digo porque não sou professor e não estou lá a viver e a sofrer por tudo aquilo que eles passam. É verdade, mas parece-me que deviam ser os próprios professores a juntarem-se, discutirem e a apresentarem soluções para este problema. Esta luta é tanto deles como é nossa, pais que desejamos o melhor para os nossos filhos. Claro que a nós pais cabe também a tarefa muito importante de fazer com que os nossos filhos sejam gente educada, com princípio e para quem o respeito pelos professores seja algo de natural. Isto enquanto o estado não nos tirar os filhos de casa e o tempo para o fazer. Quando as crianças entrarem nas escolas às 8.30 horas e só saírem às 19.30h, não vejo como o podermos fazer se ao chegar a casa só haverá tempo para tomarem um banho, jantarem e irem para a cama. Se pais e professores não se juntarem nesta luta e se empenharem em resolver os problemas da escola pública em conjunto, temo muito pelo futuro, tanto dos nossos filhos como do país.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Cegos e surdos. Antes fossem mudos

Defensores do crime

Que o Bush tenha vindo defender, cinco anos depois da invasão e do crime que cometeu, não me espanta sendo ele quem é. Que o Aznar venha dizer que não está arrependido, apesar de em tempos ter justificado o seu apoio a falsas informações dos serviços secretos americanos, é uma simples prova de arrogância e estupidez. Agora que, ao fim de todo este tempo, das centenas de milhares de mortos, da destruição, da miséria e de se saber que as razões utilizadas para justificar a invasão foram mentiras premeditadas, não dá para entender que tanto o Pacheco Pereira como o Lobo Xavier, na Quadratura do Circulo, ainda venham tentar justificar aquela guerra. Só mesmo por não conseguirem ter a humildade de aceitar que se enganaram na altura em que a defenderam pode justificar as suas posições. Nada que possam dizer lhes dará a razão que não tiveram e não aceitar o erro só mostra hipocrisia. Custa assim tanto reconhecer que se enganaram?

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

quinta-feira, Março 20, 2008

Iraque - Há 5 anos a morte saíu à rua.

Iraque 5 anos

Cinco anos de guerra no Iraque. Mortos, são às centenas de milhares, a fome, a miséria e a destruição de um país, tudo em nome da loucura de um viciado em petróleo e em poder. Hoje, o assassino Bush voltou a reafirmar que estava satisfeito com o ter iniciado esta guerra e que iria continuar a senda da destruição. Até quando vai o homem deixar que loucos como este cheguem e tenham o poder para cometer crimes contra a humanidade como este? O Sadam foi enforcado pelos crimes que cometeu, mas este, e toda a corja que lhe deu a mão e o apoiou, continuam impunemente em liberdade sem serem julgados pelos seus. Faça-se justiça.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Politicas sociais que cheiram mal

Cheira mal

«À partida seria uma boa notícia para quem tem que comprar medicamentos: o Governo decidiu baixar em 2007 o preço dos fármacos em seis por cento. Mas agora é o próprio presidente do Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed), Vasco Maria, quem reconhece que os doentes não beneficiaram daquela descida. Os ganhos ficaram todos no Estado, que, enquanto baixava o preço final, cortava também na comparticipação que está a seu cargo na generalidade dos medicamentos.»
IN “Portugal Diário

Quem não se lembra desta medida, anunciada com grandes parangonas como sendo um enorme beneficio para os utentes, pelo governo e que, como se vê, nada mais foi que mais uma forma de poupança, mas para o governo. Estas são as grandes medidas sociais deste governo. Tão ridícula como o é considerar que abrir uma linha de crédito para os Estudantes Universitários possam pagar as propinas que o governo não para de aumentar é um dos exemplos daquilo que são os benefícios sociais deste governo. Fazer os jovens iniciarem a sua vida profissional, isto se tiverem a sorte de encontrar um emprego, já endividados, não me parece ser nada de muito benéfico a não ser para os bancos. Ainda hoje o Engenheiro foi ao Parlamento dizer que os portugueses com mais de 65 anos passarão a pagar só metade da taxa moderadora nas consultas. Até ele teve de reconhecer que a medida serve pouca gente, já que 80% destes idosos já estavam isentos desse pagamento. Não critico a medida, é certamente boa, mas não será hipócrita ser tomada por quem durante estes anos não parou de aumentar essas mesma taxas e criou muitas outras? Dá a ideia de que nos vieram roubar o prato de comida, para depois nos atirar um osso com grande pompa e circunstância da sua benevolência. Eu por mim dispenso este tipo de favores, mas também de politicas do Engenheiro.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

