quinta-feira, Julho 31, 2008

CSI Portugal

CSI Lisboa

«Vários presos foram libertados no último ano, sem que se pudesse apurar se podiam ou não ser responsabilizados criminalmente, devido a atrasos na realização de perícias psiquiátricas, que ultrapassavam o prazo da prisão preventiva. Para além dos atrasos nos exames psiquiátricos, realizados pelo Instituto de Medicina Legal (IML), há ainda que contar com os das perícias realizadas pelo Laboratório de Polícia Científica. O procurador explica que, por exemplo, um teste de balística chega a demorar «anos», ao passo que um pedido de informação bancária pode levar dois meses e uma carta rogatória, com pedido de diligências no estrangeiro, pode tardar um ano a ser cumprida.»

Ontem assisti a um episódio da série CSI e, retirando a ficção e o exagero da competência e da rapidez dos exames periciais, tudo acontece na hora, e os culpados descobertos e presos. Todos sabemos que a realidade é bem diferente da ficção, mas também é um exagero o tempo que a nossa justiça demora em cada passo das investigações. Anos para fazer um teste balístico, meses para identificar o ADN e milhares de indícios que nunca chegam à luz do dia. Se a isto juntarmos as “cambalhotas” jurídicas de muitos advogados não podemos estranhar que a culpa acabe por morrer solteira em muitos crimes. Casos como o da Madie ou da operação Furacão provam que muito mais podia e devia ser feito pela nossa polícia e pela nossa justiça. Não pretendo que exista por cá um CSI Portugal, mas pelo menos que não deixemos os culpados escapar só por falta de celeridade em exames complementares à investigação. Sem justiça não há nenhuma sociedade que se possa sentir segura.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Nota Blogosférica

O Anjinho

Faço este post porque quero deixar aqui uma nota pessoal sobre um certo tipo de ideias que têm surgido nos comentários deste blog. Tirando um ou outro mais directamente apoiante do bafiento salazarismo, que só merecem o meu desprezo, outros têm aparecido em que se deprecia o tempo actual em relação aos “tempos da outra senhora”. Muitos têm afirmado que “isto está pior que no tempo do Salazar”, que “o Sócrates é pior que o Salazar”. Não posso deixar de dizer que não podia estar mais em desacordo. Querer transformar o Bafiento em Anjinho não faz qualquer sentido. Ainda me lembro desses tempos e não os desejo de volta de maneira nenhuma. Se hoje estamos mal, então estávamos muito pior, na pobreza, na educação, na saúde, na informação, na liberdade, em tudo. É verdade que estamos a perder muitos dos direitos que se conquistaram na revolução, mas isso é culpa nossa que não saímos para a rua em sua defesa. É verdade que este o poder, cuja fachada são o Sr.Silva , o “Engenheiro” e toda a outra cambada que por aí anda, não tem parado de nos lixar, de nos arrastar para o interior de um capitalismo decrépito e num caminho que acredito poder levar-nos a uma catástrofe civilizacional mas ainda podemos denunciá-lo e, se unirmos vontades, evitá-lo. Acredito num país melhor, mais igualitário, mais solidário. Vi este povo a sê-lo quando acreditou que esse era o caminho e acredito que voltará a sê-lo se esse voltar a ser esse o caminho escolhido. Só depende de acreditarmos e da nossa vontade.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

quarta-feira, Julho 30, 2008

Os Ratos

Os Ratos

«Pelo menos 30 militantes da Juventude Popular do distrito de Setúbal vão seguir os passos de Carlos Dantas. Em desalinho com a direcção nacional do CDS-PP, os jovens vão abandonar o partido. As demissões surgem como um gesto de solidariedade, depois da saída do líder da distrital de Setúbal.»

A primeira ideia que me veio quando li esta notícia foi a de ratos a abandonar o navio, mas depois pensei melhor e questionei-me se haverá 30 militantes do CDS em Setúbal. Se não sei se existem em Portugal como posso não duvidar que existam só em Setúbal. Será isto um golpe publicitário para mostrar que ainda há militantes no CDS? Será que o CDS ainda existe?

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O bom exemplo do Estado

Fome

«A despesa do Estado com salários reduziu em 18 milhões de euros no primeiro semestre de 2008. Ao mesmo tempo os encargos com pessoal contratado a termo têm aumentado, estando previsto um acréscimo de 50 milhões de euros em 2008.»

Como podemos nós acreditar que há um verdadeiro desejo de lutar contra o trabalho precário quando vemos o governo a dar exemplos destes. Podemos nós confiar nas verdadeiras intenções da nova Lei laboral quando os que a impõem são os primeiros a transformar postos trabalhadores contratados em trabalhadores precários? É este o tipo de relações de trabalho que desejamos para o futuro? Podemos nós aceitar que nos imponham uma sociedade em que as nossas vidas, o nosso futuro e as nossas esperanças possam ser descartadas a qualquer momento? Podemos aceitar viver com o pesadelo do desemprego presente em cada dia das nossas vidas? Que futuro podemos construir, que projectos podemos fazer, que vida podemos aspirar para os nossos filhos?

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

terça-feira, Julho 29, 2008

A Matrafona

A Matrona

Talvez por a pintura mostrar melhor a “alma” daquilo que representa que a própria fotografia, quando tento encontrar um boneco para retratar a Manuela Ferreira Leite, é aí que encontro a imagem que a ilustra melhor. Pode não ser a imagem certa para ilustrar o post que queria escrever, mas ganha uma vida própria que mostra mais que quaisquer palavras que aqui pudesse colocar. Fica o “boneco” e que cada um leia nele aquilo que desejar.

PS: A pedido dos amigos nos comentários alterei o nome de "A Matrona" para "A Matrafona". Realmente é o titulo mais correcto.


C
ontributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

A Escola dos corruptos

O Tonecas

Alberto Martins, líder parlamentar socialista, disse que a sua bancada “não recebe lições de combate à corrupção do engenheiro João Cravinho” e promete continuar esse “combate sem tibiezas e sem desautorizar o esforço que está a ser feito”.