A Queda da Sinistra Ministra

 A Queda

Ouvi por aí, no Blog "::Ecos", o que poderá ser só um rumor, mas segundos ele a Sinistra Ministra, no dia do seu aniversário, poderá ter oferecido uma prenda a todos nós, tendo apresentado a sua demissão. A ser verdade, o que o próprio blog não garante, tudo continua no segredo dos Deuses até que o Engenheiro arranje alternativas e se prepare para as consequências. Como disse, este facto pode ser só uma não verdade, mas pelo menos é uma esperança que nos fará hoje dormir melhor.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

quarta-feira, Março 19, 2008

O respeitinho é muito bonito

 Domonatrix

Ontem foi apresentado o novo mapa judicial. O Engenheiro apareceu a dar a cara por ele, mas sem deixar de resguardar a retaguarda (há por ali alguns problemas ou medos do poder judicial). Explicou-nos que a reforma tinha sido debatida entre todas as entidades que deveriam ter uma palavra sobre o assunto, (embora já tenham começado as criticas vindo um pouco de toda a parte), e que mesmo assim nada era definitivo, que iríamos entrar num período de experiência e que se revelasse que algo não estava bem, humildemente, seria de imediato corrigido. Gostei, mostrou espírito democrático, da humildade perante a opinião dos outros, mas depois não pude deixar de me lembrar da saúde e da educação. Porque não teria o Engenheiro tido o mesmo espírito de consertação, porque não terá feito uma experiência, tanto no fecho das urgências como nas reformas da educação? Porque não terá ouvido os destinatários destas reformas? A resposta que encontro é que o Engenheiro trata e respeita de uma forma diferente o Senhor Doutor Juiz do que aqueles que a Sinistra Ministra chama de "professorzecos". De uns tem medo, os outros despreza e pisa, afinal o respeitinho é muito bonito.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

O Naufrágio da Educação

 A naufraga

Hoje, no parlamento uma deputada socialista afirmou que a Sinistra Ministra e os portugueses, agarrados ao leme, num acto de coragem derrotaram o monstrengo. Imaginei logo a sinistra a cruzar as conturbadas águas do parlamento, contra os terríveis monstros da oposição que lhe pretendem cortar o caminho para a excelência. Mal cheguei a casa, liguei o computador em busca de tal heroísmo e esperando que, como Camões, as musas me inspirassem e me dessem o engenho e a arte para glorificar tão grande epopéia. Mas, por mais que olhe, nesta viagem da ministra só vislumbro o naufrágio do barco da educação e uma tragédia que muito vai prejudicar o futuro deste país. Só consegui ver uma ministra já a afogar-se e todo um país a fazer-lhe já velório.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Morreu Arthur C. Clark

 Arthur C.Clark

Morreu o homem que me fez ver o amanhã já hoje, tão certo e tão real como se o tempo não tivesse tempo para ter tempo. Acompanhou-me toda uma vida de livros tão fantásticos que me fez viver tempos que a minha mortalidade nunca me permitirão viver, mas que um dia aqui estarão tão reais como as palavras que nos deixou escritas. Desculpem esta interrupção no tempo e no espaço deste blog, mas fechou-se a janela por onde eu via o amanhã. Morreu Arthur C. Clark.

A Mercearia Global

 O Merceeiro

O índice de preços ao consumidor (inflação) de Fevereiro da zona do euro foi revisado em alta, para 3,3% (taxa anual), segundo os dados da agência de estatística da União Europeia, o Eurostat. É a maior taxa de inflação já registrada na zona do euro, que é composta por 15 países da Europa que têm em comum o euro como unidade monetária. Os preços mais elevados de alimentos e de energia foram os responsáveis por mais esta subida.

Por cá, dizem que em Fevereiro a inflação está nos 2,9%, valor bem acima das previsões do governo que previu para 2008 uma taxa de 2,1%, o que faz com que os portugueses já estejam a perder, uma vez mais, poder de compra. A crise da economia mundial, que já não conseguem esconder, com o petróleo a atingir valores nunca imaginados, com os especuladores, (engraçado como esta palavra, há uns anos, era pejorativa, representando aldrabões e trapaceiros, hoje serve para classificar os grandes e respeitáveis investidores financeiros), a fazer subir os preços em negócios com matérias-primas e produtos alimentares. Nada de bom podemos esperar. O que podemos esperar são mais dificuldades, mais pobreza e mais miséria, enquanto este capitalismo global, esta Europa e este governo vão fazendo as politicas dos Senhores do Clube de Bilderberg. A esperança que ainda nos pode restar, é que esta não é a única via, o único caminho que podemos escolher para o futuro e de voltarmos a colocar as pessoas onde esta gente colocou a economia; O homem voltar a ser a principal razão e a finalidade das políticas.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

terça-feira, Março 18, 2008

A Morte do Capitão América

Morte da América

Quando olho para a crise porque passa a economia Americana, (e que infelizmente acaba por sobrar também para nós), não pude deixar de me perguntar se não estaremos a assistir à morte do "Capitão América", mesmo que o Bush venha garantir que ele está bem de saúde e vai recuperar. Afinal também diz o mesmo do Iraque e é aquilo que se vê.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

A estratégia para o futuro

 A patroa

Hoje ouvi, com algum espanto a Sinistra Ministra da Educação definir claramente os objectivos deste governo em matérias de qualificações para os portugueses. “Este programa segue recomendações internacionais, que apontam como um problema grave o déficit de qualificação dos portugueses". Segundo ela, e ao contrário da Europa, só 30% dos nossos jovens seguem os cursos profissionalizantes e 70% prosseguem os seus estudos.
"O objectivo do governo é atingir, no próximo ano, a meta dos 50%, ou seja, que metade dos alunos do ensino secundário façam essa frequência em cursos profissionais e vocacionais", afirmou a ministra. Isto para o ano, que no futuro esperam atingir a meta dos 70 ou mesmo 80%.
É portanto objectivo deste governo e desta politica Europeia que só 20 em cada 100 crianças portuguesas acabem por tirar um curso superior. Os outros, esses sairão da escola pública, mais jovens, e com isso com uma carreira contributiva para o estado mais longa, directamente para o mercado de trabalho precário e mal remunerado. Carne feita à medida dos grandes empresários para sustentar os seus negócios, gente condenada a viver com baixos salários e poucas perspectivas de futuro. Afinal esta gente não defende mais qualificação para os portugueses, mas antes que vão trabalhar mais cedo. O objectivo deveria ser de criar um ensino que possibilitasse, a um cada vez maior número dos nossos jovens, a capacidade e o conhecimento suficientes para poderem prosseguir os seus estudos até ao mais alto nível possível. Afinal não, só desejam que aprendam o mínimo necessário e suficiente para irem trabalhar. Compreende-se por isso que a filosofia, a literatura e outras disciplinas mais humanistas, sejam assuntos a descartar dos programas. Compreende-se por isso que não haja grande necessidade de saberem as matérias para passar o ano. Se um aluno não sabe quem foi ou o que fez D. João II não prejudica em nada a sua capacidade para estar sentado numa caixa de um hipermercado. Vamos atrasar um ano a sua entrada no mercado de trabalho por um jovem não saber qual é o monte mais alto do mundo ou quantos planetas tem o sistema solar? Esta corja parece pensar que não e por isso tudo faz para evitar chumbos nas nossas escolas (e também porque fica bem nas estatísticas).
Para os outros 20%, saídos das escolas particulares, do ensino feito com qualidade, fica aberto o caminho para prosseguirem os seus estudos e poderem assim aspirar a melhores profissões mais bem remuneradas. O pior de tudo isto é que nem será o mérito a decidir o futuro de cada um, mas simplesmente o estrato social e económico de onde vierem.
Juntem isto a crianças, desde o primeiro ano, fechadas em escolas, muradas e gradeadas durante 11 horas diárias, a viverem sob o olhar de câmaras de vigilância e de uma disciplina rígida (Para o reforço da segurança nas escolas, o primeiro-ministro disse que “continuará sendo desenvolvido o monitoramento por cameras e os estudantes passarão a pagar todas as suas despesas dentro da escola com o cartão de aluno”). Crianças educadas para aceitarem ser controladas, vigiadas, a obedecer a ordens sem discutir, sem refilar, e depois entregues a patrões como se de gado manso se tratasse. Esta é a sociedade que esta gente, sob a supervisão dos Bilderberg, está a criar para os nossos filhos. É isto que queremos para eles? Eu não, e por isso é que nunca me calarei nem deixarei de tudo fazer para os desmascarar.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Partilhe