Eu não sei como acontece com os outros, mas eu não tenho vergonha de dizer que, apesar de ser um “cota”, todos os dias aprendo algo com aquilo que vejo, com aquilo que ouço, com os meus filhos ou com o Sr. da mercearia. Só esta escumalha, que abusa do poder que lhe deixamos ter, diz não aceitar lições de ninguém. Nem o Alberto Martins aceita lições sobre corrupção nem o Sócrates sobre “ser-se de esquerda”. Parece que sabem tudo sobre tudo, que têm todas as verdades enquanto nós, os outros, só temos maldade e ignorância. Até aceitam que lhes chamemos de arrogantes e prepotentes, mas infelizmente não é tão simples como isso. Este discurso é a melhor forma de não terem de se explicar sobre os problemas, de fugirem às responsabilidades que têm. Esta canalha protege os corruptos e envergonha o “ser-se de esquerda”. Mas, não cantem vitória, não pensem que esse discurso engana toda a gente. Ainda há quem os oiça e sinta asco nas suas palavras. Cada vez há mais gente que entende a pulhice que se esconde debaixo delas. Esta gente envergonha toda uma democracia.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

segunda-feira, Julho 28, 2008

Raças Perigosas XV

Raças Perigosas

"Tenho mais poder no Abrupto que como secretário de Estado"
Pacheco Pereira, "Diário de Notícias", 27-07-2008

Sempre ouvi dizer que "presunção e água benta, cada um toma a que quer" e o Pacheco sempre viveu na ilusão que aquilo que diz é muito importante. Não haverá ninguém que seja suficientemente simpático e lhe explique que aquilo que ele diz é irrelevante para o que acontece neste país. Por muito poder que tenha a comunicação social ele não passa de um fala-barato que vale aquilo que vale, ou seja quase nada.Falta-lhe estrutura moral e politica para ser mais do que um "entretainer". Quanto ao "Abrupto", não passa de um blog mediocre. Há centenas muito, mas muito melhores que ele.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17


O anjo caido

Corrupção

«João Cravinho lançou, duras críticas às medidas tomadas contra a corrupção, como resposta às suas propostas, que o PS rejeitou, e alertou que a grande corrupção e o crime estão a aumentar. O ex-ministro das Obras públicas de António Guterres, reconhece que o Simplex é muito positivo no combate à pequena corrupção, mas, lamenta, «na grande corrupção de Estado, toda a gente tem a sensação que estamos numa situação muito complicada e em crescendo». E porquê? Cravinho explica: «Porque a grande corrupção considera-se impune e age em conformidade e atinge áreas de funcionamento do Estado».
No entanto, apesar do retrato que faz do campo de batalha com a grande corrupção a ganhar terreno, ressalva que fica a luta travada: "é uma derrota como um soldado que (se combateu) não teve a culpa".
O autor de um pacote legislativo sobre corrupção, (que foi chumbado pelo PS e PSD) deixou no Parlamento para em Londres assumir a direcção do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento»

João Cravinho é um homem derrotado pelo sistema, um “soldado” que perdeu a batalha, não por ter sido atingido com uma bala mas neste caso por uma bela cadeira num Banco em Londres. Seja como for não deixou de colocar o dedo na ferida e de dizer em voz alta aquilo que por cá muitos parecem ter medo ou vontade de dizer até em surdina. Vivemos no reino da corrupção, da corrupção feita ao mais alto nível, à corrupção do próprio poder legislativo que tudo faz para criar as condições para políticos, ricos e poderosos. Vivem na impunidade de leis que mais parecem queijos suíços, tantos são os buracos por onde podem fugir. Filhos da puta que desgraçam este país e nos condenam a sermos os mais pobres da Europa, que usam os recursos do país em proveito próprio. Faz bem o Cravinho em denunciar esta situação, mas melhor seria que não se tivesse vendido, ficado em Portugal e tivesse colocado nomes próprios (e de família) naqueles que usam a corrupção como forma de vida.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, Julho 27, 2008

As regras

As leis dele

“Portugal é um país onde há a arreigada convicção de que a liberdade é não cumprir as regras”
José Miguel Júdice

Quais regras? As regras deles, suponho eu. Alguém me perguntou se concordo com elas, se me queria comprometer em cumpri-las?
Como há sempre quem diga melhor as coisas do que nós, escolhi Fernando Pessoa.

Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca…

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Blogs sob ataque

 Censura

Há uns tempos, ao visitar um blog que não conhecia, “Barreiro Por Sensei”, fui confrontado com o anúncio de que o conteúdo do blog podia ser ofensivo, blá, blá, blá. Alguém se tinha dado ao trabalho de o assinalar como tal. Entrei e não me arrependi pois é um blog bem escrito e que defende as suas ideias de uma forma clara. Fiquei cliente. Depois vi o mesmo acontecer com o fantástico “Braganza Mothers” e agora com o excelente “O Jumento”. Em nenhum dos casos me parecia haver motivos para que os blogs fossem assinalados, pelo que só posso concluir que se trata de ataques de gente que não aprecia a liberdade e as opiniões aí expressas. Esta é a sua forma de os tentar censurar e de fazer com que alguns deixem de os visitar. Sempre fui um defensor da liberdade de expressão, do direito que todos nós temos de dizer os nossos pensamentos e dar a nossa opinião sobre aquilo que vemos acontecer à nossa volta. Estes ataques são obra de gente mesquinha, de pequenos ditadores que utilizam os pequenos poderes que têm. Gente que não presta, gentinha sem valor nem coragem para assumirem as suas atitudes. Aqui fica a minha solidariedade a todos os que têm sido vítimas destes “bandalhos”.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

sábado, Julho 26, 2008

Boa sorte "apaixonante" Barack Obama

 O Mal e o menos Bem

«O presidente francês, Nicolas Sarkozy declarou logo após um encontro com Barack Obama, virtual candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, que existe entre ambos "uma grande convergência de opiniões" e que eles tiveram uma conversa "apaixonante". Durante a entrevista, Sarkozy e Obama demonstraram afinidades e trocaram inúmeras amabilidades, além de palmadinhas nas costas e sorrisos.
Apesar de afirmar "estar disposto a trabalhar ao lado do vencedor das eleições presidenciais americanas, em Novembro próximo, seja ele quem for", Sarkozy não conseguiu esconder seu entusiasmo em relação ao candidato democrata. "Boa sorte Barack Obama”».

Quando vejo alguém que considero como um “demónio dos infernos Bildebergianos”, um adorador do Bush chamado Sarkozy tão entusiasmados com aquele que dizem ser a “boa nova”, o “santo” que desceu dos céus sobre a terra para tudo endireitar, para nos salvar. Quando vejo o “mal” desejar boa sorte àquele que dizem ser o “bem” desconfio. Sei que sou paranóico, sei que a lógica tem de fazer sentido, que por mais que se mascare, por mais que se esconda, a realidade nunca deixa de o ser e há aqui alguma coisa que não bate certo.
Em Berlim juntaram-se 200 mil para ouvir o discurso do Obama e em Paris havia franceses a vitoriá-lo com camisolas com a sua fotografia estampada. Porque estão a vender já a imagem do Obama, não só aos Americanos que o vão eleger, mas a todo o mundo. Que tarefa lhe destinaram os que o promovem?
Não servirão, Sarkozy e Obama, os mesmos donos? Pensem nisso e tenham medo, muito medo.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Aventuras de um Kadafi na Suiça

 O ditador

«A Líbia suspendeu todas as suas entregas de petróleo à Suíça e proibiu navios de bandeira suíça de atracarem nos seus portos, em protesto contra a prisão do filho do líder líbio Muamar Kadafi em Genebra, que foi detido pela polícia suíça por agredir duas empregadas domésticas nesta terça-feira em Genebra, tendo sido libertado logo depois do pagamento de uma fiança de meio milhão de francos suíços (312.500 euros).
A Líbia chamou de volta alguns dos seus diplomatas na Suíça, suspendeu a expedição de vistos para cidadãos suíços, reduziu o número de vôos para a Suíça e deteve dois cidadãos suíços sob várias acusações, informou ontem o chanceler da Suíça. A Líbia exige um pedido de desculpas do governo suíço pelo sucedido.»

Quando visitei a Suíça a ideia que me ficou é que até as vaquinhas que enfeitam a paisagem deviam estar pregadas ao chão para tudo estar equilibrado e perfeito. Nunca fui grande apreciador desse país nem do seu regime que considero demasiado rígido e até xenófobo em muitos casos. Neste caso tenho, no entanto de lhe dar razão e não me posso deixar de questionar como é possível existirem ditadores mundiais que se sentem no direito de impor a sua vontade e a sua lei a outros países. Exigem a impunidade dos seus familiares, a quem parece que devemos aceitar que cometam os crimes que desejarem, que violem as leis dos países onde estão e nada lhes aconteça. São filhos do Sr. Kadafi e por isso tudo lhes deve ser permitido.
A minha solução passava por todos os países protestassem violentamente contra a prepotência deste ditador, (ex-terrorista que agora se transformou num grande amigo dos governos ocidentais) e, olho por olho, tomassem medidas idênticas para a Líbia aquelas que esta está a tomar contra a Suíça. Estou farto desta gente que se considera dono do mundo e que pensa poder fazer o que deseja. Mandem-se todos à merda.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

sexta-feira, Julho 25, 2008

Obama Superstar

Superstar

«Centenas de milhares de fãs receberam na quinta-feira Barack Obama em Berlim como se ele fosse um astro do rock, com alemães se pendurando em postes para ver o candidato no qual votariam se pudessem. "Ele é um político pop star. A Alemanha não tem nenhum desses", disse o estudante Johannes Ellendorf, que estava entre as mais de 200 mil pessoas que foram ouvi-lo discursar junto à coluna da Vitória, no centro de Berlim.»

Não me perguntem porquê, mas este Obama, faz-me arrepios, algo que não bate certo, algo que faz com que não confie nele. Há qualquer coisa errada e, embora ainda não saiba o que é, sinto-o. Será só paranóia minha ou há mais quem sinta o mesmo?

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Sócrates, O Filósofo

O Filósofo

Recebi por mail este texto e não resisti a fazer um boneco para o ilustrar.

«O EUROSTAT concluiu, através de um inquérito a mais de 100 milhões de cidadãos europeus, que os portugueses eram mais entendidos em filosofia e por uma larga distância. Noventa por cento dos portugueses afirmam conhecer Sócrates e a sua obra e, destes 90%, mais de metade diz que Sócrates influenciou directamente a sua vida.

Há ainda quem no inquérito manifeste opiniões apaixonadas (do tipo “Esse gajo é um filho da puta”, ou “Eu quero que esse cabrão vá levar na peida” ou ainda “há quem diga que o gajo abafa a palhinha”), o que levou o EUROSTAT a afirmar em nota de rodapé que “ Os portugueses, além de mostrarem uma cultura acima da média europeia, revelam um alto sentido critico/interventivo nas questões da filosofia".»

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

A Engenharia Laboral do Menino d'ouro

A EngenhariaPatronal

«O primeiro-ministro acusou "a direita de estar ausente do debate" e assegurou que o BE e o PCP terão todo o tempo de debate necessário sobre o novo Código de Trabalho, sublinhando que o PS está “mobilizado” em defender a proposta contra os “embustes” e a “demagogia”. Para José Sócrates "ninguém que esteja com o coração limpo pode concluir que esta proposta do Governo do Código do Trabalho não se destina a combater a precariedade e a defender os trabalhadores".
Sobre as convenções colectivas lembrou que muitas destas têm hoje mais de 20 anos e representam "um bloqueio à economia".»

Comecei a escrever um texto em que procurava mostrar as minhas discordâncias deste discurso, mas seria tão longo e dar-me-ia tal azia que me estragaria as férias. Prefiro acreditar que quem visita este blog consiga ler a verdade por detrás das palavras do “Engenheiro” e ver a realidade da enormidade que nos quer impor. Que veja que deseja trocar a precariedade que hoje existe para alguns, por uma que seja para todos ao permitir o livre despedimento, que ao fazer caducar os contractos colectivos e não negociá-los o que pretende é “limpar” todos os direitos conquistados em tantos anos de lutas e negociações.
Juntem a esta lei o pacote da segurança social, os números do desemprego, as novas leis da Europa que permitem horários até 65 horas semanais, as crises criadas pelo capitalismo que nos impingem e nos cobram, os Sarkosys, Obamas e Putins deste mundo, as estratégias há tanto tempo delineadas pelos tenebrosos Bilderbergs e vejam o destino que nos destinam. Tanto se falou da flexigurança, do exemplo dos países nórdicos e daí tudo o que aproveitaram foi a flexibilidade e esqueceram a segurança. Mentiroso, ladrões e vendidos é o que vejo quando olho para esta gente. Bem pode gritar que é de esquerda que todos já vimos bem a sua cor. Bem pode tentar travar a sangria eleitoral à sua esquerda que não há discurso, embustes e demagogia que o salvem. Vai perder a maioria absoluta ou mesmo perder as eleições e vão ser os votos nos partidos à sua esquerda que o vão derrotar.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

quinta-feira, Julho 24, 2008

A Melga da Vespa

 A vespa

Estava sentado a ler um livro e na televisão o “Engenheiro d’ouro” falava das virtudes do seu código de trabalho e da maldade de todos aqueles que o criticam. Aquela malfadada personagem tem o condão de me irritar como o têm as “melgas” que todos os fins de tarde me zurzem aos ouvidos e me impedem de calmamente beber uma cerveja a olhar o pôr-do-sol. Peguei no computador e comecei uma busca até me aparecer esta imagem. Na irritação do momento vi a “melga” que me irritava e fiz o boneco para depois reparar que me tinha enganado; o animal não era uma melga mas sim uma vespa. Não sei se foi o meu subconsciente que me enganou ou se simplesmente me desejou passar uma mensagem. O que quer dizer não sei, mas ficou uma vespa e vespa ficará. Ou será que as minhas origens nortenhas estarão a vir ao de cima e já troco os “vês” pelos “bês”.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Os Senhores das Quotas

 Avaliação

Encontrei no blog “Sinistra Ministra”, da amiga Moriae, um post com um link para o documento que define as quotas de “excelentes” e “muito bons” que deverá ser aplicada aos professores. Como não sou professor não entendi muito bem o sistema, mas não posso deixar de aqui dizer que sou totalmente contra essa forma de classificação. Quem é excelente deve ser avaliado como excelente e quem é mau como mau. Alguém não deixa de ser bom profissional porque já esgotaram o numero autorizado para bons profissionais que podem existir num local de trabalho. É no mínimo ridículo e, pior ainda, vai acabar por fazer com que muitos bons profissionais sejam ultrapassados pelos “amigos”, “compadres” e pelos “lambe botas” do sistema.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

quarta-feira, Julho 23, 2008

A Pobreza da Classe média

 Classe Média

«A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) têm recebido todas as semanas, via e-mail, dezenas de pedidos de ajuda alimentar por parte de pessoas da classe média. "Não estamos a falar de idosos, dos típicos desempregados, mas de pessoas com menos de 40 ou 45 anos que se calhar não deixam de pagar a netcabo nem desmarcam as férias na agência de viagens mas passam fome", conta Manuel de Lemos, que diz que ao seu próprio email já chegaram dezenas de pedidos de ajuda.»

Será isto natural? Que terá acontecido à cabeça desta gente para aceitar viver esta vida? A que condicionamento social terá alguém de ser sujeito para isto acontecer? Porque é a “imagem” mais importante que a própria sobrevivência para alguns?
Muitas vezes culpei aqui a “bovinidade” deste povo que aceita que o conduzam mansamente ao matadouro sem reclamar, sem se revoltar. Ver acontecer isto talvez demonstre que a grande maioria de nós é condicionado pelas televisões que nos “fazem as cabeças”, que nos fazem viver vidas que por natureza nos seria impossível de aceitar. Não estará na hora de acordarmos, de sairmos desta hipnose colectiva em que vivemos de reclamarmos as nossas vidas de volta? Não estará na hora de voltarmos a pensar com as nossas próprias cabeças? Acordem!

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

O Homem do Fraque

 O Homem do Fraque

"Segundo o Banco de Portugal, até Maio, os bancos tinham emprestado 131.635 milhões de euros, mas mais de 2.500 milhões estão por pagar ou seja 2 por cento do total do crédito concedido. É um novo recorde do crédito malparado que aumentou 24 por cento em Maio, o quinto mês consecutivo. Também o crédito concedido atingiu um novo máximo histórico. Aumentou 0,4 por cento em relação a Abril e mais de 11 por cento quando comparado com Maio do ano passado. O recurso aos empréstimos continua a aumentar no nosso país sobretudo graças aos créditos ao consumo.
De acordo com o Banco de Portugal, o endividamento dos portugueses atinge já 129 por cento do rendimento disponível das famílias e as taxas de poupança estão no nível mais baixo dos últimos 45 anos."

Ainda recentemente vi publicidade em que se ofereciam milhares de euros para ir fazer férias ao Brasil agora e paga-las durante os próximos 10 anos. Continua a festa e, como se não bastassem as dificuldades criadas pelos baixos salários pagos em Portugal, os altos impostos que o estado “implacavelmente e violentamente” nos cobra, temos a banca a “oferecer-nos” facilidades na altura do empréstimo, mas um pesadelo para o resto da vida. Esta voracidade do consumismo, estes empréstimos para comprar o supérfluo está a arruinar este país enquanto enche os bolsos a meia dúzia de banqueiros. Até quando?

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

terça-feira, Julho 22, 2008

Coisas "lights" que me surpreendem

 Lindo bebe

Vi uma reportagem sobre o lançamento de mais uma novela de cordel, da Margarida Rebelo Pinto, autora de literatura “light porno” para donas de casa desesperadas e “tias”que saibam ler, chamado “Português suave”. Não li e não gostei, mas o que me surpreendeu nem foi o seu lançamento ter sido feito no Hotel Ritz, mas sim a sua apresentação ter sido feito pelo ex-BCP, Paulo Teixeira Pinto. Será que lá pela Opus Dei sabem que género de literatura anda o seu “ex-empregado” a ler? Quantas auto-flagelações serão necessárias para expurgar tal pecado?

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Educação Manuelinha

 Lindo bebe

«"Há uma política errada no que respeita à juventude. Não pode ser uma política assistencial, de ajudas, subsídios e patrocínios que começa na família e acaba no Estado", disse Ferreira Leite durante a comemoração do aniversário da JSD. "Tem de ser uma política de apoio ao empreendedorismo dos jovens, de apoio à sua iniciativa privada", defendeu.»

É isso mesmo, nada de ajudar os jovens, mas sim apoiá-los. Imagino que isso queira dizer, empréstimos aos bancos e um começo de vida já endividado. Se essa é a família tradicional dedicada à procriação que a Manelinha defende, que recusa ajudar os seus filhos no inicio de vida então…Porra para a família tradicional, porra para a Manelinha.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

segunda-feira, Julho 21, 2008

O Descascador de batatas

 Descascador de Batatas

«Valentim Loureiro foi condenado a três anos e dois meses de cadeia, com pena suspensa por igual período, por abuso de poder e prevaricação... «De certeza que, perante o que aqui se passou, vou ser candidato a novas eleições, vou ganhar e vou continuar em Gondomar», afirmou.»

Desde os tempos em que descascava dinheiro das batatas do exército a vida e obra do Valentim Loureiro nunca deixou de ser um longo folhetim de suspeitas e acusações. Poucas vezes se provou aquilo que para todos pareciam factos, umas vezes por ilegalidades em escutas, outras por erros processuais, outras ainda por os processos terem caducado. Custa-me entender como um homem que passa tanto tempo em tribunal consegue ainda acumular cargos e mais cargos, que foram desde clubes de futebol, liga, Metro do Porto, Câmaras Municipais, Associação de Municípios e muitas outras que aqui podia acrescentar. Ameaça agora, depois de condenado, recandidatar-se e ganhar de novo. Acredito que vá ganhar, que este povo gosta mais de espertos que de inteligentes, gosta mais daqueles que falam alto do que daqueles que falam certo. Confiam mais em quem sabe roubar que em quem se deixa roubar. O que me custa acreditar é que alguém condenado possa continuar a ocupar cargos em que mexe em dinheiro e interesses públicos. Assim vai Portugal.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

FÉRIAS

 Férias

Meus amigos, Férias. Estou de férias e preparo-me para um mês inteirinho de descanso, de família e sol. Espero não largar a blogosfera, (que vai passar para o fim de muitos outros prazeres), e continuar a alimentar aqui o jardim tentando colocar pelo menos um post diário.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, Julho 20, 2008

Cem mil milhões

 cem mil milhões

Robert Mugabe cria nota que vale cem mil milhões de dólares do Zimbabué (3,33 euros), num país em que a inflação é de 200000% ao ano.

Li esta notícia e quando tentei fazer-lhe o boneco fui confrontado com a dificuldade de escrever numericamente cem mil milhões. Quantos zeros deveria ter colocado na nota?

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Zona Ribeirinha ou a auto-flagelação de uma cidade

 cangalheiro

Retirei o texto deste post dos "Braganza Mothers", agora no seu novo endereço.

Pois a vida é realmente muito dura. O inquilino que mais baixa renda paga, no melhor lugar de Lisboa, José Miguel Júdice, foi o primeiro a regozijar-se com a nomeação do Sr. Biancard Cruz para a Frente Ribeirinha de Lisboa: "Só posso dizer duas coisas: era difícil que o sr. primeiro-ministro fizesse uma escolha melhor e penso que vai fazer um trabalho muito melhor do que o meu. Estou muito contente", afirmou o ex-bastonário".
Acontece que o Sr. Biancard Cruz é muito dado a umas festas muito selectas, onde só entra gente muito filtrada, e, consequentemente, de cada vez que nos mandam convite... nós rasgamo-lo logo.
Quer saber por quê?...
Porque é mais um de uma das seitas secretas que nos governa, neste caso, a sinistra OPUS DEI, e como a Opus Dei só é especialista em caixotes e caixões, os lisboetas que se preparem, para, brevemente, verem a sua Frente Ribeirinha totalmente tapada por caixotes, enquanto aguardam a sua triste hora do caixão.
Não haverá um abaixo-assinado que consiga retirar do seu posto um boneco articulado, que foi eleito, com 60 000 votos, para governar a capital de Portugal?...

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

A perfeita marioneta

 Sr. Europa

Já está em movimento para manter o "Cherne" na Presidência da Comissão Europeia. Aquele que, apesar de ser considerado um dos piores Primeiros-ministros da Europa, foi escolhido para o lugar por ter o perfil ideal de marioneta, provou essa capacidade e por isso já começam a chegar os primeiros apoios à escolha para um segundo mandato. A paga a quem obedece aos grandes interesses sem pestanejar ou questionar. A perfeita marioneta.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

sábado, Julho 19, 2008

Dança da democracia

 Angola

«Venho aqui dar uma palavra de confiança a Angola no trabalho que o Governo angolano tem feito que é, a todos os títulos, notável.»

Como o nosso Socretino gostava de poder ter por cá uma democracia como a angolana. Não tinha de fazer eleições nem necessitava de esconder as mordomias que distribui pelos amigos.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

A Guerra das laranjas

 Luta PSD

Não demorou muito para o PSD voltar ao mesmo. Primeiro foi o Alberto que lá do seu Jardim veio dizer que ele é a única verdadeira oposição ao governo e a gora o Menezes de Gaia que, numa entrevista, arrasa a Manelinha Leite. Ela com a sua gestão do silêncio, leia-se total incapacidade para ser diferente do Sócrates, também se põe a jeito. É que quem com ferros mata, com ferros morre.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

sexta-feira, Julho 18, 2008

Encerrado para Jantar

IV FARRA BLOGOSFÉRICA

ESTOU AQUI COM AMIGOS.
VOLTO JÁ

Quando morrer é uma sorte

 Nuclear

«Questionado sobre as afirmações de Victor Constâncio, de que Portugal deveria ponderar o recurso à energia nuclear, como forma de reduzir a dependência do petróleo, Cavaco Silva afirmou: "Na campanha eleitoral, foi-me feita exactamente essa pergunta. Nessa altura, respondi da seguinte forma: A questão deve ser debatida e deve ser estudada, por forma a encontrar o verdadeiro interesse nacional. Hoje não responderia de forma diferente".»

Para o Sr. Silva que diz que a questão nuclear deve ser debatida só lhe digo que, em caso de acidente, nem todos teriam a felicidade de morrer logo ali, muitos e muitas gerações futuras transportariam, ser remissão possível, a desgraça durante todas as suas vidas. Não será a possibilidade de isso acontecer, por mais ínfima que seja, razão suficiente para nem colocar a questão? Diminuir a nossa dependência do petróleo será assim tão fundamental que nos convença a possibilitar este futuro? Para mim, nuclear não, obrigado.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Somos putas para todo o serviço

 AllTamega

«“Num momento em que foram reveladas algumas previsões preocupantes quanto ao comportamento da nossa economia, quero dizer aos portugueses que este é um tempo para não baixarem os braços", declarou Cavaco Silva,
Em Celorico de Basto, Cavaco Silva reuniu-se com os presidentes das nove câmaras do Vale do Tâmega e, no final, reconheceu que a região "tem alguma debilidade estrutural", mas sublinhou que também "tem coisas boas", nomeadamente potencialidades turísticas. "É preciso é aproveitá-las, para que possam ser criados novos empregos", que fixem os jovens.»


Os nossos políticos quando não têm resposta para os problemas falam na aposta no turismo. Já desde o tempo do “Botas” que tem sido utilizado e pelos vistos vai continuar a ser. Esquece-se de dizer que, havendo uma crise internacional é o sector turístico o primeiro a sofrer. Mas, porque estou eu aqui a ser pessimista, Portugal já está marcado para ser o “Inatel” da Europa e, com um ministro como o Manuel Pinho, ainda vamos ter um dia destes um AllTâmega Valley, cheio de campos de golfe e de concertos das grandes estrelas internacionais para turista ver. Afinal, somos a “West Coast da Europa” para alguma coisa. Esta gente nunca se cansa de ser a prostituta da Europa.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

Um Prémio sem nome

Prémio

Manuela Ferreira Leite merece, sem qualquer dúvida o prémio da hipocrisia politica. Chegou à liderança do PSD queimando os lideres eleitos pelos militantes com criticas constantes à sua actuação e apoiando as medidas dos sócretinos para agora apostar no agravamento da crise e das nossas condições de vida como forma de chegar ao poder. Depois de afirmar que este governo não tem ideias para lutar contra a crise, coisa que todos já sabíamos, afirma que só dirá as suas na altura das eleições. Isto é, se realmente tivesse algumas, o que todos nós também sabemos que não tem, condenava-nos ao agravamento da situação só por egoísmo e ânsia de poder. Todos percebemos que mente com todos os dentes que tem na dentadura e que também ela, como todos os economistas do sistema, está sem soluções para combater uma crise que não é conjuntural mas do próprio sistema capitalista. A sua esperança é que até às eleições algo mude, surja uma luz ao fundo do túnel e ela possa dizer algo diferente de “temos de esperar que a crise passe”. Continua depois acusando os Sócretinos de estarem a tirar da gaveta projectos e promessas de outros governos para ganhar votos com velhas ambições das populações. Esquece que o grande mal já vem lá de trás, de serem tudo promessas não cumpridas, mentiras que foram ditas e depois escondidas. Se pelo menos uma delas for agora cumprida será certamente bom. Hoje, vem acusar o nababo do Banco de Portugal, o Vitinho Constâncio, de ter falado do nuclear para distrair a atenção sobre os problemas da economia. Problemas que nascem exactamente da política que ela sempre defendeu quando desejou queimar os líderes do seu partido ou quando foi Ministra neste país. Pelos vistos não nos bastou ter um Pinóquio como Primeiro-ministro, para agora também aparecer uma pinóquia que nos quer enganar mesmo quando está calada. Como se não nos bastasse já um Silva em Belém para nos lixar a vida. Que raio de pouca sorte que tem este país com as aventesmas que nos querem governar.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

quinta-feira, Julho 17, 2008

Parece-me que andam a mamar

Pedinte

«Os funcionários públicos podem perder até 18 por cento do valor da reforma com as novas regras de aposentação da Segurança Social aprovadas em 2006 enquanto vai permitir ao Estado poupar cerca de 16 mil milhões de euros com pensões até 2020, o que representa uma poupança média de 1.300 milhões de euros por ano.»

Muito mama o estado para tão parcos resultados que nos apresenta. Alguém um dia escreveu numa cabine telefónica, “Parece que o António Calvário é gay”, mas a mim o que me parece é que andam a gastar mal o nosso dinheiro. Parece-me que há por aí quem mame demais dessa teta. Parece-me, não sei bem, parece-me.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Nababo radioactivo

Nuclear

«O governador do Banco de Portugal defendeu no Parlamento, que Portugal deve estudar as vantagens da energia nuclear, sublinhando que é uma opção que deve estar em cima da mesa.»

Era só o que nos faltava que esta inútil, mas faraónicamente paga personagem ainda viesse falar de assuntos que não estão nas suas competências. Já basta que defenda a “contenção salarial” e com isso o aumento da pobreza e da miséria neste país, para agora ainda nos vir colocar a ameaça nuclear sobre as nossas cabeças. Quer construir uma central nuclear? Construa-a no quintal dele, ou melhor mude-se para Chernobyl. Talvez aí entenda porque muitos não estejam dispostos a ver nascer filhos deficientes, sofrer queimaduras radioactivas ou morrer de tumores para alguns nababos como ele encherem os bolsos.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

À espera

 Atrasado

Hoje senti uma pena imensa do Ministro Vieira da Silva. O coitado estava destroçado com a sua pouca sorte. Logo agora que tudo corria tão bem que ele conseguia sonhar com o desemprego a baixar vem logo esta crise internacional para lhe estragar a vida.
-Agora só nos resta esperar, afirmou em laia de conclusão. Nós sabemos que ninguém tem a mínima ideia de como travar esta crise que tem tudo para se continuar a agravar, não se sabe até quando nem até onde ou mesmo se acabará. Tenho muitas dúvidas que tenhamos tempo para, como ele pelos vistos vai fazer, esperarmos.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

quarta-feira, Julho 16, 2008

O Sr. Silva fez 69

 69 Anos

Pela primeira e última vez o Sr. Silva fez 69. O tempo só nos deixa fazer 69 anos uma vez na vida. Tenho que confessar que não sou grande admirador do Sr. Silva, aponto-lhe mesmo o dedo como sendo uns dos principais responsáveis pelo estado de desgraça a que chegou o nosso país. Não vou aqui repetir todos os males nascidos dos seus governos porque, mesmo assim, lhe quero desejar-lhe um feliz aniversário. Não pelo que fez por Portugal, mas pela inspiração que tem sido para os meus bonecos.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

A construção da crise

 O Jogo

Este bondoso e piedoso homem informou-nos hoje daquilo que muitos há muito sentimos e que só os políticos, economistas e jornalistas não sabiam; que a nossa economia e o nosso país está na merda e, pior que isso, fadado a não mais sair de lá. Desce a riqueza neste país mas sobe tudo o resto; o desemprego, a inflação, a pobreza, o fosso entre ricos e pobres, o desespero. Não foi por isso grande a novidade que ele nos veio dar, nem mesmo as recomendações de congelamento salarial. Nunca o vi recomendar outra coisa, desde o dia que sentou a sua real “bunda” na cadeira do Banco de Portugal, o que reconheço é um “aborrecimento” para nós que não temos a sorte de podermos dizer quanto queremos de salário e de nos garantirmos com chorudas reformas. É pena.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Porque corre Alegre?

Código Trabalho

«O deputado socialista Manuel Alegre disse que, "Como socialista jamais poderei aceitar um Código Laboral que agrave ou mantenha uma situação de desfavor nas relações laborais contra os trabalhadores. Isso é impensável para qualquer socialista", dizendo esperar que o diploma do Governo se "equilibre" até à votação no Parlamento.
"Flexibilizar os horários, não pagar horas extraordinárias, a caducidade da contratação colectiva e fragilizarem-se as organizações sindicais podem favorecer um dos lados na relação de trabalho, mas desfavorece os trabalhadores", advogou.»

O Manuel Alegre diz que espera que o Governo “equilibre” o Código Laboral até ao dia da votação na AR. Eu não acredito nisso e certamente também ele não, pelo que, ou votará contra ou não estará na sala na hora da votação, fazendo depois uma declaração de voto vencido. Está mais que visto que o Código vai passar com os votos de todos os outros deputados do PS e tudo aquilo que ele critica nos cairá em cima. Para que servem então estas declarações do Alegre? Para alertar consciências? Limpar a sua? Vender a ideia que ainda há esquerda no PS? Minimizar a perda de votos para o PCP e BE? Como já aconteceu em tantas outras vezes, a sua voz discordante em nada trava as intenções socretinas e ele por lá se mantêm. Por mais que diga e critique, acaba sempre a participar no sistema. Vamos ver se quando chegarem as eleições não o veremos fazer campanha, defender que o voto PS e no Engenheiro contra o perigo do PSD?

PS: Porque raio será que já nem consigo confiar naqueles que dizem coisas com que concordo? Porque tenho sempre aquela sensação que, também eles, cumprem um papel nesta ilusão em que transformaram a realidade e já nem nos nossos olhos e nos nossos ouvidos podemos confiar? Eu, pelo menos, desconfio sempre.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

terça-feira, Julho 15, 2008

A Tentação

Tentação

«Na sua visita à Austrália, o Papa vai tentar promover a “reconciliação com as vítimas” de abusos sexuais praticados pelo clero. “É essencial que a Igreja reconcilie, previna, ajude mas também veja (a sua) culpa”, disse o Sumo Pontífice, de 81 anos. “Deve ser claro: ser padre é incompatível com este comportamento porque os padres estão ao serviço do Senhor”»

Já começa a ser recorrente que o Papa tenha de andar pelo mundo a pedir perdão pelos crimes de pedofilia praticados pelos padres. Depois dos EUA é a vez da Austrália e, muito provavelmente deveria acontecer em todos os países onde põe os pés. Este é o resultado de tanto celibato e tanta tentação. Afinal parece que há muito padre que não resiste a morder a maça.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Pobreza trabalhadora

Pobres Trabalhadores

“Trinta e cinco por cento dos portugueses pobres têm emprego”

País de merda este em que não basta a enorme taxa de desemprego para garantir a miséria, ainda lhe juntamos uma politica de baixos salários que torna pobres muitos que passam o dia a trabalhar. Esta é a politica desta gente cuja ganância tudo pisa e destrói. Na última contagem já eram mais de 2 milhões os pobres deste país. Gente explorada a quem ainda vão carregar com mais um código de trabalho que lhes vai tornar ainda mais precária as suas vidas. Bem convidou o Manuel Pinho os chineses a instalarem-se aqui no “Jardim” que os salários eram baixos. Tão baixos que nos transformam num país do terceiro mundo, onde nem o trabalho garante uma vida digna, enquanto os mais ricos estão cada dia mais anafados. Este é o resultado deste capitalismo global onde nos meteram. Esta é a estratégia dos Senhores de Bilderberg. Este é o caminho para a miséria global para onde inevitavelmente nos conduzem. Se calarmos, se nada fizermos, esse é o futuro que nos reservam. Vamos deixar-nos conduzir bovinamente ao matadouro ou vamos lutar pela nossa liberdade?

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Eu é que sou a oposição

Lá em casa levas mais

“Não chamo oposição àqueles que quando o Governo diz que é verde, eles dizem que é verde-escuro. Chamo oposição quando o Governo diz que é verde e eu digo que é vermelho”, afirmou Alberto João Jardim.
Diz ainda, não gostar da “desumanização da política” praticada em Portugal e na Europa, em que “tudo funciona em torno do défice”. “É a mesma política do tempo de Salazar, é a mesma política orçamentista”, acusou, lamentando que o Governo e “alguma oposição” coincidam nesta matéria. “É por isso que digo: Eu é que sou a verdadeira oposição àquilo que se passa no continente”, insistiu.

Não durou muito o “estado de graça” da Manuela Ferreira Leite na Madeira e já o Bicho da Madeira lhe envia as primeiras farpas. O que acaba por fazer é reconhecer a incapacidade do PSD do “contenente” de ter ideias que possam diferir daquelas aplicadas pelo governo dos socretinos. As ideias são as mesmas, as politicas também assim como as prioridades e as soluções. Ideias parecem não ter, as politicas são as impostas pela EU, marioneta dos Bilderberg, as prioridades passam por destruir o estado social e soluções para a crise é coisa que não têm.
Segundo o Bicho a oposição devia ser feita como ele faz politica na Madeira. Diz que é vermelho aquilo que ele vê ser verde se isso lhe der jeito. Para ele o importante é que haja um governo que lhe encha os cofres ou que pague as contas das despesas que faz. Quando assim não é, bate em tudo e em todos sabendo muito bem que se o “Engenheiro d’oiro” lhe cortou no orçamento, também não será a Manelinha que lhe vai abrir os cordões à bolsa. Uma coisa é certa, o “Bicho da Madeira” ficará a perder qualquer que seja o vencedor das eleições em 2009. É por isso que realmente é a verdadeira oposição, não só ao governo Sócretino mas também à líder do seu partido.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

segunda-feira, Julho 14, 2008

Crise? Qual crise?

A Crise

"O Mundo não está em “crise”. Somos nós, países industrializados ocidentais, na Europa e nos EUA, que estamos em “crise”, não é o mundo. Bem pelo contrário, o mundo está bem e recomenda-se."
Publico José Pacheco Pereira

Para o Pacheco Pereira o Mundo está bem. Não sei o que pensará um habitante do Darfur desta afirmação. O petróleo não para de subir assim como os cereais, fonte básica da alimentação dos países pobres, morrem por dia de fome, falta de água, doenças, miséria milhões de pessoas, mas o mundo recomenda-se. Nós, ocidentais, os que fazem jantares de 24 pratos para discutir a fome no mundo, é que estamos em crise. Estamos em crise civilizacional, diz ele. Estamos em crise porque o Pacheco compara o que se passa por cá, com países como a China, Índia, Angola, países onde o crescimento económico é uma realidade e há gente a deixar de ser tão miserável como era. Devemos nós tomar esses países por modelo, esquecer que falamos de países sem leis laborais, com trabalho escravo, com trabalho infantil, muitos deles férreas ditaduras? Será que afinal o discurso, que tanto criticou, em que o Manuel Pinho oferecia aos chineses mão-de-obra barata em Portugal, é a solução que devemos seguir? Será que o mal está nos princípios de Democracia Ocidental? Será que o mal está em ainda restarem alguns resquícios de um estado social e de valores humanistas? Deveremos nós aceitar a lei do chicote em nome da crise?

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Um Furacão feito em merda

Operação Furacão

O Tribunal da Relação de Lisboa levantou o segredo de justiça interno no caso "Operação Furacão". A decisão aconteceu depois de os advogados terem apresentado recurso. Perante o recurso de duas sociedades de advogados o tribunal considerou que o segredo de justiça devia ter sido levantado em Dezembro, à luz do actual código de processo penal. Uma decisão que vai contra a vontade do Ministério Público que pretendia ver o segredo de justiça prolongado até Junho de 2009devido à complexidade do processo.
Entretanto alguns advogados dos arguidos admitiram à Lusa a hipótese de pedir a anulação do processo, dado que o segredo de justiça foi mantido além do limite legal.
A investigação da Operação Furacão está a cargo da Direcção Central de Investigação Central e Acção Penal (DCIAP), que tem por missão investigar a criminalidade económica e financeira mais sofisticada e complexa. O caso começou em Outubro de 2005 com buscas ao BES, Millenium BCP, Finibanco e BPN, depois foi a vez da Mota Engil, Monte Adriano e Soares da Costa. Actualmente, estende-se a mais de 200 sociedades.

Três anos de trabalho, mais de 200 sociedades investigadas, que vão da Banca aos Casinos, passando por tudo quanto é grupo económico, não sei quantos agentes a trabalhar, tudo pode ser deitado para o lixo se o processo for anulado, como acontece frequentemente neste país, por razões processuais ou simplesmente porque o crime já prescreveu. Com tantos poderosos implicados, e que certamente já contrataram os maiores especialistas em engonhar processos temos de estar preparados para o dia em que sair a noticia que tudo isto se vai desfazer em nada. Querem apostar?

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

Neil Young, Brit Com, e outras coisas

rainha das Rosas

Hoje só aqui coloco esta imagem desta autentica Rainha das Rosas, tão Sinistra como a de Copas só que mais bem real, para falar de ter conhecido pessoalmente uma famosa personagem em toda a blogosfera, a Brit Com (do blog O Cartel), e o seu companheiro o “Ranger” Filipe. Aproveitando a felicidade da vontade de assistirmos aos concertos do Neil Young e Bem Harper, criou-se a possibilidade do encontro e de umas boas horas de cavaqueira. Foi bom ouvir gente que é professora, não só na carreira profissional, mas na sua vontade e prazer de ensinar. Professores do interior deste país, professores que falam dos seus alunos, os de hoje e os de outros tempos, alguns agora já seus colegas, com a paixão do ensinar, de transmitir conhecimentos e comportamentos. Fantástica a forma como mostravam aceitar “o ser-se criança”, compreender as suas traquinices e preocupar-se com cada uma deles como gente com nome e personalidade. Tudo isto apesar de todas as dificuldades e da tristeza de verem esta Ministra a destruir a escola pública em que acreditam e porque lutam. Sabem que está cada dia mais difícil, mas dão horas, dias, a sua vida nessa luta pelo ensino. Professores daqueles para quem as tristes palavras como as do Rangel, Pacheco Pereira, Miguel de Sousa Tavares e tantos outros, que acusaram os professores não fazerem nada, serem uns “chulos” e uns malandros, serem palavras injustas e vergonhosas.
Que ficou de tudo isto, podem perguntar. Ficaram dois grandes concertos, mais dois bons amigos, uns chouriços de fazer água na boca só de olhar para eles, e uma garrafa de um “Rioja” Griñon para acompanhar que me ofereceram e a certeza de que vale a pena lutar por aquilo em que acreditamos.
Agora é esperar pelo dia 18 para ir reencontrar outros amigos da na 4ª Farra Blogosférica na Fonte da Telha que o Marreta está a organizar.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

domingo, Julho 13, 2008

O mapa das estradas do Sr. Silva

Mapa das estradas

-Olha Maria, o sacana do Engenheiro ainda não mandou fazer a autoestrada para Boliquei-me que lhe pedi.

O Presidente da República confirmou ter recebido a informação por ele solicitada ao Governo “sobre as Estradas de Portugal”.
O Presidente da República garantiu que “acompanha com o maior cuidado a evolução da situação económica-social no país”, mas não quis adiantar se considera que o plano de obras públicas anunciadas pelo Governo pode tirar o país de uma situação de crise. “O Presidente da República, pelo seu compromisso de isenção em relação a todas as forças partidárias, deve abster-se, neste momento, de fazer comentários porque, de outra forma, podia parecer que estava a interferir no combate político”, afirmou. “Este é o tempo de confronto entre as forças políticas”.

Já se devia ter lembrado disso antes de ir criticar o plano de construção de estradas do governo na sua visita ao interior do país, mesmo antes de ter recebido os estudos mas já depois de criticas identicas feitas pela amiga Manuela Ferreira Leite.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

A Grande Farra do Poder

A Grande Farra

Uma das coisas boas de se ter um blog individual é que podemos fazer aquilo que nos der na real gana. Até poderão haver noticias mais importantes, muitas razões para aqui falar de outros assuntos, mas posso fazer aqui mais um boneco da Grande Farra do G8 só porque me apetece. E, apeteceu-me.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

sábado, Julho 12, 2008

Uma marioneta em forma de Cherne

Como ser Marioneta

Sarkozy veio dizer que apoia a recondução do Durão Barroso para mais um mandato na Presidência da Comissão Europeia. Tem realmente sido um bom menino, obediente e diligente. Aceita calmamente o seu papel de marioneta sem nunca dificultar a vida ao Manipulador em troca de todo o prazer que tira da “cagança” de ocupar o cargo. Vê-se que ele é um Cherne feliz, embriagado pela posição que ocupa, pelas mordomias, pelos sorrisos e, pelos vistos, também pelas jantaradas. Gosta do luxo, do sentimento de poder, de ser tu cá, tu lá com os líderes do mundo. Sabe que não manda nada que tenha um estatuto acima de secretária e direcção, que tem de engolir e cumprir todas as ordens que lhe chegam dos Senhores do Mundo, do Clube de Bilderberg, sem pensar ou contestar. Sabe que o seu país definha nesta construção da Nova Ordem Mundial, mas o seu ego é bem maior que tudo o resto. Este já há muito que vendeu a alma ao diabo.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

A Grande Farra dos oito

A Grande Farra

Os líderes das oito economias mais industrializadas do mundo (G8), reunidos numa cimeira no Japão, (custou um total de 358 milhões), sob o signo dos altos preços dos bens alimentares nos países desenvolvidos - e consequente apelo à poupança -, bem como da escassez de comida nos países mais pobres, não se inibiram de experimentar 24 pratos, incluindo entradas e sobremesas,
Trufas pretas, caranguejos gigantes, cordeiro assado com cogumelos, bolbos de lírio de Inverno, supremos de galinha com espuma de raiz de beterraba e uma selecção de queijos acompanhados de mel e amêndoas caramelizadas eram apenas alguns dos pratos à disposição dos líderes mundiais, que acompanharam a refeição da noite com cinco vinhos diferentes, entre os quais um Château-Grillet 2005. Não faltou também caviar legítimo com champanhe, salmão fumado, bifes de vaca de Quioto e espargos brancos. Nas refeições estiveram envolvidos 25 chefs japoneses e estrangeiros.
O "decoro" dos líderes do G8 - ou, no mínimo, dos anfitriões japoneses - impediu-os de convidar para o jantar alguns dos participantes nas reuniões sobre as questões alimentares, como sejam os representantes da Etiópia, Tanzânia ou Senegal.

Esta noticia nem necessita de comentários e só tenho pena que o Cherne, Bush, Sarkozy e restante canalha não se tenha engasgado ou melhor ainda, apanhado uma tal caganeira que se esvaíssem em merda.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

A nossa Maria Madalena

Madalena Parlamentar

O “Engenheiro d’oiro” teve ontem no debate para lamentar fez uma pergunta interessante? “ Afinal o que é que eu fiz mal?”, muito na onda de “a crise internacional é uma injustiça para este governo” que disse há uns dias. Tem toda a razão, ele fez tudo muito bem, exactamente como lhe tinham dito para fazer. Fez o Tratado de Lisboa, baixou o nível de vida, as pensões e aumentou a idade da reforma, delapidou o Serviço Nacional de Saúde, a Escola Pública e fiz a nova lei laboral. Realmente depois de fazer tudo isto, ser vítima do seu próprio sistema liberal, deve pensar que os seus amos de Bilderberg estão a ser muito injustos com ele. Esquece-se que isso é um assunto que é dele e dos seus Senhores, que para nós não houve injustiça nenhuma. Para ele é muito bem feito pelo que fez, embora para todos nós, só represente mais dificuldades, mais pobreza e uma enorme insegurança quanto ao amanhã. Ninguém merece esta sorte, mesmo que tenhamos muitas culpas no cartório, por lhes permitirmos fazer o que fazem impunemente, por os deixarmos estar no poder.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

sexta-feira, Julho 11, 2008

Robin das Bombas

Robin das Bombas

O “Engenheiro d’oiro” anunciou hoje que sempre ia aplicar a taxa “Robin dos Bosques” sobre os lucros extraordinários das gasolineiras (vinte e cinco por cento). Pegando no tema, o Francisco Louça, estranhou o nome da taxa, já que na história original o “herói” rouba aos ricos para dar aos pobres, enquanto nesta se senta na mesma mesa que os ladrões para dividir o saque roubado aos pobres. Na realidade é mesmo isso que vai acontecer. As gasolineiras estão autorizadas a ter lucros especulativos desde que o dividam com o governo. Agora só falta ver se os ladrões não vão aumentar os preços para compensar aquilo que o governo lhes vai tirar. Eu quase que apostava que sim e, não são as garantias do Engenheiro que me vão deixar descansado.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

Partilhe